.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Você sabe o que é?

















Armas

- Qual a mais forte das armas,
a mais firme, a mais certeira?
A lança, a espada, a clavina,
ou a funda aventureira?
A pistola? O bacamarte?
A espingarda, ou a flecha?
O canhão que em praça forte
faz em dez minutos brecha?
- Qual a mais firme das armas? -
O terçado, a fisga, o chuço,
o dardo, a maça, o virote?
A faca, o florete, o laço,
o punhal, ou o chifarote?
A mais tremenda das armas,
pior que a durindana,
atentei, meus bons amigos:
se apelida: - a língua humana.



Fagundes Varela
(1841-1875)

12 comentários:

Mila Viegas disse...

Uau... essa foi certeira mesmo! rs
Beijos!

Liza Souza disse...

Adorei e deu certinho com meu post de ontem.
Obrigada pelo carinho!
Beijos

Dani dutch disse...

WEb-mãe é incrivel, como simples palavras podem doer mais que uma surra, tenho casos na familía que na verdade todos fogem deles..
Tento ao máximo me policiar de não dizer aos outros palavras amarguradas... bjuss e otimo dia

Françoise disse...

Já dizia minha vózinha querida: "Cuidado pra não morder a língua minha filha..."
Poema certeiro e valoroso!!
Bjoss
Fran

Lu Souza Brito disse...

Nossa Beth, ahahah. Verdade mesmo.
Mas a lingua humana pode ser uma arma do mal como uma arma do bem também! Pra dar consolo, incentivo, enfim!
Adorei a fotinha do menininho fazendo careta!

Dani Etoile disse...

Beth, Acertou em cheio! E com ela, não há arma que de conta!
Um beijinho desarmado :)
Dani

RoCosta disse...

Lembrou-me um provérbio chinês: Há três coisas na vida que nunca voltam atrás: a flecha lançada, a palavra pronunciada e a oportunidade perdida.
Beijos, muitos!

Glorinha L de Lion disse...

Oi Web mana! Caramba! Essa foi forte...a língua açoita quem fala tb...e eu sei disso, pq depois que se fala...dói na gente tb...mas aí, babau...tarde demais...
Há um provérbio russo que diz:Palavra que se solta, não se engole outra vez.
Estou tentando aprender amiga...pior é quem nem sabe que é assim...esses coitados, vão morrer sozinhos...
Beijos silenciosos...

Mari disse...

É mesmo! E que arma!

Bordados e Retalhos disse...

Adorei ler esse poema aqui. Lindo demais e muito atual e verdadeiro. Obrigada amiga pelas comentário carinhoso em meu dia nublado. bjs

Lúcia Soares disse...

Sempre ouvi isso, Beth, e é verdade demais!
Tenho a língua afiada, se me pisam no calo, mas aprendi que não vale muito a pena.
Agora, língua afiada de fofocas, nunca foi meu forte.
Às vezes o silêncio é a melhor arma a ser usada.
Bj

ML disse...

Palavras certas precisam de e d u c a ç ã o!

Quem quiser aprender, que venha até... aqui!

bjnhs e parabéns!