.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

domingo, 26 de dezembro de 2010

Tentando reinventar



Natal.  Ah, se eu pudesse reinventava esta data!  Fazia tudo muito simples e sem obrigações, sem correria, sem reclamações, sem stress, sem rituais, sem exageros principalmente.

Mas, de uma certa forma, eu já fiz isso este ano.  Pelo menos no que se refere ao stress e os exageros à mesa, pois não fui além daquilo que fizemos e consumimos quase tudo, apenas algumas rabanadas e uma torta pela metade, foram doadas ao lixeiro que passava na tarde de ontem pela rua e que ficou muito feliz em ter algo para tomar seu café da tarde. Tivemos um natal de quietude e muito descanso.  As frutas foram transformadas hoje em uma bela salada de frutas, super digestiva e cheia de fibras e a bacalhoada da noite, virou um bacalhau com creme no sábado. 

Reinventar tradições num país calcado num pluralismo religioso baseado no cristianismo, causando aos não adeptos um certo constrangimento, é meio impossível, afinal não há como fugir aos que se expressam em votos através de palavras ligadas às suas próprias crenças.  Eu preferiria que me desejassem apenas que fosse feliz, que tivesse muita saúde e paz no coração.  É só isso,  ou tudo isso,  que desejo para mim e para as outras pessoas.

Quantos comentários verdadeiros e profundos pude ler nestes dias, mas um em especial, resume tudo o que penso sobre esta data e toda esta ressaca de consumo que leva as pessoas a transformarem um momento tão bonito e simbólico em algo cansativo e repetitivo.  Abaixo o que a amiga Bombom escreveu:



"Sabes, Beth? O espírito do Natal é muito anterior ao nascimento de Jesus. Ele tem por base a festa do Solstício que os povos antigos sempre celebraram e os Nórdicos ainda hoje festejam. Depois já de Cristo ter morrido e ressuscitado, quando a Igreja Católica se institucionalizou, aproveitou essa festa para celebrar o nascimento do Menino Jesus. E a força do Amor virou esse cometa de que falas!
claro que depois vêm os exageros, o folclore, a ostentação e tudo o mais que não tem nada a ver com o Amor...Mas isso é o reverso da medalha..."



E a vida segue num cotidiano de injustiças sociais, mortes absurdas, desvalorização do humano e tantas tristezas mais,  tudo porque na verdade não conseguimos fazer o sentido do Natal dentro de nós mesmos, apenas repetindo os rituais mecanicamente como o robô que a amiga Glorinha nos contou aqui.



And so this is Christmas (Então é Natal)
For weak and for strong (Para os fracos e os fortes)
For rich ones and poor ones (Para os ricos e os pobres)
The world is so wrong (O mundo é tão errado)

And so Happy Christmas (Então Feliz Natal)
For black and for whites (Para negros e brancos)
For yellows and red ones (Para amarelos e vermelhos)
Let’s stop all the fight (Vamos parar de brigar)




E o nosso natal, posso dizer-lhes que foi verdadeiramente muito bom este ano.





 

14 comentários:

Lucia Cintra disse...

E pq nao reinventa-lo? Eu faco isso todo ano, pois odeio me sentir obrigada a fazer algo. Tanto que so pra dar um exemplo, devido a correria do meu negocio, nao mandei cartao pra ninguem, nem me senti mal com isso. Acho que a atencao e carinho devem ser dadas ao longo do ano todo e nao so no final dele... E isso eu faco de sobra.

Espero que voce tenha tido um dia gostoso ao lado daqueles que ama! Isso eh o importante da data, nada mais, nao eh?

bjos com carinho, Lu

Bia disse...

Oi Beth! Como foi de Natal?!

Olha, concordo com vc, esse ano pesar de ter corrido um pouquinho quando cheguei, eu me concentrei muito mais no sentimento muito bom de poder ter vindo para casa e estar com a familia no Natal, do que em presente e esses montes de porcarias que eles fazendo do Natal.

bjs

Chica disse...

O meu tb foi legal com a família e simplicidade...beijos,chica

Misturação - Ana Karla disse...

Esse espírito de Natal deveria existir durante todo o ano dentro de cada um. Depois tudo continua como antes.
Também achei gostei do que disse.
O meu Natal também foi mais simples e quase sem rituais.

Bom dia Beth!

Xeros

Bordados e Retalhos disse...

Beth me senti feliz e esperançosa ao ler seu post. Acho que se an gente reinventar o Natal podemos ter um mundo melhor. Bjs querida.

pensandoemfamilia disse...

Bom dia querida
Reinventar, é uma sabedoria movida pela vontade de se mantaer qualidade em nossosvidas. parabéns por esta conquista que é exemplo da possibilidade de se reinventar sempre , o que muito mais saudável do que apenas lamentarmos.
O meu Natal também foi tranquilo e entre pessoas queridas, além da missa que foi linda em seu ritual e clima.
Que o espírito natalino prevvalece entre nós em sua verdadeira essência ( renascer da esperança e Amor ).

