.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

terça-feira, 24 de novembro de 2009

A história das coisas



Excelente vídeo sobre como funciona o sistema linear do capitalismo e como isso prejudica o planeta. Descobri numa comunidade lá do Orkut e trouxe para dividir com vocês, por considerá-lo incrível.

Conheçam a especialista internacional em sustentabilidade ambiental Annie Leonard.

Você descobrirá muitas coisas que não sabia ou que nunca havia pensado a respeito, assim como eu mesma.

Nestes dias que antecedem a 15a. Reunião da Convenção do Clima em Kopenhaguen, estarei colocando vídeos e textos sobre o assunto e este vídeo especialmente, apesar de longo, dá todo o detalhamento do que acontece com as coisas que compramos e para onde vão quando nos desfazemos. Leiam alguns trechos do interessante vídeo que, com certeza, lhe prenderá até o fim para saber muito mais e o impacto de tudo isso sobre a economia, o meio ambiente e a saúde.


“Ja se perguntou de onde vem todas as coisas que compramos e pra onde vão quando nos desfazemos delas?” “Como $4.99 podem refletir o custo da produção e transporte deste rádio até ele chegar nas minhas mãos? (…) Foi assim que eu me apercebi que eu não paguei o valor do rádio. Então, quem pagou? Estas pessoas (indicando o terceiro mundo) pagaram com a perda do espaço dos seus recursos naturais. Estas,(indicando a fábrica) pagaram com a perda do ar puro, com o aumento de doenças como asma e câncer. As crianças do Congo pagaram com o seu futuro, pois 30% delas abandonam a escola para trabalhar nas minas de coltan, um metal que usamos em aparelhos eletrônicos baratos e descartáveis. Estas pessoas pagaram por não terem direito ao seguro de saúde. Ao longo deste sistema, pessoas contribuíram para que eu comprasse o rádio por $4.99. Mas essas contribuições não são registradas por nenhum contabilista.”





14 comentários:

Luciana Håland disse...

Nossa, já assustei com o texto, realmente não sabemos dessas coisas, outro dia comecei a ver um outro vídeo, encontrei lá no blog de Camila o link, não lembro o nome, depois vou ver se encontro, até porque não vi tudo.
Quando chegar da escola passo aqui pra ver o video.
Beijo

Isabel disse...

Beth,
Este tema mexe muito comigo. Tenho pensado muito nisso ultimamente. Aqui cada vez abrem mais o que nós chamamos de "lojas do chinês", lojas em que imigrantes chineses vendem toda uma parafernália de coisas baratíssimas feitas na China, e que as pessoas vão a correr comprar sem pensar no que está por trás. Essas coisas, para chegarem aqui na Europa tão baratas, para pagarem o transporte da China até aqui e mesmo assim venderem tão barato é porque foram fabricadas por pessoas horrivelmente exploradas.
Nós lutamos há décadas pelos direitos dos nossos trabalhadores e agora as nossas fábricas fecham porque os produtos chineses invadem tudo e as nossas fábricas não conseguem concorrer com as fábricas chinesas que sobrevivem da exploração de seus trabalhadores.
Cada vez mais temos que ser consumidores conscientes e pensar antes de comprar!
Bjs

Heloísa disse...

Beth,
O vídeo é longo, mas é muito bom. Didático, nos faz pensar bastante nos perigos da economia moderna e do consumo excessivo.
Vale a pena divulgar.
Beijo.

Barbie Girl disse...

Seu blog além de interativo, nos deixa muito dentro das novas informações de um modo rápido e fácil!

Parabéns pelo post, Beth"

Bom dia! beijos

Ana disse...

É impressionante...
Uma reflexão necessária, cheia de humanidade e respeito pelo destino de cada um nesse nosso planeta tão conturbado...

Lúcia Soares disse...

Bom dia, Beth. Já conheço o vídeo mas vou rever. Sinto-me confortável em dizer que minha consciência é tranquila quanto a ser consumista (ou não ser).
Na realidade, não faço muito para que o planeta se restabeleça do que está perdendo, mas com certeza também não contribuo para tirar dele mais do que pode nos dar.
Tenho plena consciência de que alguma coisa tem que ser feita, mas não acredito muito em reuniões. O negócio é "botar a mão na massa". Cada um fazer a sua parte. Muito blá blá blá nunca levou a nada. (Tô chaaataaa! Melhor seria ficar calada!).
Denunciar, anunciar (como você está fazendo) também é necessário.
Juntos somos mais fortes.
Bj

Silvia Masc disse...

