.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Eu quero me mudar pra Felicidade.



The streets of Giverny, France. (Monet's home and garden).

E, mais uma vez, com todo prazer, falo de Felicidade, porque afinal é atrás dela que corremos a vida inteira.
Nascemos para isso, para sermos felizes. Ninguém, certamente, pensa o contrário. Não importa qual seja nossa idade, se somos ricos ou pobres, se torcemos para esse ou aquele time. Não importa também a opção sexual, o nosso grau de instrução, de onde viemos, se temos ou não uma religião, se gostamos dessa ou daquela música, as preferências literárias, culinárias e o que mais existir, pois todos desejamos ser felizes, e a verdadeira felicidade, não pode ser descrita e sim sentida. Cada um busca a sua felicidade.
E já pensou então em morar numa ilha onde o lema dos moradores é - "viver bem é a maior arte e dividir é a melhor parte?"
Que sonho seria, não é?  Esse lugar só poderia mesmo chamar-se Felicidade ..., (por Domingos Pellegrini)

Felicidade

Felicidade é uma pequena ilha no Pacífico onde a língua oficial é o português mas, colonizada por piratas regenerados, tem outras línguas e gente de todos os continentes, um povo conhecido por ser tão esperto quanto bom.  As gerações atuais, resultado de intensa mestiçagem, têm como principal característica, à primeira vista, o fato de cada feliz não se parecer com ninguém.  (Sim, quem é de Felicidade não é felicense ou feliciano, é feliz.)

Cada feliz não só não se parece com ninguém nem com nenhum tipo racial, mas também pensa diferente, ou pensa por si mesmo, mas o mais incrível é que todos ouvem e respeitam as ideias e sentimentos dos outros.

Um dos ditados mais populares é: se eu fosse você, não seria eu, né?

E como governar uma gente assim?  Contam as lendas que no começo de Felicidade tentaram ter um governo, elegendo alguns para governar, mas poucas gerações bastaram para ver que os eleitos se corrompiam, apegavam-se ao poder e tentavam por todos os modos se perpetuar nos cargos e levar vantagens..

Como já não havia crimes além dos cometidos pelos próprios poderes públicos, os felizes fizeram a Revolução Feliz, acabando primeiro com a Justiça, tão injusta era pela própria lentidão.  Em seguida, já que sem Justiça não há por que ter leis, e também porque tinham as leis na cabeça e no coração, acabaram com o Legislativo.  Depois viram que, se podiam passar sem juízes e deputados, talvez pudessem passar também sem prefeitos e prefeituras.  Cada um assumiu sua parte da felicidade, como dizem, desde cuidar do próprio lixo até dar sua cota de aulas nas escolas ou de trabalho nas construções e obras coletivas.

E que obras!  As modernas aldeias são interligadas por ótimos trens e estradas, que convergem para a única cidade no centro da ilha, uma capital cosmopolita onde, por exemplo, Frank Sinatra cantou bem antes de vir ao Brasil.  O cidadão feliz pode ver um grande show dos Stones e voltar para casa em 15 minutos.

As praças públicas têm piscinas de água mineral e os parques e jardins são tantos e tais que é preciso controlar o turismo.
As televisões disputam audiência com cada vez mais informação, arte e criatividade.  Nas rádios, o sucesso do momento é o blues Todo tapa dói muito, meu bem.

O comércio é honesto, toda indústria é muito responsável e preocupada com os consumidores antes de tudo, já que em Felicidade o lucro é consequência e não meta.  Talvez seja porque os felizes não tenham ambições, a não ser a de se tornarem artistas, que lá é aprimorar-se em qualquer coisa até se tornar uma arte.  Por isso, em Felicidade tudo é único e especial, desde a culinária à decoração, a elegância e a solidariedade, a conversa e o humor, de tudo os felizes fazem arte.  Um dos ditados mais felizes é que viver bem é a maior arte e dividir a melhor parte.

O mar é lindo, há praias e rochedos, montanhas e vulcões, devidamente extintos, rios e cachoeiras, cascatas limpas como fontes e campos verdes como pinturas, plantações e bosques se sucedendo em harmonia.

O último caso de poluição em Felicidade foi de um turista brasileiro que falava palavrões demais, o que lá é considerado poluição mental.

O menor salário é de dois mil dólares, sem qualquer desconto, porque mão de obra é rara: a grande maioria trabalha por conta e no que gosta.  Talvez seja por isso que em Felicidade todo mundo anda sorrindo, tanto que até parece à toa.

E eu ando com uma baita vontade de me  mudar pra Felicidade.


***********

-Do livro Pequenas Felicidades-contos diversos. Presente de aniversário de minha amiga Calu.






23 comentários:

Inaie disse...

me chama que eu vou com você!!

✿ chica disse...

Vamos ser vizinhas por lá? Lindo,Beth! Sempre muito bom te ler e pensar! beijos,chica

Calu disse...

Húúúú...já estou fazendo as malas, convocando a família, e comprando as passagens pra essa tal de Felicidade, ilha de meus melhores sonhos, chão de meus mais antigos anseios; é pra lá que eu vou!
A gente se encontra, viu amiga!!

Amei a abertura desta manhã com este teu post maravilhoso.Vou levá-lo como broche penduradinho ao peito.

