.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

sábado, 5 de fevereiro de 2011

Blogagem Coletiva - inclusão de portadores de necessidades especiais



Todos os pais quando estão à espera da chegada de um filho, juntamente com a alegria da expectativa, sentem também o medo, a angústia de que aquele filho tão sonhado tenha alguma diferença, ou não seja um reflexo daquilo que são ou do que gostariam que fosse.

Mas, se a criança que chega a este mundo apresenta algo diferente das regras habituais, torna-se sobretudo, traumático, a princípio, porém se estiver cercado pelo amor de uma família, a força e o valor que desenvolve uma mãe para fazer com que este filho seja reconhecido e inserido socialmente, nada neste mundo então poderá detê-lo em sua caminhada.

Já lhes contei aqui sobre uma história verdadeira e do infinito amor de uma mãe e seu filho Thiago, na luta pela adoção e, consequente, inserção na sociedade para aceitação das necessidades especiais que ele possuia, ou seja,  uma paralisia cerebral detectada no parto. Digo, possuia, porque atualmente, depois de tanto esforço por parte dele e de sua mãe para o seu desenvolvimento físico e intelectual, é uma pessoa linda e perfeita, alegre e comunicativa.


Hoje, passados 27 anos, Thiago é um vencedor, um verdadeiro guerreiro que, apoiado pelo exército familiar e de amigos que conquistou, sobrepôs as inúmeras dificuldades que se apresentaram em sua vida. Conseguiu nesta semana, seu primeiro emprego com carteira assinada.  Um exemplo espetacular de superação e perseverança, que poderá inspirar quem tenha estes mesmos problemas a ultrapassarem seus limites.
Um Viva ao Thiago!  Beijos, abraço apertado e meus cumprimentos!

Ele conseguiu a tal 'inclusão social", mas quantos ainda estão nesta tentativa?



No Brasil atual, ainda percebemos uma precariedade para inserção de pessoas com qualquer tipo de necessidades especiais, vemos isso nas coisas simples do dia a dia, no preconceito ignorante de alguns seres humanos e nas dificuldades que muitos encontram para se locomoverem ou se socializarem, pois segundo o pensamento de Vygotsky apud RABELO(1999, p.20)"uma criança portadora de um defeito não é simplesmente uma criança menos desenvolvida que as demais, apenas se desenvolve de forma diferente". A criança em sua essência é a mesma, precisa do outro para se socializar e crescer como pessoa e ser humano.

Espero que o mundo evolua neste sentido e que os conhecimentos adquiridos  sejam também para transformar esta realidade de forma efetiva, operando nos corações e mentes, capacidade maior para considerar as diferenças e individualidades de cada ser nesta terra.

Esta blogagem coletiva foi proposta pelas amigas Pandora e Aleska para chamarem atenção sobre a inclusão do portador de necessidades especiais em nosso país e o muito que ainda temos a construir desde o âmbito escolar ao social como um todo.

Aproveito esta oportunidade para apresentar ao meu rol de amigos, a excelente blogueira e designer gráfico, Meri Pellens, portadora de beleza física e de alma, a quem dedico com carinho e atenção especial esta música abaixo.





"Palavras não vão te fazer cair."









25 comentários:

Pandora disse...

Uma, duas, trÊs, trocentas vivas para o Thiago, para todos os Thiagos da vida que provam todos os dias que podem vencer qualquer coisa com determinação e ajuda!!!

Obrigada por embarcar nessa ideia vice, obrigada mesmo, a Meri é demais, também gostei muito de conhce-la, e vamos fazer o possivel para mudar transformar nossos sonhos em realidade e construir um Brasil melhor para TODOS.

Beijos, cheros... e etc...

Nilce disse...

Parabéns ao Thiago, além de vencedor é muito merecedor. Vivas a ele e à sua família que não o diferenciou e conseguiu o feito da inclusão.
Adorei a sua postagem Beth.
A ignorância é uma das adversidades para os portdores de deficiência, colocando-os num patamar de exclusão, como se não fossem capazes ou não possuíssem dons mais elevados que os chamados "normais" pela sociedade.
Parabéns pelo post.

Bom final de semana.

Bjs no coração!

Nilce

just jane disse...

I work with people with disabilities everyday. It is my chosen career. I work primarily with people with developmental disabilities, and some who are locked in bodies that do not let them express themselves. It is rewarding in every way. I love my job.

It is my opinion that fear is what defines the difficulty in really seeing people who are different. We fear, and we do not reach out. I see this everyday, in social situations with my clients. People avoid us, until they see the love we have for our special people. I then see their hearts open up, just a little.

Your blog will open hearts, as well as minds.

Zélia Guardiano disse...

Bravo, Beth!
Bravo!
Que matéria importante!
É emocionante demais saber de casos assim...
E todos temos responsabilidade: depende de nós!
Grata, querida!
Abraço bem apertado.

Kelly disse...

Comentei hoje com o Alexandre sobre isso, ainda há um longo caminho a ser percorrido até que as pessoas compreendam que inclusão não é piedade.
Incluir é deixar que o outro assuma o ligar que já era seu na sociedade, mesmo que de maneira diferente.
Beijos, adorei!!!!!!!!!!!!