Sabe Beth, penso que o consumismo excessivo, por si só é nocivo à nós, aliando ao prejuizo ao planeta, realmente fica pior.
Obrigada por compartlhar informações tão boas.
beijinho

ML disse...

Que interessante, Beth.

É mesmo, a gente sempre esquece que alguém paga a conta.

Eu evito o quanto posso camelô e "made in China", mas meus tênis são feitos na RPC, algumas bolsas também, é difícil.

Parabéns por usar seu espaço cibernético em prol do todo.

bjnhs

Sonia H. disse...

Beth querida,
Volto aqui depois para ler com tudinho com calma!
Beijos,

Luma Rosa disse...

A forma acelerada como é apresentado o vídeo passa um pouco da neurose social e econômica da atualidade, por conta dos apelos publicitários que apresentam os produtos de forma efêmera de maneira a não nos preocuparmos com o futuro - que não seja do planeta, mas o que faremos com o produto depois de satisfeita a nossa ânsia de consumo? Existe a real necessidade de adquirir algo similar ao que já temos? Este estado de hipnose cega.
No tocante ao aleitamento materno, o video é muito pessimista, não concordo!
Sobre o pensamento, em geral, associado à mulher, de estar constantemente preocupada em "estar na moda" trabalha a psique, principalmente dos novos ricos, ã? (rs*)
Penso que as pessoas que mais necessitam assistir ao vídeo para aprender a lidar com o próprio consumo, não o fazem. Assim, estamos dando tiros n'água.
A sorte é que diante de um pensar global, pessoas conscientes sabem, que somado aqui e ali, pequenas ações, ao final, teremos algum resultado.
Boa semana! Beijus,

Camila Hareide disse...

Uma pena que a maioria do povo não entenda que esse vídeo é direcionado ao uso em escolas, pra conscientizar crianças e jovens, e não adultos que estão carecas de saber de tudo isso e ainda assim se enchem de sacolas plásticas com tudo o que compram... Eu já conheço esse vídeo, já havia postado lá no blog. Mas num mundo cada vez mais consumista e cheio de vidiotas, absorvendo as mensagens publicitárias COMPRE, BEBA, COMA, TROQUE TUDO QUE ESTÁ VELHO, fica difícil querer que os consumidores (especialmente os com maior poder aquisitivo) sejam críticos...

Enfim, a luta pela conscientização é diária e não podemos dar trégua nunca. Mudando a cabeça de um consumidor acéfalo, já é uma grande vitória...

Parabéns, Beth! Preciosa iniciativa!

Georgia disse...

Beth, uma verdadeira aula, pena que a apresentadora fala muito rápido e nao dá para ir assimilando os vários temas esplanados por ela. Mas muito importnate para nos abrir os olhos de tantas bobagens que se compra pela vida a fora. O pessoal nao quer mais saber de passar por exemplos os brinquedos usados e em bom estado para as outras criancas, nao. Tem que ser tudo novo sempre. Isso me irrita.
Leva esse seu post lá para o nosso blog do Movimento Natureza. Ele é fantástico!

Parabéns pela postagem, eu ando bem cansada, tô dando um tempo, sao os preparativos de fim de ano e escola, Jardim de infância, festas, essas coisas que vc já passou, rs.

Bjao

Sonia H. disse...

Beth,
Eu já conhecia o vídeo mas é sempre bom revê-lo.
É assustador quando pensamos nessa cadeia onde nada vem de graça, sem prejuízo para uma outra parte. Tudo poderia ser diferente. Mas é tão difícil. É desanimador, sabe.
Beijos,

Luciana Håland disse...

Beth, bem lembrado, obrigada. Como eu disse no post, eu já tinha visto o vídeo e revi essa semana no blog de Marjorie, mas não lembrava onde tinha visto antes, vou colocar o link pra cá também, até porque além do vídeo você fez um post ótimo.
Beijo