.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

sábado, 18 de julho de 2009

Enta, enta, enta!


Estou nos "entas" da minha vida. Aliás, eu e muitas amigas minhas, próximas, queridas e que têm os pés no chão e a cabeça ainda cheia de idéias e muita vontade de viver e fazer coisas. Uma delas fez 60 redondo este mês e, enquanto eu a parabenizava, só dizia assim: 'Sessenta! sabe o que é isso? Sessenta!" e logo em seguida, emendou: "Mas, nem percebo isso!" ao que lhe respondi que também nem notava, ela está tão bem, tão jovial e cheia de energia.
A outra, embarcou ontem para a Europa e, mesmo tendo que na volta submeter-se a uma pequena cirurgia, disse-me estar consciente de que quer saber envelhecer, sem neuras, sem preocupações no nível estético e sim uma consciência plena de que não irá correr atrás dos fios brancos que insistem em cobrir-lhe a cabeça, inclusive, aderiu à moda prateada, parecendo que fez mechas sobre o cabelo preto. Quanto a isso ainda não consigo aderir, sou escrava do reflexo há tempos. Disse-me noutro dia que o pior de envelhecer é não ter dinheiro, ser uma velha dura, não ter o suficiente nem prá pegar um táxi para ir a um médico. E por esta razão já tratou de encomendar um cantinho bem gostoso lá no Norte, terra do marido dela, pois assim que ele se aposentar, vão direto curtir o tambaqui, pirarucu assado e outras delícias daquela terra.
Mais uma amiga da casa dos "entas" que aniversariou este mês, também está fazendo uma reforma geral em sua vida e em sua casa. Mudou-se para um apartamento novo e está se adaptando a uma nova vida com o marido em um bairro diferente do que sempre morou. A filha do meio que mora na Espanha, está passando férias com ela por esses dias e ela, entre fazer as arrumações que o apartamento exige ou passear com a filha e ver, conversar e mostrar novidades, preferiu isto, denotando plenamente que as ansiedades que a juventude tinha, estão sendo bem administradas nesta fase madura. Primeiro o prazer, a satisfação pessoal.

Para todas as minhas amigas dos "entas", aí vai uma linda poesia como homenagem:























Esse ar puro oxigenado de maturidade
me dá o aspecto de que já vi tudo na vida,
disposta a rever a própria vida.

Este sentimento de mulher humana
me dá o direito de viver feliz,
inspirando segurança,
como se já tivesse tudo o que quis.

Esse jeito felino ou de criança
me dá a certeza de ser forte como nunca,
agarrada nos braços da esperança.

Essa determinação de chegar faceira,
sem ter que explicar nada
nem dizer porque,
me dá a sensação
de estar no auge da vida,
a vida inteira.


MULHER MADURA - Ivone Boechat-poetisa carioca

8 comentários:

Heloísa disse...

Beth,
Eu que estou nos enta há bastante tempo, adorei o post. A tranquilidade que alcançamos com a idade é algo de grande valia. Já sabemos o que é importante, e o que temos que deixar prá lá.
Beijos.

Priscila Sérvulo disse...

Oi Beth,
obrigada pelas palavras, pela visita à minha pequena e à minha mamãe! E adorei o seu post... Acho que estou antecipando minha entrada nos enta... No ano que vem completo, mas a revolução - realmente para melhor - já começou!
Um grande abraço,
Priscila.

Eduardo disse...

A medida em que passa o tempo, vamos acumulando historia, experiencia, memorias. Pensando bem, nao existe idade melhor que outra porque todas tem seu encanto.
Quando jovens temos mais vigor porem quase nenhuma experiencia da vida; depois isso inverte.
Como jovens vivemos a emocao de conhecer a vida; tudo eh novo; acertamos e batemos a cabeca; aprendemos.
Eh uma epoca fascinante da vida.

Maduros temos o beneficio do conhecimento, sabemos melhor aproveitar o tempo e a vida; acumulamos sabedoria.
Eh uma epoca fascinante da vida.

Um abraco
Eduardo

RoCosta disse...

Beth mês que vem entro para a lista hehehe.
Parabéns a todas!
Beijos muitos!

Lúcia Soares disse...

Oi, Beth.
O Dad da Lúcia falou o que eu queria. Nunca me importei com a idade, sempre pareci muito mais nova do que era e nem assim me envaideci. Ainda não falei minha idade real só por brincadeira. Estou esperando me mostrar mais, para que "adivinhem" minha idade. Assim que começar a coocar fotos minhas, vou me revelando. Mas smpre entendi que a velhice fica na alma, não no corpo. Atualmente estou com quase 90...Lembra que coloco sempre que tenho "mais de 50 e menos de 90"? O estado de espírito influencia muito e no momento não estou num dos melhores. Mas pouco posso falar disso, pois sei bem qe gente chata e amarga afasta as pessoas. E como já disse em um post recente, eu quero mais é ser feliz! Bj

ML disse...

Adorei essa mensagem aos "enta".
Muita gente vai adorar também, dos "trenta" aos noventa.
E, de fato, apesar dos anos, que não devem ser discartados jamais, o que importa é uma vontade grande de estar na ativa.

bjnhs e boa semana

Luciana Håland disse...

Beth, estou quase nos 'enta', já me preparando pra chegada dos quarenta. O tempo voa, a gente tem mais é que viver bem e intensamente.
Beijo

Luciana Håland disse...

Ah, e acho ótimo ver mulheres nos entas como você, Lúcia, Heloísa, entre outras tantas, blogando, atualizadas, modernas, batalhadoras, me inspira muito.
Obrigada.
Beijo