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

que lindo post, Beth!
O Thiago foi pra frente pq recebeu apoio, compreensão, auxílio nas dificuldades dele (coisa que todos nós temos).

Jamais alguém deve ser tolhido de sua liberdade, de sua ação/realização. A gente, como sociedade, é que tem que se adaptar para todos, achar meios para que todos possam ter a opção de ter independência, trabalho, vida.

excelente.

e a Meri é danada, uma craque no tal de Wordpress, manja tudo de layouts, menina sabida ela.

como tá ai o fim de semana? foi passear? aqui começou a fazer um calorzinho, estamos nos animando. Manda um pouco do calor pra cá, eu te mando um pouco do frio rs.

bjos querida amiga Mãe Gaia!

Meri Pellens disse...

Parabéns ao Thiago, viu?

E, nossa! Fiquei arrepiada com a letra da música. Obrigada! Sim, palavras não me farão cair.

Beijo na alma, querida!

Fátima disse...

Bom diaaaaaaaaaaa minha queridinha!!!
Hoje madruguei para poder participar dessa MAGNÍFICA BLOGAGEM!!! Adoro uma boa batalha, dessas que dão sentido a vida, que dão bons exemplos, que espalham amor, que nos fazem pensar no outro.
Me pego olhando para meu filho, meu "THIAGUINHO" e acho que sou eu a portadora de necessidades especiais, sim tenho necessidade de ver aquele sorriso facinho- facinho todos os dias, necessidade de ouvi-lo me chamar de "minha pequena Krishna", necessidade de vê-lo arrumando sempre algo para fazer (saiu a mãe, é uma pulga), necessidade VITAL de lutar com ele e por ele e depois saborear cada vitória e quantas vitórias tivemos nesses 26 anos. Ele foi e é minha maior lição de vida. Se meu filho apesar de tantas lutas, pode ser esse ser humano admirável,com esse coração maior que ele e com uma fé em Deus( Santa Teresinha tb lógico)inabalável, eu tenho obrigação de querer ser igual a ele quando crescer...rsss.
Creio que ninguém faz nada sozinho, então muito obrigada pelo carinho por todos esses anos, vcs são parte IMPORTANTÍSSIMA de nossa história.
Mil beijinhos petropolitanos pra vc e a todos que passarem por aqui!

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

na hora que eu fiz meu post sobre o tema... me lembrei de vc em uma parte. era uma coisa que eu ouvia de amigos com deficiência
"E quem realmente os ajuda é aquela pessoa que naturalmente faz isso com qualquer um.
Se aproxima num sorriso, age normalmente e bota a mão na massa.
Pessoas que fazem o bem por ser a natureza pessoal delas e não fazem teatro de suas boas ações". Lembrei de vc, Beth, vc é assim
bjs

Aleska disse...

Valeu amiga beth! gostei muito desse depoimento sobre o Thiago, acho que de alguma forma fez um diálogo com meu texto, isso foi muito bacana. Beijos e muito obrigada pela participaçao, domingo devo postar as melhores partes da blogagem e a pandora deve anunciar que vai ganhar o prêmio beijos!

Élys disse...

Um exemplo vivo de inclusão.
A perseverança do Thiago e a confiança de seu empregador.
Parabéns aos Dois.
-----------------------------------------------------------------

Obs. Beth estou participando, mas tinha, por engano, há dias atrás, colocado a minha postagem e você comentou.
Retirei quando percebi o engano, e hoje a postei novamente. Gostaria que passasse lá para comentar outra vez, ficarei feliz.
Beijos.

Lúcia Soares disse...

Beth, não fiquei sabendo dessa blogagem! snif!
Conheço a história do Thiago e ela é mesmo comovente.
Na passagem do ano conhecei um rapaz portador da Síndrome de Down, Juninho, que trabalha há 11 anos na Mac Donald's de Ipatinga, no interior de MG. Ele é uma graça de rapaz, super eficiente, querido, ótimo filho e irmão.
A frase: "uma criança portadora de um defeito não é simplesmente uma criança menos desenvolvida que as demais, apenas se desenvolve de forma diferente"., é perfeita.
Beijos!

pensandoemfamilia disse...

Oi querida
Entrei agora, pois a luta é nossa também.
bjs

lolipop disse...

Querida Beth...
Bonita a história de luta do Thiago. Parabéns para ele!
Essa "inclusão social", depende da acção de todos e de cada um de nós, e também do derrubar de preconceitos que, esses sim, constituem a verdadeira "deficiência".
Infelizmente não consegui visionar o vídeo...
Ternurassssssssss

Hugo de Oliveira disse...

Que legal essa postagem.
Aqui em minha cidade, sou coordenador do Programa da Sala de Recursos Multifuncionais, onde trabalhamos com a inclusão de crianças e adolescentes com necessidades educacionais.

abraços

manuel marques disse...

Um abraço para o tiago.

Excelente texto.

Beijo.

pensandoemfamilia disse...