Um bom dia, aí!
Bjkas,
Calu

Pitanga Doce disse...

Uma passagem só de ida, sefazfavori.

Beijos, Betinha.Esse tempo está querendo mudar. Prepara as galochas , filha!

Misturação - Ana Karla disse...

Também quero ir, Beth.
Um lugar desses que vejo em meus sonhos.
Bom demais.
Xeros

Das coisas que vejo e gosto. disse...

Oi Beth!

Delicia de texto pra uma sexta feira. Passaram final de semana sonhando com Felicidade. E quem sabe vou também? Imagina uma reunião nossa por lá? Todas vizinhas?
Vamos sim!

Beijos!!!


Selma

Wanderley Elian Lima disse...

Vou correndo fazer as malas, e me mudar para Felicidade.
Bfs
Bjux

Luma Rosa disse...

Oi, Beth!
Uma bela crônica!!
Um feliz, dois felizes... Felicidade é algo solitário. Pelo que sei, de ouvir dizer, da boca do povo, dos amigos, a felicidade começa-se a desfrutar sozinho, só depois você pode convidar alguém para ser feliz consigo. Há que se pensar...
Tem convite no "luz"
Bom fim de semana!!
Beijus,

Beatriz disse...

Que texto FELIZ Beth!!!!

Hoje o dia está tão corrido, o trânsito tão louco, as pessoas tão apressadas, que estou feliz só de estar em casa, sã e salva, ufa!
ADOREI essa música na voz de Leila Pinheiro, demais!

Beijinhos felizes!

Bia
www.biaviagemambiental.blogspot.com

Toninho disse...

Ah, Beth como eu queria pegar carona nesta mudança e me jogar na tal de Felicidade,assim como voce.
Então suba para a serra que estará bem proxima.
Esta imagem me fez recordar uma rua numa pequena cidade na Alemanha em plena primavera de 1999.
Um lindo fim de semana amiga.
Meu carinhoso abraço.
Bjo de paz e luz amiga.
Bela musica.

Maria Célia disse...

Ei Beth
Sensacional, um primor este post, e Felicidade, que lugar mágico, um autêntico paraíso.
A imagem deste quadro de Giverny é simplesmente maravilhosa, um verdadeiro encanto.
Beijo

Regina Rozenbaum disse...

Creio que a população da Felicidade vai aumentar depois dessa postagem. Também queeeeero ir Bethita!
Beijuuss

Bia Jubiart disse...

Kkkkkkk Beth, gostei do termo "abduzida", na verdade, quando estou no face ao mesmo tempo estou trabalhando, já no blog, é outra história, tem que ter mais tempo e atenção, e por incrível que pareça a maioria das amigas e amigos são escritores de mão cheia, paro tudo p/ ler os textos, e mês de julho o movimento da loja física foi de segunda a segunda até as 21:00 hs, sei, exagero rsrsrsr, mas temos que aproveitar o pique sazonal das vendas. E fim deste mês participarei de uma grande feira na capital...
Sempre falo que por aqui a felicidade é plena, as vezes é que temos momentos de tristeza.

Tenha um ótimo fds!

Bjos tocantinenses!

pensandoemfamilia disse...

Ah! que lindo. Cidade dos eternos sonhos.
bjs.
Feliz dia dos pais para todos de sua família.
bjs

Cidinha disse...

Olà, Beth. Uma linda tarde! Adorei o post e imagem. Belo seu espaço! Adoraria pegar carona com vc para conhecer esse belo lugar e quem sabe, morar. Obrigada por partilhar! Agradeço o carinho da sua visita. Bjs e feliz semana!

Priscila Ferreira disse...

Me leva pra lá com você? :)

ONG ALERTA disse...

Um lugar mágico, beijo Lisette.

Teresinha disse...

Eu também quero ir...A esperança deve estar sempre em nossos corações. Aprendi assim, então...
Beijos mil

Wilma Santos disse...

Oi Beth, nem estou no fim do mundo não, uns 65km da Candelária?Centro/RJ!! mas parece,rsrsrs A Vivo me deixou na mão, voltei pra Maricá, mais ao Centro, e no começo a conexão era boa, agora sumiu de vez, e eu insisto em ter moden em lepitopi, e está um caos. Por isso só ontém vi seu comentário, porque nem mesma eu tenho entrado no meu blog.
Linda essa rua em Giverny!! quero voltar lá no explendor da Primavera. Uma ótima semana pra você.

Crista disse...

Já estou de mudança para lá...e levo comigo todos os que almejam ser felizes também!!!!!
Vai para meu facebook...tua postagem!

ML disse...

Utopia! O mundo, peninha, está tão longe de só um pouquinho disso...

Quem nos dera!

bjnhsssssssssss

Dani dutch disse...

Web mãe quero ir junto... eu acredito que quanto mais imaginamos e visualizamos coisas boas, nós conseguimos atrai-las pra nós. Está aí, um texto que deveriamos ler todos os dias assim que abrissemos os olhos.
bjuss

R.D.S. disse...

Demorei para retornar a esse cantinho encantador, mas voltei. Ta td lindo por aqui. Tenha um bom fim de semana.
Rafaéle