.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

domingo, 18 de maio de 2014

Um alerta existencial

"Entre a brutalidade para com o animal e a crueldade para com o homem, há uma só diferença: a vítima."
(Lamartine)

Quando eu olho para tantos lugares lindos neste planeta, penso na dádiva divina que nos foi dada para dividir tudo isto com outros animais, os considerados irracionais, porém eles nos surpreendem quando vemos que não nos subjugam, não nos torturam, não nos matam por nada a não ser pela fome e pelao instinto de sobrevivência. Aliás, estas diferenças entre nós, humanos e irracionais, servem de alerta para que vejamos o quanto temos sido cruéis em nossas ações neste mundo.

Não é de hoje que invadimos todos os espaços nesta terra, esquecemos por completo que ela é para ser dividida com outros, e sem querer ser comparados aos animais, a bestialidade no homem tem ainda ocorrido com frequência nos atos insanos que lemos nos jornais, em que a vida humana tem sido rebaixada a funções de coisa, pois além de matarmos os animais, matamos a nós mesmos, homens contra homens, num mundo que consideramos tão evoluído tecnologicamente.
Às vezes tais ocorrências me impressionam tanto que interferem em meu sono, penso, reflito, imagino uma saída para consertar tudo isto, porque eu não consigo acreditar que, sendo nós seres pensantes e inteligentes, nos acomodemos diante das tantas injustiças. 

Guimarães Rosa, dizia isto: "Se todo animal inspira ternura, o que houve, então, com os homens?

“O animal satisfeito dorme”

Esta pequena frase do mesmo Guimarães Rosa diz muito a esta nossa atual condição, ou melhor, acomodação, esse estado perigoso de conformidade.

Já está mais que na hora da gente começar uma resistência contra toda esta violência e para isso podemos iniciar observando os animais, desenvolver a ternura, a solidariedade, a gentileza, sem receio de parecermos bobos, otários como alguns chamam a isso.
Nós nos gabamos de sermos diferentes dos animais, porque pensamos e porque sorrimos, duas coisas que os irracionais não conseguem fazer, mas estamos perdendo a ternura coletiva dia após dia e com isso nos isolamos, desenvolvendo uma sociedade que só olha pra dentro, para o seu próprio umbigo.

E foi através dessas belíssimas fotografias que vi hoje pelo Estadão que pensei neste tema, na condição do animal, do humano e no que nos difere neste mundo. Reparem nos ambientes domésticos em que o animal é colocado para chamar-nos a atenção sobre estas diferenças e sobre a nossa, ainda, humanidade.

 Esse deslocamento do animal proporciona um curto-circuito na realidade. Dizemos: "esse é o lugar do homem, aquele é o lugar do animal, somos radicalmente opostos por isso, isso e isso". Mas por que é assim? Não somos nós também animais? O que nos aproxima? O que há deles em nós? O animal não carrega ele também muito do mistério humano?

onça parda

macaco barrigudo

tamanduá bandeira

coruja

cascavel

arara

jiboia

furão

Teiu




Todas as imagens são do Estadão
Projeto Zoo de João Castilho






17 comentários:

Ivone disse...

Beth, linda amiga, amei ler aqui, pois é, os animais irracionais muitas vezes dão muito mais lição de amor do que o homem, propriamente um animal racional que, não pensa mais, age sem nenhum critério em algumas situações, que pena que é assim!
Amei ver esses lindo animais expostos em lugares apropriados ao homem por esse ter em vantagem, a mente que pensa, mas...
Vamos indo minha amiga, ver até onde vai isso, até quando iremos ver o que vemos, as atrocidades cometidas pelo "bicho homem"!
Abraços e tenhas uma linda tarde de domingo!

✿ chica disse...

Que beleza de texto,Beth e os animais lindos.Só não cedo o lugar à cobra,rs...Morro de medo!!

E quantas coisas lindas os animais nos ensinam e/ou fazem enxergar!!

Adorei! bjs, tudo de bom,chica

Calu B. disse...

Amiga,
tuas observações são mais que oportunas nesse cotidiano alarmante que nos toma de sobressaltos e perplexidades contínuas...aonde se encontra o humano ou os ditos animais, aqueles chamados irracionais?
São eles, os irracionais, que dão mais provas de sanidade e razoabilidade que muitos dos chamados humanos.
Repudio os terríveis acontecimentos que tem assolado o nosso instável cotidiano.
Bjinhus,
Calu

Nilton Tiellet Borges disse...

Oi Beth!
Muito bom o teu post. Amiga você já sabe minha posição a respeito. Estou com você no repúdio à crueldade contra os animais. E muitas vezes penso como Pierre Troubetzkoy: "Por que o homem deve esperar que sua oração por misericórdia seja ouvida pelo que está acima dele, quando ele não mostra nenhuma misericórdia para com o que está debaixo dele?" [Afinal o homem se acha acima de tudo mesmo!] Ah, amiga nem vou falar mais, me enoja esse tipo de gente, e sabe que mais, tomara que morram de cólicas todos esses humanos que maltratam os animais! (Sorry, saí da casinha, mesmo! rsrsrs) Bjs Marli

Ana Paula disse...

