.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

segunda-feira, 13 de abril de 2009

De volta pro meu aconchego

Voltei! E quer saber, a primeira coisa que fiz foi pedir ali mesmo no Galeão o gostinho brasileiro, ele, o pretinho mais querido do Brasil, quentinho, forte e sem gosto de isopor, na xicrinha e acompanhado de um pão de queijo. Pronto! Quem passa algum tempo fora desse país sabe o que eu quero expressar com isso - saudades, talvez seja a palavra certa.


O segundo ato e que eu já estava ficando angustiada por não ter feito nenhum desses dias, foi abrir as janelas, sentir o ar batendo no meu rosto e espiar para fora. Não ter que ficar em ambientes lacrados para que o ar quente não saia ou refrigerados, foi para mim uma experiência difícil e percebi que aqui na terrinha isso é possível e tão gostoso.

No mais, tirando o gosto de isopor das comidas americanas e as janelas fechadas, tudo o que vi e pude desfrutar foi maravilhoso.
Agora, estou aqui às voltas com o desfazer das malas e botando tudo nos lugares, arejando a casa fechada por 11 dias e louca para ir ver minha querida Emmy.
Aos poucos estarei visitando todos vocês e retornando à minha vidinha normal.

Lembram da musiquinha - Lerê, lerê, lerê, lerê, lerê ... vida de nego é difícil! Pois é, tem trabalho pra valer por aqui!

22 comentários:

Lucia Cintra disse...

Por isso que a gente AMA passar o dia e a noite com as janelas abertas na Primavera e Outono, pois o resto do ano tem que ficar lacradas mesmo. O inverno eh congelante e no verao nao da pra ficar sem ar condicionado.

Bjos

Luciana Håland disse...

Beth, viajar é bom, mas a volta ao lar não tem preco. Isso dos sabores é bem verdade, eu também chamo a comida daqui de sabor de plástico, mas pode ser isopor também. Não a comidinha caseira, mas pra quem compra comida pra dois, acabo não cozinhando mesmo pra valer, provando todos os temperos, panelas no fogo por um bom tempo, como fazia no Brasil, então fica meio no isopor mesmo.
E as frutas?!!! Sinto falta do sabor das frutas no Brasil, pq até as frutas brasileiras, por virem verdes, nao tem o mesmo sabor que tem ai.
Cafezinho com pão de queijo é bom demais.
Bem vinda de volta, ao Brasil e ao mundo virtual.
Beijo

Marco disse...

Sempre gostei de viajar, mas confesso que nunca gostei da volta. Me dá uma preguiça voltar.

Amara Ribeiro disse...

Nada melhor mesmo... Eu não sou muito chegada à café e ainda não saí do Brasil mas uma coisa é certa: é muuuuuuito bom chegar na casa da gente né?
Saudades
Qdo tiver um tempo me liga...Vamos marcar de tomar "café" juntas...
Bjkas

Lúcia Soares disse...

Benvinda, cara amiga! Nem posso dizer que senti saudades, pois você se fêz presente, eventualmente. Mas fêz falta, sim, nossa "conversa" diária.
"O melhor lugar do mundo é aqui...", trecho de uma música, não sei o nome nem quem canta, nem o resto...Rsrsrsr Mas diz tudo.

aminhapele disse...

Boas vindas,minha amiga.
Também regressei do Algarve e foi penosa a chegada.
Vinha da praia e do sol.Encontrei chuva e frio.
No meu Poesia deixei um escrito de Vinicius sobre Nova Iorque.
Dê uma espreitadela.
Um abraço.

Beth/Lilás disse...

Lucinha querida,
Você tem mesmo toda a razão de reclamar desse frio intenso, pois em NY senti um pouquinho do que deve ser a 'coisa preta'.
Mas eu já estava ficando meio claustrofóbica de tanto lugar fechado e isso foi o que mais senti aí nos States. De resto, devo dizer que o país é grandioso, fantástico e sua gente também, pois recebe tantos povo de braços abertos e os americanos de hoje são muito receptivos e comunicativos. Adorei!
Saudades docê, menina!
Beijos e abraços prá ti, para o Al e teu pai.
-------------------------------------------------------------------

Lu,
É impressionante como tudo lá é dentro de caixinhas, isopor, tampinhas, talheres descartáveis e um sem número de coisas industrializadas que, eles teem mais que se preocupar com a ecologia, pois é muito gasto de embalagens.
Faço idéia como vc não deve sentir falta da comidinha brasileira!
beijinhos
-------------------------------------------------------------------

Marco,
É mesmo, dá uma preguiçaaaaaaaaaa!
abraço
------------------------------------------------------------------

Amara,
Vamos tomar cafe e lanchar na Beira Mar, deixa comigo.
beijos
-----------------------------------------------------------

Lucia S. queridona,
Agora eu tenho que desvirtualizar você.
Ou será em BH ou Londrina. Vamos ter que combinar essa.
beijos
----------------------------------------------------------

Rui, amigão!
Quando eu for à Europa vc será desvirtualizado também, podes esperar!

Coitadinho voltou para a friagem, né!
abraços cariocas
----------------------------------------------------

Ana Cláudia Bessa disse...

Oi, Beth!

Olha pode concentrar suas visitas no O Futuro do Presente pois é o único blog que tenho. Nos outros é só participação.

Beijos e feliz retorno!

todoyda disse...

Beth, então você entendeu um pouco do que eu sinto durante o frio e não é só no inverno, pois no outono a temperatura cai muito e não dá para ficar com as janelas abertas, rs.
Seu eu soubesse tinha feito pão de queijo naquele dia, tenho sacos deles no congelador, aqueles da marca forno de minas, bem deixa para a próxima vez.
bjk

rocosta disse...

