.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Viagens e percalços





Neste domingo à tarde fomos visitar um amigo que está se restabelecendo de uma cirurgia inesperada.


Ele estava com a mulher em Nice, visitando o filho que lá mora e preparando-se para um agradável passeio à região das  Lavandas, quando abaixou-se para amarrar o tênis. Ao levantar-se sentiu uma dor insuportável no peito e começou a suar forte, mesmo com o frio de novembro e a dor a aumentar assustadoramente. 
Levado a um hospital público, os médicos descobriram que ele havia rompido uma veia na região pulmonar e a dor e queimação foi porque seu peito ficou tomado pelo sangue que perdeu, cerca de 4 litros, fazendo então com que a situação passasse para um estado de inconsciência que ficou por aproximadamente 20 dias.
Sua vida ficou presa a uma máquina e a preocupação dos médicos e de sua mulher e filho era que ele não sobrevivesse quando retirassem o aparelho que o sustentava vivo.

O fato é que este amigo, embora tenha seus 60 e poucos anos, sempre foi um homem dinâmico, trabalhador, estudioso, gostava de caminhar todas as manhãs antes de ir para o trabalho, nunca fumou ou bebeu e tinha uma vida saudável e plena. Este ocorrido, que nos pareceu um verdadeiro absurdo acontecer com uma pessoa normal como ele, deixou-nos deveras assustados, pois vemos que realmente somos frágeis, que nunca pensamos que algo assim possa nos acontecer e que por termos uma vida saudável, estaremos isentos destes sustos.  Mas, vale a pena ter uma vida saudável, pois nestas horas é que vemos a reviravolta que o corpo faz para debelar infecções, ultrapassar as delicadas cirurgias como esta, em que por ter perdido muito sangue, precisou que abrissem toda sua caixa toráxica para secar o sangue espalhado e depois costuraram suas veias, num trabalho delicado e de alto risco.

E você que me lê, deve estar pensando, como foi que eles se viraram para pagar uma UTI na França quando de viagem, certo!

Aí está o X da questão, pois sua mulher, que já fora antes à França e viaja vez ou outra com ele para outros lugares do mundo, não deixou de fazer o tal  "seguro de saúde para viagens internacionais", coisa que algumas pessoas desprezam quando vão em viagem para o exterior.  Vejam como foi importante e salvadora esta atitude, pois sem ele, não teria como ser atendido num hospital público e de excelência como este lá na França e, mesmo eles tendo que pagar uma certa quantia ainda, por fora, já que passou do valor definido pelo seguro, ainda assim foi super importante este ato que fizeram quando sairam do Brasil.  Assim que ele sentiu as dores fortes no peito e sua mulher pensou até que ele estivesse infartando, ela ligou para o número da Seguradora e ali foi informada para onde deveria levá-lo imediatamente.
Ela nos disse hoje, que a diária deste hospital estava em 2400 Euros, uma verdadeira pedrada para quem não está preparado para uma situação dessas.  O seguro tratou de toda internação, medicamentos, inclusive definindo o aparato de transporte da França para o Brasil com acompanhamento de equipe médica e equipamentos de oxigênio e outras coisas.

Nosso amigo chegou ontem e está se recuperando muito bem em sua casa de Petrópolis, um pouco fragilizado com tudo por que passou,  ainda levará uns dois meses para uma total recuperação, mas está vivo e muito feliz em estar de volta, sem sequelas.

Quanto ao fato, resolvi contar por aqui para alertar a todos os amigos que viajam para o exterior ou vice-versa, que não deixem de fazer o importante seguro e que é muito barato, comparado à dor de cabeça, além dos gastos, que poderá ter numa possível eventualidade como esta ou até mesmo um pé quebrado, coisas que não desejo para nenhum de vocês, mas tem que estar dentro de nossa realidade.
Lembrem-se: Seguro, morreu de velho!


(Imagem Corbis)

20 comentários:

Dani dutch disse...

OI web- mãe, tudo bem?
Eu também quando vim pra cá as duas vezes ( antes de me mudar de vez), me informei ao máximo sobre todas as medidas que poderiam ser tomadas para que minha viagem fosse o mais tranquilo possível, e comprei o seguro de saúde pra mim.
Desejo melhoras a ele.
Bjuss e boa semana

Dona Flor disse...

Ótima dica! A gente nunca sabe o que pode acontecer!
Quando minha mãe ou irmão vem pra cá, sempre fazemos pra eles uma carta-convite (pra evitar problemas na imigração) e um seguro-saúde. Pela ADAC custa apenas 30 euros e cobre até 30 mil euros em despesas hospitalares. É uma pechincha, comparado com os valores de hospitais e consultas médicas por aqui.
Espero que seu amigo já esteja melhor.
Beijos.

Silvia Masc disse...

Olá Querida,

Bom alerta, nunca mais deixei de fazer o seguro quando viajo, já que uma vez preicei usar um serviços de saúde americano, por uma razão longe da gravidade dessa do seu amigo, mas soube depois o custo, mas para minha sorte, a empresa para quem eu trabalhava pagou.

Dia especial hoje de recomeçar, trabalho novo, e muita espectativa, mas como trabalho em home Officing, posso dar uma figidinha de vez enquando, já que trabalhar em casa exige muita disciplina.

Beijo grande e uma ótima semana pra você.

Flávia e Anderson disse...

Bom dia!

nossa, sabia que existia esse seguro, mas não sabia que funcionasse dessa forma. talvez pela imagem que temos dos nossos aqui no Brasil. Não que sejam ruins, mas não são tão eficazes assim.

Legal o alerta. sorte ae pro amigo.

Glorinha Leão disse...

