.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Livro - sua importância na história

(Imagem Amana)

". . .no começo, existia uma memória orgânica. Essa memória era composta pelos velhos, que tinham o conhecimento da tribo e repassavam para as novas gerações: "Talvez, antes, eles não tivessem utilidade e fossem descartados, quando já não serviam para encontrar comida. Mas com a linguagem, os velhos se tornaram a memória da espécie: sentavam-se na caverna, ao redor do fogo e contavam o que havia acontecido antes de os jovens nascerem. Antes de começar a cultivar essa memória social, o homem nascia sem experiência, não tinha tempo de fazê-lo e morria. Depois, um jovem de vinte anos era como se tivesse vivido cinco mil".

Com a invenção da escrita, surgiu uma
memória mineral. O conhecimento era registrado em tabuinhas de argila ou esculpido na pedra. Era uma memória que incluía também a questão arquitetônica, já que grande parte do conhecimento era registrado em monumentos.

Com o tempo, surgiu uma
memória vegetal, com o papiro e o papel. Entre outras revoluções, o livro criou uma memória individual, que é uma versão pessoal das coisas - e a leitura se tornou um diálogo com alguém que não está diante de nós e que, muitas vezes, está morto. O livro aumentou a memória do homem em séculos, milênios. Segundo Eco, o analfabeto vive apenas uma vida, ao passo que o leitor vive diversas vidas."

(trecho do livro Memória Vegetal de Umberto Eco)


 
 El  Ateneo Grand Splendid

Há alguns anos estivemos nesta fantástica livraria que já foi um teatro e hoje é considerada uma das maiores e mais lindas do mundo, chama-se El Ateneo e fica na cidade de Buenos Aires na Argentina.
Há cadeiras espalhadas pelos salões, o cenário, ainda com grossas cortinas de veludo vermelhas, é usado como café e os balcões como salas de leitura. São instalações lindíssimas e que contém milhares de livros, bem caros por sinal, mas comprei apenas um sobre a cidade de Buenos Aires que, aliás, continua dando um banho no Brasil em quantidade de livrarias, mais de 3.200, sendo considerada Capital Internacional do Livro em 2011.

(Google)




















25 comentários:

Alexandre Mauj Imamura (lostinjapan.tk) disse...

Eu acho isso uma pena, Beth... o Brasil tem uma literatura tão rica e as pessoas lêem muito pouco. Perde-se tanto tempo com bobagens, mas os livros pegam poeira. Acho um pecado isso. Emn média é lido um livro/ano né? ou seja, tem mta gente que nem pega em livro a vida toda... triste demais.

Eu tenho amigos chilenos e argentinos, é diferente conversar com eles. A gente sente que eles leram mais em vida, que talvez na escola a parte cultural foi mais "puxada", a conversa é outra. E eles sempre tão com um livro em mãos, emprestam, falam deles.

Eu fui nessa livraria há muitos anos... antes de vir pro Japão. Nossa, fiquei horas lá dentro, impressionado com os detalhes do teatro, é como se fosse um show de livros, dava vontade de aplaudir.

tb achei tudo muito caro rs, mas é mesmo uma beleza!

post especial. adorei!
bom dia mae Gaia!

Bel Rech disse...

Ler nos leva para mundos desconhecidos, romances surreais e nos encontrar em nós mesmos,sem falar para viagens inesquecíveis...Quem não lê não vive essa imaginação!!!Bjo

Nilce disse...

Oi Beth

Ler é viajar, criar "nossos" personagens, aguçar a nossa imaginação.
É uma pena que o Brasil seja um país analfabeto. O governo brasileiro se preocupa em números na Escola e não em Conhecimento e Leitura.
Linda a livraria Beth. Adoraria estar num lugar desses.

Bjs no coração!

Nilce

pensandoemfamilia disse...

Gosto de espaços de livros, mas não tenho o hábito de frequentar bibliotecas, a não ser quando em estudos fazendo pesquisa. A marca cultural é fundamental, como exemplificada pelo Alex.
bjs

Glorinha L de Lion disse...

Esse texto do Umberto Eco é super interessante, não fosse ele um "louco" por livros, pois possui uma biblioteca com milhares de exemplares.
Desejo conhecer um dia essa linda livraria em B. Ayres. Já fiz um post tb sobre ela, assim que comecei meu blog. Linda demais...eu ia ficar igual à pinto no lixo por lá...rsrs beijos,

Élys disse...

