.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

A vida só é possível reinventada



"- Houve um tempo em que a minha janela se abria para um chalé. Na ponta do chalé brilhava um grande ovo de louça azul. Nesse ovo costumava pousar um pombo branco. Ora, nos dias límpidos, quando o céu ficava da mesma cor do ovo de louça, o pombo parecia pousado no ar. Eu era criança, achava essa ilusão maravilhosa, e sentia-me completamente feliz.(...)" 





"- Houve um tempo em que minha janela se abria para um terreiro, onde uma vasta mangueira alargava sua copa redonda. À sombra da árvore, numa esteira, passava quase todo o dia sentada uma mulher, cercada de crianças. E contava histórias. Eu não a podia ouvir (...) foi muito longe, num idioma difícil. Mas as crianças tinham tal expressão no rosto, e às vezes faziam com as mãos arabescos tão compreensíveis, que eu participava do auditório, (...) - e me sentia completamente feliz.(...)"



"- Houve um tempo em que a minha janela dava para um canal. No canal oscilava um barco. Um barco carregado de flores. Para onde iam aquelas flores? Quem as comprava? Em que jarra, em que sala, diante de quem brilhariam, na sua breve existência? E que mãos as tinham criado? E que pessoas iam sorrir de alegria ao recebê-las? Eu não era mais criança, porém minha alma ficava completamente feliz.(...)"



"- Às vezes abro a janela e encontro o jasmineiro em flor. Outras vezes encontro nuvens espessas. Avisto crianças que vão para escola. Pardais que pulam pelo muro. Gatos que abrem e fecham os olhos, sonhando com pardais. Borboletas brancas, duas a duas, como refletidas no espelho do ar. Marimbondos: que sempre me parecem personagens de Lope de Vega. Às vezes, um galo canta. Às vezes, um avião passa. Tudo está certo, no seu lugar, cumprindo o seu destino. E eu me sinto completamente feliz."
 




(Cecília Meirelles)


A semana começa e o texto desta maravilhosa escritora e poetisa brasileira serve para nos encher de esperança, perceber que a vida continua do lado de fora de nossas janelas e que para esta integração, e possível felicidade, temos que olhar e ter olhos de perceber tudo isto, afinal como diz o título "A vida só é possível reinventada". 






19 comentários:

Tati Pastorello disse...

Oi Beth, posso entender o texto como um presente para mim? Posso me dá-lo? Me dedicá-lo hoje? Há palavras que precisamos ouvir, certas vezes, para termos coragem de romper amarras. Muitas vezes sentimo-nos tão ancorados a elas, dependentes sem saber por que. Hoje é isso que quero. A poesia, a alma leve. A certeza de que o incerto me faz mais feliz. Quero minha aprovação, mesmo em meio a desaprovações.
Este texto foi doce em meus ouvidos na manhã de hoje.
Obrigada! Um beijo.

pensandoemfamilia disse...

Oi Beth
Bom dia

Que bela esta poesia, eu não a conhecia. Como é importante a nossa percepção da beleza da vida.
Os olhos são as janelas da alma,já dizia o poeta e que eles possam reter o belo e transbordar a felicidade.

AC disse...

O texto é mesmo maravilhoso...!
Uma boa semana também para si!

Beijo :)

Bordados e Retalhos disse...

Beth, penso, quando leio esse texto da Cecília Meireles, qua a vida acontece e continua além da janela. Basta querer abri-la. A semana começou muito bem aqui no Mãe Gaia. Bjs

Glorinha L de Lion disse...

Beth que lindo! Linda maneira de começar a semana! Cecília e essas fotos maravilhosas...refletir, pensar, não é uma maneira totalmente nova de ver a vida a cada dia?
Beijo grande minha amiga. Vc é demais!

Heloísa disse...

Beth,
Que texto lindo.
Na verdade, a chave de tudo está no nosso olhar . Na nossa forma de olhar e, melhor dizendo, de enxergar.
Beijos

Não notei que havia sumido. Mas foi pena não ter recebido seu telefonema.