Beth
Retornando após seu comentário.
O que nos deixa indignados é termos estas representações políticas que são figuras, simbolos desta nossa nação, infelizmente, pobre de espírito.
Pagamos nossos impostos e nos sentimos lesados , pois onde estão os retornos,
Assistimos o Egitonuma total revolução diante de tantas questões, será que teremos que chegar ao CAOS para o sangue ferver...
bjs

Glorinha L de Lion disse...

Beth, que estória linda, que lição de vida o Thiago e sua mãe nos dão! O amor pode vencer obstáculos, barreiras, mas o principal, a coragem, a riqueza interior, isso ninguém dá ou tira, já se nasce com ela. Há alguém perfeito nesse mundo? Há alguém que não tenha defeitos, falhas, sejam elas pequenas ou enormes, como vemos em alguns? Não físicas, mas de caráter...essas sim, são as verdadeiras deficiências, as que não sabem ver através do outro o mundo que o outro tem dentro de si. Que julga sem saber, sem conhecer, apenas pela "aparência" ou por julgamentos precipitados...A vida é muito maior do que isso. O homem é muito maior do que uma mera aparência...Lindo post, maravilhosa blogagem! beijos,

orvalho do ceu disse...

Bethinha, querida do meu coração
Vc pensou em mim quando postou esse vídeo, linda???
Não pode imaginar como me serviu... falou fundo ao meu coração, tá???
Vou recortar a frase do final do seu post como mensagem para algumas de minhas deficiências:
"Palavras não vão te fazer cair."
Obrigada, amiga, por essa partilha tão doce e terna consequentemente!!!
Bjs de inclusão.

Mariana Hart disse...

Oi querida! Que coisa linda! Adorei o termo usado "exército familiar"! Muito bom e que belo exemplo!

Eu como mãe de um menino tetraplégico portador de paralisia cerebral, digo que a inclusão por enquanto é um sonho. Acho que a verdadeira inclusão será qdo as pessoas pararem de olhar com pena, para essas pessoas como doentes e começarem a respeitar seu espaço e direitos como deixar de estacionar em vagas de deficientes, e/ou em rampas de acesso. Seria um grande começo para a tão desejada inclusão.

Um grande beijo, obrigada pela visita , e parabéns pelo blog! =)

Beatriz disse...

Ótima lembrança Beth!
Você sempre lembrando das pessoas, né?! São pessoas especialíssimas, aliás, conheço algumas que são uns anjinhos!!!
Beijos,
Bia
www.biaviagemambiental.blogspot.com

Luma Rosa disse...

Assim como a Lúcia, só fiquei sabendo dessa blogagem hoje no final da tarde.

Beth, temos que parabenizar a família adotiva do Thiago que lhe deu o suporte necessário para que ele se integrasse socialmente.

Como empresária tenho grande dificuldade de respeitar a Lei de Cotas, que obriga as empresas a contratar de 2% a 5% de funcionários com deficiência. Esbarramos nas discriminações do passado, onde a família não procurava dar-lhes ensino de qualidade ou mesmo treinava-o para o convívio social. Algumas oficinas pedagógicas protegidas por instituições de ensino especial tem ajudado mas na realidade, o governo tem que atentar ao fato de que algumas famílias se amparam na lei 7.070 que dá direito aos deficientes ao pagamento de uma pensão e se acomodam, quebrando um ciclo que seria bastante produtivo e ajudaria a quebrar os paradígmas sociais que se instalaram de forma a levar o deficiente para a exclusão.

Bom fim de semana! Beijus,

Irene Moreira disse...

Beth
Tudo muito verdadeiro e tamanha seriedade que relatastes aqui.

Emocionante demais a história do Thiado. Que lindo de se ler e ver. Sucessos mil em sua vida porque vencedor ele jé é. O amor de mãe remove montanhas é primordial para que os portadores de necessidades especiais consigam superar e sairem vencedores.

Parabéns por tão linda apresentação e pela dedicação merecida a nossa amiga linda Meri Pelles.

Parabéns a Aleska e Pandora por nos proporcionarem uma coletiva com um tema tão importante nos unindo numa única voz.

Beijos e um lindo domingo

Beth/Lilás disse...

QUERIDOS AMIGOS!

Histórias assim não são para serem escondidas, pois elas são o retrato vivo dos seres humanos que afinal fazem e fazem muito mais que muita gente que não tem estas limitações mas, procrastinam, são preguiçosas, encostadas, não fazem por si e nem para a sociedade.
É nosso dever dar as mãos a estes que encontram caminhos complicados como os que vemos ainda hoje em nosso país, assim como devemos cobrar daqueles a quem elegemos para nos representar na política, exigindo melhorias ou novos campos de emprego para estas pessoas.
Foi um enorme prazer ter participado desta blogagem coletiva e agradeço às idealizadoras o convite especial e a todos que aqui comentaram.
um grande abraço carioca


======================================================================

Monica Lidizzia disse...

Beth, querida, parabéns por mais esta causa que vc defende como ninguém: sem guerrilha, só muita camaradagem.
As letrinhas ficaram lindas, ´combinaram com a página, mega fofas.

bjnhs