.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

terça-feira, 4 de março de 2008

"Feliz como um pinto no lixo!"

Esta expressão é para o ar de felicidade que meu marido demonstra quando está em nossa casa de Petrópolis, fazendo uma das coisas que ele mais gosta - Andar prá lá e prá cá de sunga num dia ensolarado e à tardinha jogar água no carro e dar aquele trato no bonitão. Parece um garoto com seu primeiro brinquedinho!

A vida nem sempre foi assim como na foto aí embaixo, pois lembrei-me da história que ele conta de quando adquiriu seu primeiro carro na vida.

- Tinha ele seus 20 aninhos, estudando e já trabalhando, quando feliz da vida, conseguiu comprar seu primeiro veículo motorizado.

Para comprá-lo teve que pedir um empréstimo bancário, pois não tinha o suficiente em mãos para fechar o negócio.

Viu um anúncio bastante atraente e foi atrás, lá na zona sul do Rio. Era um Corcel-70, verde com teto de vinil preto. Imaginem a coisa!!!

O proprietário, um senhor idoso do alto de seus 70 e poucos anos, aparentemente idôneo também. Morava na Vieira Souto de frente para o mar, a nata da sociedade naquela época.

E o bom rapaz, morador da zona Norte, cheio de boas intenções, quase nada de malícias do mundo, mas com pouca grana na carteira.

Apaixonou-se pelo "verdão", fechou negócio na hora, pagou à vista o velhote e saiu por aí, azarando todas!

Mas, felicidade de pobre dura pouco, pois o bendito carrinho não resistiu a uma semana e............. p-i-f-o-u!!!!!!!!! Quebrou totalmente as engrenagens da caixa de marcha.

Ao levá-lo ao mecânico, para sua surpresa, o mesmo fez um diagnóstico terrível, dizendo-lhe que a caixa havia recebido um tal óleo grosso, ardilosamente colocado para ocultar um defeito já existente e que o velho não disse nada.

A caixa já havia sido mexida e o reparo custaria uma fábula e o pobre já não tinha mais um centavo para consertar, tampouco comprar as peças necessárias.

Voltou então ao proprietário para reclamar e tentar desfazer o negócio, sem entender bem o que estava acontecendo. Entretanto, o coroa sequer o atendeu e mandou dizer-lhe, pelo porteiro, que "agora o carro era dele e o problema também". Tóiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiim!!!!!! Primeira porrada da vida! Acorda menino!

Três meses ficou o carro na oficina esperando as peças que só viriam com a sua re-capitalização.

Imaginem só, alguém jovem com uma vontade louca de curtir sua primeira grande compra, passar meses esperando, esperando......! Velhote sem coração! Isto não se faz com um jovem e seus sonhos!

Bem, desde aquele triste episódio já passaram por suas mãos 14 veículos. Cada um com histórias interessantes para contar, mas, com certeza, ótimas histórias de vida também.

Vai menino, lava teu carango! Quer uma cervejinha também?!















2 comentários:

Heloisa disse...

Tadinho com Wilmar!.....
Muita maldade o que o velhinho fez com ele!
Aqui se faz, aqui se paga!!!
Com toda a certeza, o velhinho pagou caro a maldade que fez com o pobre do rapaz.
Coisas da vida!
Gostaria que reparassem as quaresmeiras floridas enfeitando as matas da nossa serrinha...
Pode-se reparar na primeira foto, no início dessa página.
As flores da quaresmeiras são roxas, e o contraste com o verde das matas é simplesmente lindo!!!
Eu acho.....

Lilás disse...

Pois é Helosinha, as quaresmeiras da serra estão dando um show. Só a de lá de casa é que resolveu empacar. Acho que o terreno não está com nutrientes ou falta mais sol por ali.

Quanto ao velhote, a esta altura já virou adubo, então deixa prá lá, né!