'... coisa que gosto é poder partir sem ter planos/melhor ainda é poder voltar quando quero...' - M. Nascimento.
Benvinda, Lilás.
Forte abraço.

Flávia Fayet disse...

Q bom q está de volta! Obrigada pelo comentário... Beijão querida

Wilma disse...

Ô Patriotismo sô. risos. Ainda vou ler o que falta da viagem, mas com este post de hoje fiquei me perguntando se sentiria ou se senti falta de algo brasileiríssimo, assim como você. Na verdade hotel sempre é desconfortante depois de alguns dias, por melhor que seja, mas só lembro que senti muita saudade do Brasil e da comida quando estive na Bolívia e Peru, num desses países o café vinha com pó no fundo da xícara, não era coado, ARG!!!

Beth/Lilás disse...

Cristiane,
Entendi perfeitamente o que vc diz e vi o quão difícil isto é para nós de um país tropical. Mas é como meu marido sempre diz; nada é perfeito nesta vida!
Aí tem tanta coisa boa e maravilhosa para se viver que o jeito é tentar se adaptar mesmo.
Que pão de queijo nada, lembra o quanto a gente comeu naquele restaurante? rsss
beijocas
-------------------------------------------------------------

Ro, querida!
Você, como sempre, musical!
Amo esta música!
beijocas
----------------------------------------------------------------

Flávia,
Você é uma gracinha e tava linda de coelhinha da páscoa.
bjs
----------------------------------------------------------------

Wilma,
Que patriotismo que nada! Tava mesmo era com saudade de café de verdade, porque aquelas Starbucks da vida só fazem chafé e além do mais no copo de isopor e cheio até a boca. Horrorível!
E os hotéis em que fiquei tudo era ótimo, mas as janelas não desciam de jeito nenhum, todas lacradas. É mole?!
beijinhos
-----------------------------------------------------------------

Somnia Carvalho disse...

Hej Dona Lilás!!!

Bem vinda ao seu lar! que gostoso estar em casa ne? ontem senti a mesma coisa! tudo por fazer aqui mas que sennsacao gostosa de chegar. Embore eu adore viajar, adoro chegar de volta tambem.

Eu tenho a maior vontade de conhecer Nova Iorque, embora eu imagine o frenesi, mas sabe que uma coisa que eu so fui aprender depois de estar aqui dois anos foi que e preciso abrir as janelas, inclusive no inverno duro que e quando faz menos 10 ou mais.

Quando cheguei eu so queria ficar no quentinho e nao abria nada, dai essa sensacao horrivel de falta de ar, tudo abafado etc. Agora acordo e abro varias janelas, deixo o ar entrar e fecho ou mantenho algumas. E agora com a primavera eu posso relembrar a abricao de janelas que eu tambem fazia ai no Brasil. Acordar pra mim significa duas coisas: abrir as janelas e ver o sol e tomar cafe quentinho com leite. Nunca pretinho e puro, mas nunca sem ele!

beijocas

Heloísa disse...

Beth,
Você pegou exatamente aquilo que faz diferença, o café com pão de queijo. Adoro viajar, mas em todas as paradas para descanso, durante os passeios, eu penso na vontade de tomar um cafézinho com pão de queijo.
Beijos

Fernanda - www.fernandafranca.com disse...

Seja bem-vinda, querida!!!

Ana disse...

Foi uma linda viagem e vc conta tudo de um jeito especial, adorável!

Bom retorno!

Grande beijo!

Beth/Lilás disse...

Somnia borboletinha,
Que as outras pessoas que moram em outros lugares frios aprendam contigo então!
Realmente o pessoal acaba ficando confinado e já nem se apercebe, mas tem que lembrar que o ar entra e retorna, assim os ácaros e outros bichinhos ruins ficam por ali naquele ambiente. Ainda mais nos EUA que tudo é acarpetado.
E o Angelinho tão lindo não merece isso, oras!
beijocas
------------------------------------------------------------

Heloisa querida,
Você captou direitinho este sentimento, né!
Café e pão de queijo são duas maravilhas do mundo atual e quem sabe se tornarão do mundo com esta globalização!
beijão
--------------------------------------------------

Fernanda lindinha,
Andei lá lendo seus escritos e você é mesmo uma super jornalista, heim!
beijo grande
--------------------------------------------------------------------

Beth/Lilás disse...

Ana querida,
Daqui há pouco vou lá ver a sua turminha de páscoa.
Me aguarde!
beijos
----------------------------------------------------

ML disse...

Legal que vc voltou no nosso outono - a temperatura está mais do que agradável.
Cafezinho eu prefiro um bem fraquinho (um 'chavezinho", né?), mas pãozinho de queijo, hum... junto com os chocolates da Páscoa, HUM", que a balança não me entregue ;>)

bjnhs

Isabella disse...

Querida Beth, da próxima vez que vc vier a DC, prometo um senhor cafezinho e janelas abertas! A minha casa é tão quente que mesmo com o frio que estava fazendo quando vc estava aqui, eu estava com as janelas abertas.

Lindas as fotos de NY! Preciso voltar lá : )

bjs e a faxina rola por aqui tb, inevitável...

Sonia H. disse...

Seja benvinda, querida!
É bom partirmos para descobrirmos novas fronteiras, mas é melhor ainda podermos voltar para o nosso aconchego!
Imagino a festa que a Emmy fez quando viu você chegando!
Lembra da música do Roberto e do Erasmo? "Eu cheguei em frente ao portão... meu cachorro me sorriu latindo"...
A Emmy é linda!
Beijos,