Bia disse...

Adoro Cecília Meirelles!

E esse textos inspira renovação para esse começo de semana! :)

Boa semana, Beth!

bjs

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Que lindo texto, Beth. Eu adoro Cecília Meireles.

É mesmo...a paisagem sempre muda... sempre podemos ter e ver um mundo diferente à nossa janela.
Nem tudo que vemos entendemos...mas tudo muda!
Precisamos é aprender a olhar pela janela certa, com a melhor paisagem para nossa vida.

(Beth, que linda essa foto que vc tirou).

bjs e boa semana

Manuela Freitas disse...

Hoje é a segunda vez que venho aqui. Hoje até estou num dia «chato», fui extrair um dente e a gengiva foi suturada e o título do teu post me captou: A vida só é possível reinventada! O texto é de facto belíssimo, Cecília é uma escritora que eu muito admiro, ela tem o poder de dar elevação à vida, algo que nem sempre consigo!...
Beijinhos e obrigada por tão estimulante texto.
Manú

Lúcia Soares disse...

Beth, Cecília Meireles é essa ternura. Lá em Portugal a Manu sabe dela.
Aqui no Brasil, sua terra, pouca gente sabe, principalmente da nova geração. Talvez a conheçam de nome, mas não de ler. Ler muito.
Por isso é tão bom que se divulgue coisas boas.
Beijos!

Lu Souza Brito disse...

Este texto é da Cecilia, mas bem que fala de um pouco de todos nós né Beth???
Lindo...lindo!

Beijos

Kelly disse...

Sim Beth, a vida continua apesar das paisagens se modificarem do lado de fora. beijos

Nilce disse...

Texto lindo, Beth!

Diz tudo mesmo.
Vamos reinventar a vida para melhor vivê-la.
Obrigada por compartilhar.

Bjs no coração!

Nilce

Wilma disse...

O bonito da vida é esta chance de se reinventar sempre. O lindo texto da C.Meireles me faz lembrar de uma professora de Português,que conquistou-me com um texto da autora que lembro sempre: Escola de Bem-te-Vis...(eu quase via os pássaros soletrando, rsrsrs, encantador.)
O Livro que comprei me conquistou pela capa e pela primeira frase, parece ser bom mesmo!!

ManDrag disse...

E para reinventar tudo basta abrir os olhos da alma e sonhar o mundo. E sonhar a vida. E sonhar o sonho.

Abraços

Barbie Girl disse...

Gente que maravilha, que delicado, que verdadeiro, que necessário!

Acho que é isso mesmo, é preciso nos reiventar todos os dias, apagar as coisas ruins e encarar como amadurecimento, aprendizado e evoluir, ser feliz, quebrar barreiras e superar obstáculos...
É Beth, você foi fundo, tocou minha alma!

beijos

Marilac disse...

Oii Beth,
Que post lindo!
Que texto maravilhoso!
A minha janela se abre para um terreiro com varias mangueiras e com quanta sensibilidade Clarice Lispector descreve a sensação de felicidade.Tão bom quando nos sentimos assim completamente feliz!
Acredito que precisamos resgatar esse dom, perceber a beleza que está ali diante de nós , pronta para nos encantar , como a nos dizer que a vida é bela!Essencial abrir o coração e saber olhar.

E vc Beth com sua sensibilidade nos presenteou com essa belissima seleção de imagens e palavras.

abraços,
Marilac

ps: no corre corre nem sempre comento, mas sempre venho aqui

Marilac disse...

Beth,
peço desculpas, troquei o nome de Cecilia Meireles ao comentar, é que havia acabado de ler sobre Clarice Lispector..rss
abraços
Marilac

Bombom disse...

Adorei! Mas fiquei sem palavras. Ou melhor, elas afundaram no meu coração! Obrigada por estes momentos mágicos que me tens proporcionado. Bem Hajas! Bjs. Bombom