.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Eu quero Poder


























Cedo descobri que o que eu mais queria na vida era o poder. O poder estar sempre com as pessoas que eu amo, o poder andar despreocupado pelas ruas, apreciar cenários, paisagens, bichos, gente que passa. O poder tomar outro caminho só porque naquela direção um verde me despertou a curiosidade. O poder trabalhar no que me alegra. O poder ser dono do meu tempo e fazer o que quiser sem precisar me aposentar. O poder estar sempre disponível para quem está perto e precisa. O poder ter certeza de que o abraço recebido é de afeto e não de interesse. O poder ser eu mesmo e envelhecer saudável. Céus, como ambiciono
todo esse poder!

(Trecho do livro O Arroz de Palma de Francisco Azevedo)


Isso me remeteu à idéia do quanto tenho desperdiçado oxigênio com inutilidades e confirma lá dentro de minha alma o antigo sonho - reduzir a vida à expressão mais simples para aproveitá-la ao máximo.
Por mais que uma cidade grande me ofereça alguns serviços que desfruto para minha comodidade, conviver com a violência urbana, com buzinas assim que o farol abre, com gente que fala alto no celular em lugares que antes não se via, com flanelinhas que cobram 15 reais para você estacionar um carro aos pés de um monumento mundialmente reconhecido, com a falta de autoridade e fiscalização, com a morosidade do trânsito e o excesso de carros nas ruas, com o engessamento da sociedade em geral e a não fiscalização do poder público - tudo isso não me deixa exercer o que eu mais quero - Poder, apenas poder fazer coisas simples e básicas que todo ser humano almeja.


(Foto-Yein)

10 comentários:

ML disse...

Oi, querida:
Você sempre me (nos?) faz raciocinar.
Isso é característica de filósofo, né Beth?
Dentre todos os poderes listados, acho que o maior e melhor poder é estar disponível.
Quando dirijo, sozinha, me sinto livre.
Quando ajudo - mesmo que de forma medíocre - algum ser, humano ou não, me sinto melhor.
Sair do armário, livrarmo-nos das amarras convencionais, das "tradições", isso é poder.

bjnhs

Mila Viegas disse...

Pois é! Também queria ter acesso a esse poder mais vezes... Mas nem sempre a gente consegue essa simplicidade tão almejada. O que geralmente faço é me divertir com as coisas simples, ver a beleza nessas coisas, capturar esses momentos com as ferramentas que eu dispuser no instante (mesmo que seja só a minha memória). Tudo isso para poder me lembrar, em meio a minha correria, situações que simplesmente me deram prazer e resgatar o mesmo sorriso que dei quando as vivi.

beijos grandes!

RoCosta disse...

Eu também quero!!
Beijos muitos!

Heloísa disse...

Beth,
A cada dia você nos traz algo lindo de ser visto, ou lido, e nos provoca reflexões.
Muito obrigada.
Beijos.

Renata disse...

oi amorinha!
tudo bem?
esses dias tenho passado aqui pra pra sacodir a poeira e "ver figurinhas"... kkkkkkkk
mas com esse episodio da faculdade, estou a 100 por hora... daqui a pouco volto com calma.
beijos

Lúcia Soares disse...

São as melhores formas de poder. Viver é isso, dar valor a coisas simples. Sempre pensei assim, nunca quis muita coisa material, pois o melhor nos vem quase que de graça.
Pena que o ser humano goste de complicar tanto, né? Bj

Lucia Cintra disse...

Web-mae, vc iria gostar tanto de onde eu moro!! Queria tanto que um dia vc conhecesse essa regiao! Nao existe possibilidade de vcs se mudarem? Bjos

Lili* disse...

o texto me faz voar longe pra outro espaço...uma sensaçao diferente! passa no meu blog beijinhos

Luciana Håland disse...

Foi pensando nesse poder que resolvi mudar pra cá. No stress da cidade grande, com tudo que ela tem a oferecer, e olhe que Natal nem chega a ser grande se comparada a Rio e Säo Paulo, por exemplo, mas de todo jeito já aglomera mais de um milhão de habitantes, muitas vezes o que a gente quer mesmo é uma casa de campo, mudar pra simplicidade, é mais ou menos assim que vivo agora, e qualidade de vida não tem preco. Mas Beth, você também tem sua 'casinha de campo', seu lugarzinho tranquilo na serra.
Beijo

Eduardo disse...

Sugiro se esforcar para ficar de bem com a vida. Confesso que eh muito dificil, porem com persistencia pode-se chegar la. Existem milhares de coisas que podem nos irritar, frustrar, desapontar, etc, suficientes para nos deixar em estado de ansiedade. Quanta coisa queremos ter e fazer; uma lista que nao acaba nunca. Melhor eh procurar auferir prazer do que se tem neste momento e... relaxar (sem abrir mao de querer coisas).
Voces ja tentaram se concentrar e ver uma pedra crescer?
Um abraco
Eduardo