.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Cativar = Criar laços = Ser paciente


Tenho dois excelentes livros para ler nestes dias aqui na serra, mas não sei porquê resolvi folhear alguns livros que já li e que ficaram na casa, agrupados sobre uma estante, e que volta e meio pego um deles e releio trechos, aqueles que mais gostei, que deixei sublinhado como tendo alguma importância para ser relembrado um dia ou sempre.  

Hoje, as palavras da sábia raposa ao principezinho encheram-me de emoção novamente, pois é sempre maravilhoso rever frases tão simples mas tão cheias de significado e afeto como estas:

"... _ A gente só conhece bem as coisas que cativou, disse a raposa.  Os homens não têm mais tempo de conhecer coisa alguma.  Compram tudo prontinho nas lojas.  Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm mais amigos.  Se tu queres um amigo, cativa-me!
_ Que é preciso fazer?  perguntou o principezinho.
_ É preciso ser paciente, respondeu a raposa.  Tu te sentarás primeiro um pouco longe de mim, assim, na relva. 
Eu te olharei com o canto do olho e tu não dirás nada.  A linguagem é uma fonte de mal-entendidos.  Mas, cada dia, te sentarás mais perto ...

No dia seguinte o principezinho voltou.
_ Teria sido melhor voltares à mesma hora, disse a raposa. Se tu vens, por exemplo, às quatro da tarde, desde as três eu começarei a ser feliz.  Quanto mais a hora for chegando, mais eu me sentirei feliz.  Às quatro horas, então, estarei inquieta e agitada:  descobrirei o preço da felicidade!  ..."


E eu lhes pergunto: já sentiram esta sensação que a raposa descreve, esta ansiedade para chegar a hora e estar feliz ao lado de alguém que tanto espera, podendo ser um amor, um filho(a) ou um amigo(a)?


23 comentários:

Silvia Masc disse...

Eu sou muito feliz ao lado de um alguém que está muito longe, mas esse mesmo autor disse em um dos seus livros - "Longe é um lugar que não existe".
beijinho com saudade.Aliás, o que mais sinto esses dias é saudade!snif...

Luciana Håland disse...

Beth, eu também andei super ocupada, e uns blogs dando problema pra gente conseguir deixar comentário também. Tenho uma amiga que gosta do seu blog, mas ela disse que não tem conseguido abrir o blog e correr com ele, pois trava. Mas deve ter sido essa semana que as coisas não funcionaram bem mesmo na blogosfera, semana que vem a gente ver se melhora.
Um dos trechos que eu também destaco no texto que você postou é: "A linguagem é uma fonte de mal-entendidos". Nossa, e como é.

Acho que todos sentem essa ansiedade de estar/encontrar/descobrir quem amamos, ou até de alguém para amar.

Beijo e aproveite muito esse seu paraíso aí na serra.

Luciana Håland disse...

Beth, eu também andei super ocupada, e uns blogs dando problema pra gente conseguir deixar comentário também. Tenho uma amiga que gosta do seu blog, mas ela disse que não tem conseguido abrir o blog e correr com ele, pois trava. Mas deve ter sido essa semana que as coisas não funcionaram bem mesmo na blogosfera, semana que vem a gente ver se melhora.
Um dos trechos que eu também destaco no texto que você postou é: "A linguagem é uma fonte de mal-entendidos". Nossa, e como é.

Acho que todos sentem essa ansiedade de estar/encontrar/descobrir quem amamos, ou até de alguém para amar.

Beijo e aproveite muito esse seu paraíso aí na serra.

Mari disse...

Esse livro é todo belo!

Já, já me senti assim. Ainda mais que moro longe da família, esse sentimento de ansiedade aumenta qd visito o Brasil. E aqui, tenho poucos mas bons amigos, e não nos encontramos sempre, mas é só nos encontrar e jogar conversa fora que o dia fica mt mais leve.Me sinto feliz desse jeitinho,sim!

Bjs

Isabel disse...

Beth,
esse livro é mágico. Em cada página uma pérola! Esse trecho que você escolheu é lindo. E claro, quem não sentiu essa ansiedade boa antes do encontro?
Bjs

Georgia disse...

Beth, há poucos dias li O pequeno Principe e até postei no O que elas estao lendo. O Daniel o leu e achou incrível o diálogo do menino com a raposa.

Seu coracao está ansioso por alguma coisa, dá para perceber isso.

Algo que eu possa fazer para ajudar?

Amizade é um bem precioso mas que infelizmente as pessoas nao estao se dando conta do que elas estao deixando escapar. Aqui mesmo na blogesfera damos tanto valor a umas e desprezamos as amizades antigas, do comecinho...essas coisas. Eu digo que numa amizade sao sempre os dois lados. Um lado que vê a outra ir se afastando, nao aparece mais, nao responde mais aos chamados e a outra que vê a amiga ir cada vez mais se afastando sem conseguir entrar no mundo da outra para ajudá-la. Se corre tanto atrás de tantas pessoas enquanto que o tesoura de uma amizade sincera deixamos escapar.

Umbeijo na alma

Kálita disse...

