.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

O conselho de amiga da escritora



Quando comecei este blog nem imaginava que um dia iria me expressar dessa forma na vida, ou seja, através de uma máquina que imprimiria em sua memória e transmitiria para outros minhas impressões ou qualquer coisa que eu quisesse expor neste espaço que é só meu e ao mesmo tempo de centenas de milhares de olhos. Além de gratificante para mim este exercício, tenho conhecido e lido pessoas com talentos maravilhosos para a escrita ou para o simples contato pessoal.

Incentivo a todos que tenham vontade de criar um blog e deixo um 'conselho de amiga', através da escritora Hilda Lucas, para descobrirem as alegrias desse mundo complexo e fascinante.

Conselho de Amiga

Aprendi a ler e a escrever soletrando com as letras fê, guê, lê, mê, nê, rê, si...
Por Hilda Lucas


Aprendi a ler e a escrever soletrando com as letras fê, guê, lê, mê, nê, rê, si. Descobri as palavras e nunca mais parei de descobri-las. Nelas, cabia todo o universo, todas as gentes, as coisas que eu não sabia e as que me sabiam. Quando saí da minha terra descobri que as palavras eram minha pátria. Com elas carregaria sempre comigo aquilo que só as palavras conhecem: o eterno, o encantamento, o sagrado. Com elas traria conchas rosadas, ventos, mãos de avó, auroras, natais. Com elas nunca seria estrangeira, desterrada, solitária a despeito de todas as mudanças, andanças, danças e desavenças.

Hoje escrevo, mais do que nunca. Guardei o diploma de advogada. As palavras, elas sim, me deram ofício. Com elas retorno, retomo, restauro o passado, o eterno. Com elas inauguro outros lugares, novos olhares. Sem elas sucumbiria às perdas, aos lutos, à loucura. Com elas percorro países, dores, deslumbramentos. Sem elas seria rasa, desencantada, bruta. Com elas reescrevo o futuro, releio memórias, eternizo histórias. (As minhas, as alheias, as inventadas.) Sem elas a vida seria menor.

Por isso, aí vai um conselho: escreva! Use as palavras, conte suas histórias, fale sobre você, sobre as coisas que te fazem bem, te emocionam, te angustiam. Escreva sonhos, planos, pensamentos. Não pense em forma, estilo, gramática. Não seja crítica a ponto de desistir. Escrever é um exercício, pratique. Quando você escreve, você toma posse de verdades e descobertas maravilhosas.

Você liberta ressentimentos, cura feridas, faz as pazes consigo. Escrever faz bem. Ouse! Use sua imaginação e a força das suas emoções. Repare nos detalhes bobos, nas insignificâncias que só seu olhar percebe. Recorte notícias estranhas, observe os desconhecidos nos restaurantes, nas salas de espera. Há tanto personagem solto por aí... Inspire-se, leia poesia, preste atenção nas letras das músicas, nas conversas, nas paisagens, nas pessoas. Invente, revele, traduza-se. Você vai se surpreender.

Dizem que todos nós somos capazes de cantar, dançar, fazer arte. Isso vale para a escrita. A necessidade de se expressar e ser criativo faz parte do nosso lado são e luminoso.
Somos todos artistas, vivemos! Somos todos poetas, sentimos! Dentro de nós existem livros, quadros e músicas dormindo, esperando acontecer. Desperte-se, crie. Estréie! A alma agradece.


Autora de Memórias líquidas, um livro sobre uma família assombrada pela morte,
ela escreve também uma
coluna semanal para o portal M de Mulher, da Abril.

11 comentários:

Dani dutch disse...

OI Beth, tudo bem?
Quando criei o blog, foi com o intuito da família ter sempre noticias ao meu respeito, mas o blog fui um lugar onde fiz amigos maravilhosos, e aprendi muito também..
Bjusss

Hermilaine disse...

Bom dia querida,passei pra conhecer e amei seu blog.Parabens!
Vou voltar sempre.Já tá linkada.Beijinho pra você.

Heloísa disse...

Beth,
Gostei muito do texto e parabenizo-a, mais uma vez, pela excelência das suas pesquisas.
E também parabenizo-a pelos seus escritos, todos bem escritos e interessantes. É muito bom acompanhá-la.
Beijos santistas.

Lu Souza disse...

Escrever e ler é mesmo tudo de bom né Beth!
Mas eu, como qualquer pessoa, acredito, ás vezes tenho receio de escrever sobre isso ou aquilo. Talvez por medo de ser mal interpretada, as vezes por não conhecer bem o assunto e acabar parecendo "rasa", enfim...mas o engraçado é que quanto mais desprentioso é o seu texto, mais ele atrai opiniões.
u adoro escrever, mas confesso...sou ruinzinha, ruinzinha.Mas não desisto. Sempre escrevi muito, quando adolescente até inventei de escrever um livro...o rascunho joguei fora a pouco tempo, não foi pra frente, rsrsrs. Sou do tipo de diários e agendas. Agora não mais aquele diario como o proprio nome sugere, mas tenho algo parecido, que sempre que acontece algo muito diferente em minha vida eu vou la e escrevo: pode ser uma alegria, uma tristeza, algo que planejei muito...ou que não planejei. SEm regras, simplismente quando tenho vontade de deixar registrado.

Super beijo!
Lu Souza Brito

Lúcia Soares disse...

"Escreva sonhos, planos, pensamentos. Não pense em forma, estilo, gramática. Não seja crítica a ponto de desistir."

Beth, foi pra mim que ela escreveu? Não lhe parece? Eita que vou ler tudinho dela! Mais uma vez, obrigada por suas descobertas partilhadas conosco. Bj

rocosta disse...

É mesmo muito bacana esse compartilhar.
Beijão!

Lu Olhosde Mar disse...

escrever é mesmo terapeutico...é como falar..alias, é mais do q falar... orgaiza as ideias, o coração...mto bom!

aminhapele disse...

Gostei,minha amiga.
Creio que o segredo,já o revelou:escrever,de maneira despretenciosa,aquilo que lhe apetece.
Parabens.
Um abraço.

Renata disse...

Eu adoro escrever...
Comecei o blog pra resgitar momentos e data importantes...
Depois comecei a escrever mais... sentimentos e tudo...
Hoje conheco pessoas maravilhosas que chamo de amigos. E uma web-mamaezinha...
um beijo linda!

Mila Viegas disse...

Simplesmente A-M-E-I!!!!!
Maravilhoso!
beijos

Lucia Cintra disse...

Eu sempre gostei de escrever, desde pequena e ainda tenho todos os diarios/agendas que comecei qdo tinha 13 anos. Eh como a autora mencionou no texto, parece que libera a alma!!!

E eu adoro seu cantinho, Web-mae!! Passo aqui todo dia! Bjos