Caracas Beth, que situação!Eu fiz seguro e minha filha tb quando morou fora...o impossível acontece quando menos se espera...é como vc mesma disse:seguro morreu de velho, prevenir é melhor que remediar...
Ótima dica pra quem acha que as coisas não acontecem...Que bom que seu amigo está se recuperando bem...tomara que fique bom e sem nenhum problema!
Beijão

Meire disse...

Beth, eu realmente deveria ter lido este post e com certeza farei meu amrido ler. Sempre achamos que nada vai nos acontecer e aì esta a prova.
Parabens à esposa do teu amigo e muita saude pra ele.

Bjs

Meire

Natália disse...

Olá Betty.
Realmente quando não fazemos excessos e tratamos bem de nos supera-se tudo melhor.
Beijinhos e uma boa semana.

Mila Viegas disse...

Nossa, que coisa!
Amarrar um tênis e romper uma veia... Realmente somos frágeis! E vc tem toda razão quando diz que seguro morreu de velho, pois a gente nunca sabe o que pode acontecer.. Que bom que seu amigo está se recuperando bem.

beijinhos!

Elaine Maria disse...

Oi Beth! Saude pro seu amigo! Também acho importantíssimo o seguro, nunca se sabe, né?
Minha querida, depois de um loooooongo e tenebroso "inverno", somente agora estou passando aqui prá agradecer e retribuir seus votos de Boas Festas e Ano Novo. Não tenho passado por aqui nos últimos dias, mas saiba que o carinho que tenho por você e pelo seu blog é imenso, e que te desejo (ainda dá tempo?) um Ano Novo brilhante! Beijos, Elaine.

Lucia Cintra disse...

Nossa Web-mae, que coisa! Espero que ele esteja melhor mesmo!

Olha, eu sou daquelas que prepara tuuuudo! Devia ter seguido minha lista envez de ficar na espontanea dos outros quando fui pro Brasil, mas... isso nao da certo pra mim, rs. Eu sempre tenho seguro de saude de viagem, seguro de viagem se algo acontecer, tipo ela ser cancelada por qq motivo, etc, etc... Eh importantissimo mesmo, a gente nunca se sabe!

bjos

Lúcia Soares disse...

Oi, Beth. Que bom ter notícias boas do seu amigo. Você falou do caso dele em um outro post e todos que comentaram mandaram vibraçõs de sucesso pra ele, na recuperação. No dia em que você nos contou,ele estava em coma induzido, se não me engano. Torci muito para que desse tudo certo e graças a Deus, deu! Que bom!
Sobre o seguro-saúde, nem sabia, mas foi ótimo saber. Bj

Lu Souza Brito disse...

Olá Beth, que barra essa família passou não? Graças a Deus tudo esta se normalizando né?
Quanto ao seguro, eu sempre ofereço aos meus passageiros, mostrando a importancia de adquirí-lo, mas infelizmente tem gente que ainda pensa que queremos apenas "vender" um serviço a mais. É o tipo de gente que acha que nada lhes acontecerá. Já aconteceu casos semelhantes com clientes da agencia.

É importante esse seguro. É zeloso. É uma forma de viajar mais tranquilo. Quando se trata de Europa principalmente. Com o Tratado de Scheng, que exige seguro com cobertura minima de Eur 30.000,00, acho que caso a pessoa nao tenha, sequer consegue entrar no país.
Beijos
Lu

Renata Lopes Costa disse...

Nossa Beth, que história. Ainda bem que no final das contas deu tudo certo. Espero que ele se recupere bem!

Boa semana pra ti!
Um beijo!

Heloísa disse...

Beth,
Nós sempre temos esse cuidado quando vamos para o exterior. Mas, há pouco, fiquei sabendo que alguns tipos de cartão de crédito internacional, e alguns planos de saúde, também cobrem as despesas com saúde realizadas no exterior (desde que decorrentes de emergências).
Beijos.

ML disse...

Que história mais sinistra! O nosso corpo pode ser uma... bomba, né?

Que bom que seu amigo está melhor, Beth.

E super obrigada pela dica: eu NUNCA fiz o tal seguro, muita bobeira, né?

Vou falar com o namorido AGORA!

bjnhs

Wilma disse...

Beth, desejo que seu amigo tenha uma ótima recuperação. Foi muita sorte ter logo um bom diagnóstico, já imaginou uma veia rompida por dentro!!! Já fico com nervoso de imaginar. Quanto ao seguro, até pensei que fosse obrigatório para viagens internacionais,visto que a maioria dos planos daqui não cobrem no exterior. Pra viajar tranquila só com seguro e dos bons como esse do seu amigo.

Fernanda disse...

Beth, muito bem mencionado, a gente nunca sabe o que vai acontecer e o melhor eh sempre precaver. Fico feliz que seu amigo esteja se recuperando bem.
Beijinhos!

Ivana disse...

Bethinha, ainda bem que ele está se recuperando e já em casa...
Eu e Aurélio, não saímos do Brasil sem o seguro saúde contratado! A gente nunca sabe o que pode acontecer!
Excelente dica, Beth!
Beijos!

Sonia H disse...

Nossa, Beth, que coisa! Com certeza o bom atendimento o salvou, além, é claro, da vida saudável que seu amigo sempre levou: o não fumar, por exemplo.
Na última vez que viajamos para o exterior, fizemos um seguro sim - graças a Deus correu tudo bem, mas vai que não corre, não é?
Muito bom saber que ele está se recuperando bem. É uma história bonita de superação.
Beijos,

Georgia disse...

Betinha, que post mais que informativo. É isso mesmo, tem que fazer o seguro. Nós sempre fazemos, isso é super importante. Que bom que ele está bem e já está até em casa.

Beijao