Glorinha L de Lion disse...

Pois é Betita, esse descaso pela descrença alheia, beira as raias do desrespeito. Quase todos os que me conhecem sabem que sou atéia e vem me falar em Jesus, em Deus, em Maria etc,etc...Que cada um tenha suas crenças e respeite quem não as tem. Natal pra mim é motivo de reunião com a família e de repensarmos nossa vida, só porque está perto do que se institucionalizou como o início de novo ano. Acho tudo uma grande bobagem e não saio por aí desejando a quem tem fé ou crê que "não acredite em nada" ou que abandone sua fé...Porque então as pessoas se sentem no direito de vir falar em Cristo comigo? Sinceramente, acho isso um enorme desrespeito a mim e a quem não tem crença. É uma festa cristã, como bem disse a amada Bombom, pq a Igreja pegou a data do solstício, uma festa pagã, e a integrou ao cristianismo, aliás, como faz até hj se apossando de tudo em prol da propagação da fé.
Muito bom seu post que veio corroborar e acrescentar ao meu a questão da religiosidade e da falta de respeito de alguns. beijos,

Lu Souza Brito disse...

Olá Beth,

O mundo "carece" dessa reinvenção. Eu posso dizer que este Natal foi o melhor dos últimos 4 anos em que passo aqui com a familia do marido, justo por este motivo. Foi tudo muito simples, mas estávamos mais ligados uns aos outros, mais harmoniosos. Foram dias e momentos de alegria, de ajuda mútua, de amor.
A ceia também foi básica - nao por nao ter condições financeiras, mas por nao achar necessário os exageros. Eu fiz um bolo, e a sobremesa principal também foi frutas in natura e salada de frutas. No almoço a mesma coisa.
Não houve troca de presentes, já que cada um sabia das necessidades e dificuldades dos outros, por isso, meus "agrados" dei no decorrer do mês, sem aguardar o dia 25/12.
Reiventar é necessário!
Um grande beijo!

Beta disse...

Olá!
Chegando para te desejar que 2011 venha repleto de surpresas maravilhosas p vc!!

Aproveito para informar que, para abrir maravilhosamente este novo ano, o Mix e a Andros Editora estão com uma mega promoção imperdível!
Passe lá: http://www.mixculturainformacaoearte.com/2010/12/mega-promocao-andros-editora-e-blogs.html

Aviso tb que:
PERCEBI, VISITANDO MEUS SEGUIDORES E OS BLOGS QUE SIGO, QUE NÃO ESTOU COMO SEGUIDOR DA MAIORIA DELES. E NÃO CONSIGO SEGUIR, DIZ QUE O DONO DO BLOG ME BLOQUEOU...
QUERIDOS ESTOU SEGUINDO VOCÊS SIM VIU? SÓ NÃO CONSIGO MAIS ME INSCREVER NOVAMENTE NOS SEGUIDORES...

Liza Souza disse...

Ei Beth!
Seria bom um natal onde as pessoas nao estivessem tao preocupadas em comprar, presentear, consumir. Acho que essa reinvencao só depende da gente. Por aqui tudo foi muito simples também, mas cheio de amor e cercado de pensamentos e sentimentos bons que é o que mais importa sempre.
Beijos

Bombom disse...

Olá, Beth! Sempre a fazer-nos reflectir sobre as realidades da Vida!
Pois então, reinventemos as Festas Natalícias!
Gostei da ideia da Lu Sousa Brito, de um Natal sem troca de prendas.
Este hábito está muito arreigado na maioria das pessoas. Eu própria não gosto de "prendas" caras, mas gosto muito de confeccionar os miminhos que ofereço à família toda nesta data. Também vou ter de me redireccionar (he,he)!
BJs. Bombom

Lúcia Soares disse...

O meu Natal foi bom, em família, mais um ano com minha Mãe, graças a Deus.
Saí desse consumismo há muito tempo, sem presentear a torto e a direito, sem profusão de enfeites em casa, sem ceia que as sobras duram 3 dias...
Tudo foi na medida certa, com paz e amor em nossos corações.
Já reinventei o Natal há anos!
Beijos!

Maria Célia disse...

Olá Beth
Adorei seu texto, sua opinião. Sou também adepta da simplicidade. Estou cansada dos exageros, das obrigações que estão embutidas no natal, que deixou de ser prazer e alegria.
Po que somos forçadas a ser solidárias, fraternas só nesta época? E os outros 11 meses do ano, como ficam?
Este ano, graças a Deus, consegui cortar um tanto de coisas, apesar dos protestos de muitos.
Ainda precisamos simplificar mais, aos poucos vamos conseguindo.
Beijo

Fernanda Reali disse...

Obrigada pelo comentário gentil no meu blog. Vim retribuir e vejo este post sensato e claro. Fiz exatamente o que diz aí. Gostoso, mas sem excessos. De voa qualidade, mas simples. Assim foi nosso natal. Faz mais de um ano que optei por isso, viver de um jeito mais simples. Muito bom!

beijooo