Eu jááááááá! E sempre....sinto isso ao esperar meu marido chegar de algum compromisso, ao esperar visitas em casa, ao esperar amigos em algum lugar...sinto isso ao esperar que uma vida aconteça dentro de mim...
Sempre sinto isso!
Ahm e amo o pequeno principe.

Beijos

Renata Boechat disse...

Bom dia!

É uma pena que os seres humanos que o mundo moderno tem fabricado não consigam mais ter a paciência de cativar o próximo!

Queremos hoje amigos, amores, relacionamentos fast food, tudo prét-à-porter, de preferencia embrulhado pra presente...como se merecêssemos...sábia raposa!

Vivi disse...

Ja senti tantasssssssss vezes!!!!
Esse livro é muito lindo mesmo!!!
bjs

RoCosta disse...

Sim... muitas vezes... É uma sensação agridoce!
Beijos, muitos!

disse...

"O Pequeno Príncipe", tantas lições nesse livrinho. Tenho uma coleção dele em vários idiomas. Um presente para a humanidade. Eu assumidamente sou uma ansiosa pelo amor e pela felicidade. Grande beijo!!!

Glorinha L de Lion disse...

Oi web mana, o Pequeno Príncipe foi, durante, muitos anos a minha bíblia....pois está tudo lá...a vida, a morte, o amor, a amizade, o bem, o mal....eu sabia trechos de cor, hoje, continua atual e cheio de ensinamentos...todos temos alguém ou muitos a quem esperar...outras vezes se espera por algo que não vem....e assim é a vida e nós, pequenos príncipes desse planeta esquecemos que somos responsáveis pela rosa, pela única rosa que nasceu no nosso jardim...
bjs.

Bordados e Retalhos disse...

O Pequeno Príncipe é uma obra para qualquer tempo e qualquer idade. Acredito que vc interpreta dependendo do seu estado de espírito e do que vc esteja vivendo no momento. É simplesmente lindo! Bjs amiga

Lucia Cintra disse...

Eu ja, muitas e muitas vezes, ainda mais morando longe dos amigos e dos parentes. bjos

Eduardo disse...

Beth, essa ansiedade pela alegria que esta por vir eh muito boa pois prepara para o momento quando ela ocorre e entao sente-se muito mais. Ja senti isso muitas vezes e eh sempre muito bom. Precisamos continuar nos esforcando para cativar as pessoas e fazer amigos; esta eh a grande riqueza que temos na vida. Vou procurar a raposa.
Um abraco

Françoise disse...

Adoro este trecho do pequeno príncipe, lembro dele na ponta da língua..... Que delícia revê-lo aqui.
Bom fim de semana ,
Fran

Lúcia Soares disse...

Beth, este é um dos trechos que sempre me vem à memória, e logo em seguida: "Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas",que a raposa dirá para o menino.
E o que a Georgia disse também me incomoda muito, o quanto nos afastamos de pessoas que nos fazem bem. Também acho que as pessoas não andam dando chances umas às outras, principalmente na blogosfera, e vão deixando passar belas amizades. Falo por mim...
Bj

manuel marques disse...

Lindíssimo texto ,hoje dia mundial do livro.
Amei.

Beijo.

Astrid Annabelle disse...

Olá Beth!
Gosto de viver a vida com uma alegre expectativa...
Este livro realmente é maravilhoso...
Belíssimo post!
Estou feliz por ter conseguido publicar um comentário hoje aqui...estava complicado...coisas do São Blogger!!!rsrsrs
Tenha um excelente final de semana!
Beijo
Astrid Annabelle

Marilac disse...

Beth,
Esse livro é maravilhoso, e esse trechinho é um dos meus preferidos também.
Respondendo a sua pergunta:Sim,eu já me senti assim !!!
Meu noivo Manuel vive tão distante em Lisboa ,sentimos muitas saudades!Graças a Deus existe skype, msn, e-mail, e assim vamos nos fazendo presentes na vida um do outro.

Uma querida amiga a Ana Jácomo tem um lindo texto sobre amores distantes onde diz: "Acontece que, por uma fantástica capacidade do amor, nós conseguimos estar próximos mesmo quando não estamos. O sentimento não tem paredes, já notou?"

bjs
Marilac

novavidanovelhomundo disse...

Primeiro de tudo: como é que o livro Pequeno Príncipe nunca envelhece, né? Sempre tão atual...
E sim, nessa vida entre Brasil e Suécia eu sempre deixo uma parte de mim em algum lugar. Ontem ainda minha mãe me enviou a cópia da recém-comprada passagem dela pra Suécia e já fez meus 2 meses de espera mais felizes! Desde ontem estou feliz e fazendo planos pra daqui há 2 meses, pode?
E quando eu e o Erik estamos separados mesmo (o máximo foi 8 meses, haja coracão), só com uma data para o próximo reencontro marcada a gente sossega um pouco.
Beijos e bom sabadão!

ML disse...

Várias vezes, Beth, e como a felicidade realmente existe. Confiança é amor verdadeiro.

bjnhs

orvalho do ceu disse...

Olá, que post mais lindo!
É tudo que gosto de viver esse sentimento de "ansiedade" tão bonita...
Obrigado pelo post.
Bjs