Os bons exemplos devem ser seguidos. Argentina é um exemplo que o Brasil poderia seguir.
Beijos.

Calu disse...

Oi Beth,
custei a chegar por aqui, pois não conseguia o link para fazê-lo. Hoje tomei outros rumos e aqui estou, encantada com tudo e mais ainda com este post maravilhoso sobre um dos meus maiores prazeres: o livro , a leitura, seus lugares na história e no mundo.
Belíssimas imagens da livraria em B. Aires. Se já me sinto entusiasmada dentro duma comum, nem imagino a emoção que me tomaria nesta livraria.
Há um tempinho atrás fiz um post lá no Fractais sobre a 2ª mais bela livraria do mundo, que fica no Porto/Portugal. Creio que a 1ª deva ser esta que aí se vê.
È mesmo uma pena que nosso povo ainda tenha pela frente uma longa caminhada de encontro à leitura, mas como professora , não perco as esperanças num futuro mais promissor.
Agora, precisamos, nós, marcarmos nosso café triplo, heim? Que tal?
Tenha um lindo fim de semana.
Bjinhos,
Calu

Turquezza disse...

Beth, que maravilha de post.
Sempre fui sócia de biblioteca desde meus 7 anos (meu pai era jornalista). Na minha casa todos liam muito, sempre.
Até hoje leio uns três livros de uma vez, intercalando.
Dou livros de presente de aniversário para crianças e adultos .......
Não conheço esta de Buenos Aires, mas acho que não ia reparar essas cortinas lindas, iria direto nos livros rsrs
Beijos.

Georgia disse...

Oi Bethinha, eu sou doida com livros e leio bastante a medida do possível.

Ontem vc esteve no O que elas estao lendo com tua dica sobre A montanha e o Rio que deveria virar filme...

Quando estivemos no ano passado no Brasil, eu achei os livros bem caros. Chegam a ser mais caros que na Europa e ai me diz como o povo pode ler com o salário que recebem?

Fica difícil, amiga.

Comprar livros é privilégio de poucos brasileiros. E a biblioteca nacional? Eu digo: Nao é tao fácil assim nao pegar um livro nessas entidades elevar prá casa.

Bom fim de semana bjao

✿ chica disse...

Gosto de livrarias, não de bibliotecas... Me lembram trabalhos de pesquisa do curso de direito ,arrgh!...

Os livros são importantes em nossas vidas e ampliam horizontes. Aqui em casa tenho Neno, com 8 anos, mas desde os 6, assim que aprendeu a ler, l~e muitos, mas muitos mesmo... Isso é bom e até se troca presentes por livros, investimos nisso que é um presente certo.

beijos,chica e lindo fds!

welze disse...

para mim, as livrarias deveriam ser tratadas com o respetio que são tratados os palácios. pois elas guardam preciosidades . umas ,raras, outras nem tanto, mas com certeza histórias de vidas. bom final de semana

Ana Paula Soldi disse...

Pois é Buenos Aires tem muiiitas livrarias, eu gostava muito de ir ao Shopping Village Recoleta, ali tem uma Livraria Café e passavamos horas lá dentro, porque também te dá a opcao de ler o que quiser sem ter que comprar.
Meu filho saiu igualzinho ama livros, em vez de pedir brinquedos ele pede livros, acredita.

Sônia Cristina disse...

para mim, as livrarias deveriam ser tratadas com o respetio que são tratados os palácios. pois elas guardam preciosidades .
(Welze) concordo plenamente.

É uma pena que a leitura seja tão pouco praticada atualmente, aqui em casa eu incentivo o tempo todo meu pequeno Santhiago, mas ele tem um gosto nato pela leitura (graças a Deus).

Que belo texto Beth

Somnia Carvalho disse...

ce pode ir no lancamento da glorissima?

Cris Caetano disse...

Que espetáculo de edifício!

Aqui no Rio temos o Real Gabinete Português de Leitura e a Biblioteca Municipal, mas faltam bibliotecas públicas espalhadas pela cidade, nossa literatura é riquíssima e merecia que houvesse mais espaços de leitura.

Beijos e bom finds, Beth! :)

Adriana Alencar disse...

