.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

domingo, 2 de janeiro de 2011

Somos simples mesmo?

(Rarindra Prakarsa)



Não sei quem disse isto, mas acho perfeito: "As pessoas não são complicadas. Nós é que estamos convencidos de que somos simples."

Fomos hoje à tardinha visitar um amigo gente boa que descobriu-se há poucos dias com um câncer no pâncreas.
Preparamo-nos para não fazer indagações e mostrar que o que nos levava à visita a ele neste dia, era um ato a fim de expressar nossos sentimentos de  solidariedade e votos para que este novo ano se inicie com força de vontade e fé no tratamento que irá começar a partir da próxima semana.


Abriu-nos a porta com uma ótima aparência, rijo, em pé, um pouco mais magro, claro, mesmo depois de 20 dias após uma cirurgia que seria para extirpar o tal mínimo tumor, do tamanho de uma unha, que se alojou sobre o pâncreas e um pedacinho no duodeno, sendo portanto, impossível de retirada porque estava preso também a uma veia.  Os médicos fecharam seu corpo e indicaram um tratamento através de quimioterapia.  Tudo isso ele nos contou em detalhes, porque já tinha, além de conversado com seu médico, explorado pela internet e com a filha recém-formada em oncologia. 

O que ele mais reclamou foi o fato de ter ficado quatro dias num CTI logo após esta intervenção cirurgica, afinal o lugar é inóspito, barulhento com os diversos aparelhos ligados a ele próprio e a outros que lá estavam, sem contar que nos momentos de pequena lucidez, ouvia algum funcionário correndo e comunicando a algum médico o óbito de um ou outro paciente daquela sala.  Estes sim foram momentos difíceis de ultrapassar, disse-nos ele.

Quanto ao tratamento que irá encarar a partir de agora, está animado, disposto,  pronto como um soldado prussiano, já que ele descende dos mesmos.

E nós, nos colocamos como seus aliados para ouvi-lo, trocar idéias quando se sentir sozinho, dar aquela forcinha que os amigos de verdade devem estar prontos para momentos como estes.

Achei muito inteligente e de uma certa forma racional, sem fugir ou ter medo do que nós, humanos, temos que enfrentar um dia conosco ou com qualquer pessoa querida que nos rodeia, o fato de falar da doença sem subterfúgios, usando o nome certo - Câncer - e não CA ou aquela coisa, como no passado ou mesmo hoje, pessoas preconceituosas ou extremamente temerárias, não têm coragem nem para dizer o nome.

Nessas horas é que eu vejo que a frase do início deste texto tem tudo a ver, afinal não somos simples em nada, desde o complexo organismo que é o nosso corpo até nossa mente que pode bloquear e impedir que enfrentemos o desconhecido ou, se for menos complicada, que o mesmo desconhecido seja enfrentado com serenidade e confiança no sucesso.

Estamos contentes e esperançosos por ele para este novo tempo em sua vida.






13 comentários:

ManDrag disse...

A vida deverá mesmo ser encarada de frente e olhos abertos. Assim tudo fica mais fácil.
Como já disse, o que nos for devido até nós virá, como tal não vale a pena tentar evitar. A doença fica mais fácil de tratar se a aceitarmos, colaborando assim no nosso próprio tratamento.

Uma idosa, que sempre me detestara por ciúme, quando se encontrou na fase terminal duma prolongada doença apenas queria receber a minha visita, pois eu era o único que falava com ela sobre a morte e a preparava para ela se deixar morrer com tranquilidade. A Fernanda (o nome que ela escolhera para si), que toda a vida fora uma megera insuportável, morreu em Paz e eu senti uma tranquilidade enorme quando ela exalou o último suspiro com serenidade.

Abraços solidários

HSLO disse...

O ser humano é super complexo.


abraços

Cacá - José Cláudio disse...

Olá, Beth! Isso é uma situação limítrofe, de fato, para a gente se testar quanto ao desprendimento e desapego com a matéria. Acho que esse moço atingiu um estágio bastante sábio com relação ao significado da essência da vida. Que Deus lhe provenha de muita saúde e lucidez.

PS: vi o post anterior do cachorrinho. Ah, quem me dera um desses. hahahha! Abração. Paz e bem.

Zélia Guardiano disse...

Texto importante, amiga Bth!
Faz pensar...
Muito grata por me oferecer matéria para reflexão!
Abraço, querida.

Liza Souza disse...

Beth, acredito que podemos vencer qualquer coisa quando a encaramos de frente e acreditamos na nossa forca. Ficar nos lamentando e tentando achar explicacao para as coisas ruins só nos deixam mais doentes. Que Deus traga a cura ao seu amigo e que Ele encha o coracao dele a cada dia dessa serenidade e fé de que tudo dará certo.
Beijos

Glorinha L de Lion disse...

Deve ser um homem de muita fibra e inteligência o teu vizinho, Betita! Não é pra qq um saber que se está com uma doença tão grave e encará-la de frente, sabendo tudo. Eu já passei por experiência semelhante, e tb enfrentei, apesar de ter tido a sorte de não ter precisado de quimio, nem sei como, já que meu câncer era tb bastante grave...coisas inexplicáveis que não se entende, apenas se aceita e se luta... Que teu amigo receba minha positividade e tenha muita força para superar a doença. Ele há de conseguir. O mais importante é a força interior. E isso, ele tem. Abraços a ele, beijos pra vc,

pensandoemfamilia disse...

Olá Querida
Momento dificil, confrontar, reagir, seguir em frente pois a vida segue seu curso. Sermos amigos, solidários é uma atoo de amor. Desejo força e serenidade.

bjs

Gina disse...

Nesses momentos é que a gente vê como está nossa coragem para enfrentar os desafios.
Acredito, sinceramente, na força do pensamento positivo e no esclarecimento como forma de saber de tudo que se passa e o que pode ser feito. Os amigos também fazem muita diferença.
O que vemos por aí está mais para "se podemos complicar, para que facilitar?"... Mas existem desafios pessoais que nos fazem refletir, puxam o nosso tapete e nos deixam valorizar as coisas simples da vida.
Bjs.

Kelly disse...

Adoro gente assim, capaz de se auto curar pelo pensamento positivo e força de vontade. Fiquei feliz mesmo sem conhecer seu amigo, força e saúde a ele. beijos

lolipop disse...

Dificil encontrar palavras para tudo isso, Beth. Admiro aqueles que enfrentam essa luta com coragem...nós não somos nada simples...
Desejo a maior força a esse seu amigo!
Carinhos

welze disse...

espero que o melhor aconteça com seu amigo. doença deixa a gente sem chão, mas não podemos nos dar ao luxo de parar. a vida continua e temos que ir em frente. desejo para você e família um ano de muita luz, alegria e saúde. um abração.

Lúcia Soares disse...

Beth, não sei se teria forças para enfrrentar tranquilamente uma doença como o câncer.
Que seu amigo se recupere plenamente.
Dentro de nossa complexidade, simplificar e enfrentar é preciso.
Beijos!

Tati Pastorello disse...

OI Beth, adorei a frase e achei-a sábia. Para que fingir que somos simples? Se nos entendemos como seres complexos já paramos de simplificar, e tudo está entendido. Ou não! :)
Que seu amigo se saia bem dessa, que passe de peito aberto pela tormenta e fique bem. É bom quando ouvimos lições como estas.
Fico encantada também com o que passam do José Alencar. Ele pedir um pedaço de panetone: "por que é Natal", sonhar em descer a rampa, na posse. Acho um grande exemplo!
Obrigada por compartilhar esta história. Beijos.