.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

domingo, 7 de dezembro de 2008

O Jogo da Macaca ou Amarelinha?



O post abaixo rendeu um comentário muito interessante do amigo Rui lá de Coimbra-Portugal.


Vou reproduzi-lo aqui para que todos possam entender a razão deste novo post.

"Mas,o que de facto me agradou,foi o joguinho da macaca.Aos sábados,depois de almoço,toda a família joga a macaca,aqui no meu terraço(desde que não chova,é claro)...Pode ser um disparate,mas é um hábito que dura,pelo menos,desde que meus pais nos habituaram.Amanhã seria dia da macaca!Um abraço.

"O "jogo da macaca" é o que aparece no boneco da postagem de Beth.No chão,a giz,desenha-se aquele boneco.Aqui,não costumamos desenhar os números,que correspondem à ordem das casas a saltar.Saltam-se pé a pé,com os dois pés ou com os pés cruzados...Quando se atinge a casa final,dá-se uma volta no ar(durante o salto)e faz-se o percurso inverso.Recomeça-se com outro tipo de salto e,assim,sucessivamente.Pelo meio há uma lengalenga que se canta e que varia de terra para terra.Apenas serve para afinar a destreza...O coro da lengalenga e os ditos familiares,durante o jogo,dão a animação.Hoje,devido à chuva,não jogámos a macaca.Quando vi o boneco,encimado por "saudades",pensei que pretendia referir-se ao "jogo da macaca"..."

Aí está, então, a forma como nossos amigos portugueses chamam o Jogo de Amarelinha aqui do Brasil lá em Portugal - Jogo da Macaca. Engraçado, né! Mas, bem original, afinal pula-se que nem uma macaca neste joguinho que pertence ao folclore mundial.

Para começar Amarelinha vem do francês 'marelle' que, por adaptação popular ganhou a associação com amarelo mais o diminutivo.

É conhecida por diversos nomes:
Em Portugal há outras variações: jogo da macaca, jogar ou saltar à macaca (no norte), e ainda jogo-do-homem e pé-coxinho.
Em

Moçambique chama-se avião ou neca.
No
Rio de Janeiro (Brasil) pode ser ainda academia ou cademia e marelinha.
Na
Bahia e no Pará, (Brasil), diz-se pular macaco ou macaca, semelhante a Portugal.
Em
Minas Gerais (Brasil) é maré.
No
Rio Grande do Norte (Brasil) é avião, como em Moçambique.
No
Rio Grande do Sul (Brasil) é sapata.
Na
Espanha a brincadeira é chamada: cuadrillo, infernáculo, reina mora, pata coja ou rayuela.
No
Chile e no Peru é a rayuela.
Na
Colômbia é chamada coroza ou golosa.
Nos
Estados Unidos é hopscotch.
Na
França, por fim, é marelle, denominação que deu origem a amarelinha, marelinha e maré no Brasil.
Na
Galiza o jogo tem vários nomes: a chapa, truco, mariola, peletre, cotelo, macaca, estrícula, entre outros. Ainda que hoje a sua prática esteja muito reduzida, tempos atrás jogou-se em mais de 40 desenhos diferentes.

Regras

Uma das versões do riscado da Amarelinha
O jogo consiste em pular sobre um desenho riscado com giz no chão, que também pode ter inúmeras variações. Em uma delas, exemplificada na figura ao lado, o desenho apresenta quadrados ou retângulos numerados de 1 a 10 e no topo o céu, em formato oval.
Tira-se na sorte quem vai começar. Cada jogador, então, joga uma pedrinha, inicialmente na casa de número 1, devendo acertá-la em seus limites. Em seguida pula, em um pé só nas casas isoladas e com os dois nas casas duplas, evitando a que contém a pedrinha.
Chegando ao céu, pisa com os dois pés e retorna pulando da mesma forma até as casas 2-3, de onde o jogador precisa apanhar a pedrinha do chão, sem perder o equilíbrio, e pular de volta ao ponto de partida. Não cometendo erros, joga a pedrinha na casa 2 e sucessivas, repetindo todo processo.
Se perder o equilíbrio, colocando a mão no chão ou pisando fora dos limites das casas, o jogador passa a vez para o próximo, retornando a jogar do ponto em que errou ao chegar a sua vez novamente.
Ganha o jogo quem primeiro alcançar o céu.
Em uma outra versão, mais complexa, o jogo não termina aí. Quem consegue chegar ao céu vira de costas e atira a pedrinha de lá. A casa onde ela cair passa a ser sua e lá é escrito o seu nome (caso não acerte nenhuma, passa a vez ao próximo jogador). Nestas casas com "proprietário" nenhum outro jogador pode pisar, apenas o dono, que pode pisar inclusive com os dois pés.
Nesta versão, ganha o jogo quem conseguir ser dono da maioria das casas.

(fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Amarelinha)

Com certeza qualquer um de vocês já brincou deste jogo uma vez na vida e a lembrança desses dias gloriosos é sempre muito feliz. O Rui, ao que parece, trouxe esta brincadeira até os dias de hoje e, imagino como deve ser bom "pular a macaca" no seu terraço. Grande privilégio ele tem!

Brasil e Portugal tem muitas semelhanças na linguagem, mas o dia a dia de cada país, revela muitas diferenças e por vezes palavreado engraçado para eles ou para nós.

Imaginem um gringo, ou mesmo um português, ouvir algo do tipo:

- Ó u auê aí! Que quer dizer: Pára com esta bagunça!

- Eu tô qui tô! Que quer dizer: Eu estou super feliz!

Expressões como estas, nem os grandes linguistas como Saussure ou Chomsky poderiam explicar!

9 comentários:

Lúcia Soares disse...

Ah, Beth, que delícia de post!
Como pulei maré, aqui em BH, ora se não!!! Em vez de pedras, às vezes jogava com um pedaço da casca de banana, porque com a pedra se corria o risco dela resvalar e passar pra casa seguinte. Era um tempo bom demais, onde se podia ficar na calçada até uma 9, 10 horas da noite...Saudade!

Beth/Lilás disse...

LUCIA,
BEM LEMBRADO! JOGÁVAMOS COM CASCA DE BANANA PARA ADERIR BEM AO CHÃO.
SÓ NÃO LEMBRO SE TINHA ALGUMA MUSIQUINHA QUE CANTÁVAMOS JUNTO.
PODE SER QUE ALGUÉM Aí LEMBRE!
BEIJOS
...................................................................

aminhapele disse...

Obrigado pela lição,Beth.
Não imaginava que a "macaca" fosse tão popular e tivesse todos esses nomes,mesmo "amarela"...
As regras são as que diz.
Cada família introduz pequenas alterações de adaptação e os ditos adaptam-se a cada um(não lhe dou exemplos,porque são demasiado íntimos).
Acredite que,em família,a "macaca" é divertidíssima.
O facto de a chuva nos ter impedido,ontem,de a jogarmos,foi compensado por uma sessão musical:há quem toque piano,flauta,viola,órgão e acordeon...
A cantar,somos todos um desastre!
Mas,divertimo-nos muito!
Um abraço.

Beth/Lilás disse...

OI RUI!
EU É QUE AGRADEÇO OS COMENTARIOS E A LEMBRANÇA TÃO SINGELA DESTE JOGO.
QUER DIZER QUE POR AÍ TAMBÉM TEM MUITOS MÚSICOS!
SE NÃO DÁ PARA A MACACA VÃO DE MÚSICA. ÓTIMO!
ABRAÇO CARIOCA
........................................................................

Flávia Fayet disse...

Oi Beth, que lindo o comentário q vc escreveu no meu post "Cansei III"! Q pena q moramos tão longe, pois ia adorar ser sua "amiga", ter vc por perto para poder conversar, tens sempre uma palavra "up" p/nos dar, um elogio... Obrigada querida!

Bjão e uma semana linda!

Ah, qto ao seu texto, pulei mta "amarelinha" ou "sapata" como chamam aqui! Mas minha coordenação sempre foi péssima e "queimava" e nunca chegava ao céu! Hihihi

Ana disse...

Sempre chamei de "Macaca", também!

Eu e todas as crianças da minha geração, na minha cidade natal - Lavras do Sul!

Beijooo!

Laura disse...

Nossa, eu brincava de amarelinha tambem!!!
E tambem ficava até altas horas na rua!!!

Beth, vc comentou sobre a linguagem, aqui em casa rola muita coisa engraçada, porque o marido leva tudo ao pé da letra, ou nao entende mesmo, pois o que num falta sao expressoes!!

Beijosss

As aventuras de uma brasileira no Egito disse...

Beth querida,

Eu conheco como amarelinha e joguei muitooooooo....usamos saquinhos de pano com areia ou ate casca de frutas, bananas, mexerica.....era brincar e se alimentar.....kkkkk

Muito legal esse post....

Deu uma saudade......

Beijos e fiquem com Deus

Barbrinha

Georgia disse...

Nossa, em cada lugar ela teve um nome diferente. Para mim sempre foi amarelinha.

Jogava com caco de vidro ou telha, mas casca de banana, kakakakkakak???

Essa eu nunca vi.

Bjus