É mesmo de nos fazer perder o sono essa reflexão doída, triste, feia, sobre toda a violência que vem ganhando proporções alarmantes.
Escassez de ternuras... por parte dos humanos.
Beijo!

Beatriz disse...

Ei Beth, que maravilha de texto, hein!
Também acredito que cada um tem o seu lugar no mundo, por isso nunca quis ter passarinho em gaiola ou nenhum outro animal que vive livremente na natureza. Sinceramente acho falta do que fazer e também de humanidade ter um animal selvagem em casa. Poxa, se a pessoa gosta mesmo de bicho, que ajude uma instituição de pesquisa ou procure ser voluntário num desses lugares que cuidam de animais abandonados ou mal tratados. É, falta ternura a muitos por aí....

beijinhos

Bia

Teresinha Ferreira disse...

Olá Beth,
Irracionais? Quem?
É para perder o sono ver as barbaridades de alguns racionais. Alguns animais estão com mais critérios do que muitos humanos que estão esquecendo o valor da vida.
Beijos mil e uma semana iluminada.

Antonio Reis disse...

Se não nos sintonizamos com toas as criaturas, creio que estamos a passos largos da angustia.

Bom lhe ver Beth.
Uma linda semana a voce.
Meu abraço de paz e luz
Bju

Antonio Reis disse...

Se não nos sintonizamos com toas as criaturas, creio que estamos a passos largos da angustia.

Bom lhe ver Beth.
Uma linda semana a voce.
Meu abraço de paz e luz
Bju

Anne Lieri disse...

Beth,do jeito que o homem vai indo não duvido que os animais ultrapassem a evolução e venham a governar o mundo! Seria o justo com tanta injustiça que os fazemos passar. Muito pertinente e excelente seu texto e abordagem! bjs,

Regina Rozenbaum disse...

Quem não respeita os animais pode saber que não respeita o Homem! Das cobras tôfora...medo paralisante.
Beijuuss amaaada

Lúcia Soares disse...

Beth, seu texto é ótimo, concordo com você. Apesar das imagens lindas, não gostei de algumas. rs
Acho que está havendo uma inversão de valores, as pessoas estão valorizando demais os animais, até os sufocando.
Gente é gente, bicho é bicho e cada um em seu lugar, fica melhor.
O básico é o respeito, pois a natureza existe para que todos convivam, cada um em seu habitat.
Acho que os animais nos ensinam muito, principalmente quando amam, pois é um amor incondicional. Mesmo se maltratados, ainda insistem em ficar com um dono.
O ideal é que vivamos em harmonia, gente, animal, planta. Uns precisamos dos outros.
Beijo.

Cristina Pavani disse...

Incrível, Alfazema, não há como passar batido... a situação caótica da humanidade nas grandes cidades se contrapondo às imagens estéticas de animais pacificamente acomodados em ambientes humanos.
A dias, vi um documentário sobre a situação atual em Chernobyl: lá, foi necessário uma catástrofe para que a vida animal pudesse florescer em paz, apesar da radiação, que não impediu o surgimento dum pequeno paraíso.

E tentemos soluções várias, pois uma só não cobrirá o rombo.
Beijos reflexivos.

cristiane de paula goiatá goiatá disse...

Oi Beth???
Querida que texto mais lindo e emocionante!!!
Concordo quando fala que a ternura está acabando, a gentileza que nem sei por onde anda. E se sentir e pensar nos difere dos animais, quem são eles e quem somos nós??? Amo meus cachorros, não há ingratidão, nem indiferença, nem brigas e discussões, apenas amor!!
Grande beijo amada!!
Linda semana!
Cris

Silvana Haddad disse...

Beth:
Creio que viemos ao mundo, para compartilhar das suas belezas.
Como a ambição e ganância, tomaram conta do coração humano, isso tudo se perdeu.
A barbárie tomou conta e convivemos diariamente com a violência e crueldade desmedidas.
Eu já nem tenho mais coragem de ligar a TV.
E como você, perco o sono e a paciência com essa situação.
Bjs.:
Sil

ML disse...

Beth: passei o fim de semana com minha sobrinha canina: é o amor!!!!!
Amo muito, muito, muito a Mel! E ela a mim... E ela ao irmão "gente" dela, e ele a ela e a mim, e vice versa... Valeu, Deus!
E quem não ama qualquer animal (inclusive os ditos "racionais"), tem a obrigação moral de respeita-los.

bjssss

Antonio Reis disse...

Mais um belo grito pela consciência, que esta de féria na humanidade. A gente fica espantada mais do que os ditos animais quando deparam com um farol na noite escura.
Coisas que assistimos dos ditos racionais é mesmo de tirar o chapéu e ficar boquiaberto,com aquela cara de viado que viu caxinguelê como diria Raul Seixas. Ainda nele ainda se percebe as pessoas acomodadas nos seus apertamentos se achando o mais importante e protegido esquecer de proteger o que de mais sagrado temos.
Estas imagens são fantásticas Beth.Belas e perfeitas inserções no seu post do Guimarães com toda sua arte.
Gostei muito amiga.
Você sempre atenta e engajada com sua consciência.
Um abração e bom te ver amiga.
Beijo e belo fim de semana com paz e alegria na família.