Olá, gostei muito do seu blog, os assuntos são ecléticos e bem escritos, vou ficar por aqui!
Beijo
Adri

Cacá - José Cláudio disse...

É, Beth, temos que deixar de ser subproduto de tudo quanto há. Nossa música é das melhores, nossa comida é as melhores , nossa literatura é das melhores, enfim temos tanta coisa maravilhosa, preciosíssima, no entanto, temos a subserviência quase compulsória, fruto de massificação econômica e cultural. Ainda chegaremos lá, espero. Abração. paz e bem.

Márcia Cobar disse...

Beth,
Muito interessante a citação do Eco sobre a memória! Interessante mesmo!
E El Ateneo é um espetáculo... Saí de lá com um livrinho em mãos (do argentino Jorge Luis Borges)... A livraria faz juz ao seu 10 lugar no ranking das livrarias mais lindas do mundo!
Bjim, ótimo finds!
Márcia

Elisa no blog disse...

Amo ler e não sei o que seria de mim sem livros. Gosto muito do Humberto Eco, é um dos meus autores preferidos. Mas não conhecia esse texto.

Vc tem razão, o Sarkozy veio mas o país retira seus compatriotas de avião. No fundo acho que as pessoas estão é morrendo de medo. mas o Sarkozy não poderia deixar passar a oportunidade de mostrar que quer ser uma espécie de rei da Europa.

Lúcia Soares disse...

Beth, ler é um dos prazeres da vida.
Atualemnte ando lendo menos do que gostaria, estou com uma lista grande de sugestões para compra, onde leio um comentário, lá vou eu e anoto o nome, autor, etc. Mas não tem dado tempo de sair de casa.
Adoro livrarias que são também cafés. Uma boa dupla, ler e fazer um lanchinho. rs (embora tenha "horror" de livro sujo, ou páginas amassadas, ou capa estragada. São preciosidades, todo cuidado é pouco).
O texto é ótimo, o livro é mesmo uma espécie de memória de quem o escreveu. E fica na memória de quem o lê.
Beijos!

Teresinha Ferreira disse...

Uau!!!
Que biblioteca fantástica!!! Lindíssima! Ter um espaço assim é um privilégio.
É muito interessante a história da escrita. Ler é fundamental.
Bjs mil

Bruxa disse...

Oiê!
Que lugar lindo, deve dar vontade de se perder lá dentro.
Não consigo entender como existem pessoas que não gostam de ler!

Beijinhos

ML disse...

Ai, Beth, se vou lá - não conheço B.Aires, AINDA - me perco! Tenho um fraco - ou seria uma atração fatal? - por livrarias. Tadinho do cartão de crédito, no "doloroso retorno" : > )

bjnhs

Lu Souza Brito disse...

Oi Bethinha,

Vi uma repostagem especial a pouco tempo sobre esta livraria - que é mesmo um luxo. Aliás, o hábito de leitura dos argentinos e chilenos deveria deixar os brasileiros com vontade superá-los (nao gostam tanto de disputa futebolística? Uma competição por cultura e conhecimento seria bem mais útil.).
Dizem que a média de livros que eles lem por mês é de 7 a 8 livros, enquanto no Brasil a média é de 2 livros (POR ANO).

Adorei seu post.
Beijos

Nina disse...

Gente, olha esses tipos de memórias: orgânica, mineral, vegetal, que massa pensar nisso! às vezes eu fico pensando: como é que o cara pensa essas coisas né?? porque eu nao pensei nisso??? sabe esse tipo de pensamento Bethinha?? é assim comigo, com mts, né??

acho que livro me deixa assim, perplexa. Eu acho incrível a pessoa colocar um monte de palavrinhas juntas em folhas de papel e de repente, de palavras em palavras, de frase em frase, vai juntando um livro, tantas folhas, meu Deus, eu queria ter lido todos os livros e poder falar todos os idiomas do mundo, esse era um dos meus sonhos de infância, olha a crianca que fui, credo :-)


e que linda a livraria que já foi um teatro, lindo isso nao?? colocar os livros nessa categoria de arte, só pelo ambiente. amei isso.

queria mt que nosso povo lesse mais... é tao bonito encontrar pessoas lendo em ônibus, trens, avioes... tao bonito ver um jovem com um livro na mao.

Bjs Beth!