.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

sábado, 20 de junho de 2009

Um pit stop na juventude



"Era um garoto que como eu,
amava os Beatles e os
Rolling Stones"





Fazer amigos é de certa forma fácil, na medida que você busca assuntos comuns, evita as discórdias, procura criar ambientes agradáveis e alegres, mas o desafio mesmo é manter por muito tempo essas amizades. É preciso que haja uma manutenção muitas das vezes através de esforços, principalmente quando se mora numa cidade grande como o Rio de Janeiro, por exemplo. Fora isso, as pessoas têm suas famílias, seus núcleos sociais, compromissos de trabalho, viagens e muitas outras coisas que para reunir um grupo fica meio difícil e quase impossível nos dias de hoje.

Mas este grupo que se conhece desd
e os anos 70, na verdade garotos cheios de boas intenções e de almas leves, procuram estar sempe se comunicando e a chave para isso acontecer só pode ser mesmo através da internet que é um verdadeiro milagre dos nossos tempos e ajuda bons momentos se concretizarem. Essa turma vem se reunindo há 1 ano, após quase 35 anos sem se verem. São ex-alunos da Escola Técnica Federal do Rio de Janeiro e que agora na idade madura fazem de tudo para conciliar seus compromissos a fim de realizarem esse encontro.

(O grupo e um tripé no meio deles em homenagem a um desses colegas que não pode estar presente, o apelido era tripé, não me perguntem porquê)


Muitas vezes tais encontros ocorrem em algum restaurante e este agora é o segundo encontro que envolve suas esposas. Alguns já são até avós, quando na idade de seus relacionamentos eram apenas jovens de seus 16-17 anos. De longe, nós mulheres, observávamos como eles se divertiam, riam de várias situações do passado, lembravam de apelidos, da lealdade que tinham na adolescência, de fatos pitorescos como hoje um que apareceu com uma caneca de alumínio que pertencia à escola e que foi foi 'surrupiada', digamos assim, mas que hoje guarda um valor simbólico para todos eles, lembrando que cada um recebia uma caneca daquelas para tomar o lanche matinal.
Para despertar emoções nas lembranças, livros da época foram levados e deixados sobre uma mesa, junto com a caneca, uma flauta, que outro tinha mania de tocar em sala de aula e assim, uma gostosa tarde num condomínio da Barra da Tijuca, onde mora o querido amigo Ricardo e sua esposa Regina, foi festejada com um churrasco igualmente gostoso.




O Ricardo mante
ve uma relação de amizade estreita conosco até hoje, sendo padrinho do meu filho e ele tem essa característica de saber agregar, estar sempre regando suas amizades com carinho e é uma pessoa bem humorada e com jeitão bem carioca e alegre. Ricardo, você é o cara!


Não podemos negar que para o ser humano ser feliz, uma das condições essenciais é que se tenha e mantenha suas amizades, isso demonstra também uma virtude especial, pois as pessoas sem amigos ou que não criam tempo ou mecanismos para estar com eles, vão se tornando seres tristes, murchos e acabam se alienando no processo da vida.




15 comentários:

RoCosta disse...

'...Mas sei o que me importa
Quero ter comigo
O abraço certo
Dos meus amigos...' Cazuza.
Beijão!

Lúcia Soares disse...

Adoro turma grande de "velhos amigos". Eu não tenho uma, visto que meus pais não nos deixavam sair muito, não podíamos nem ir em casa de amigos, fazer um trabalho, por exemplo. Dos meus tempos de escola ficou apenas uma amiga. Dos tempos de menina e mocinha, apenas uma também. Mas são para sempre.Fiz bons amigos quando trabalhei fora, mas não de reunir em encontros . Por isso acho um barato que Renata, minha segunda filha, tenha uma turma grande: uma do Colégio, outra turma da Faculdade e outra ainda da Pós-graduação, com encontros pelo menos 3 vezes no ano, de todos. Ou encontros eventuais, de uns e outros, mais amiúde. O que acontece é que a vida corrida de hoje não dá muito chance de vários encontros, como você falou.
Mas meus irmãos e cunhadas, cunhados, são amigões e as reuniões de família, em que pesem "diferenças" entre um e outro, são um barato.Bj

Sonia H. disse...

Que momento mágico, Beth,
Estar perto dos amigos, mas como você bem disse, saber levar adiante esta amizade, apesar desta vida tão atribulada que nós temos.
Um beijo com carinho,

Mila Viegas disse...

Nossa, que legal!!!
Encontros assim são emocionantes, não é?
Eu perdi o contato com muitas pessoas da minha infância, mas ainda continuo tendo bons amigos da adolescência e é uma delícia reencontrá-los...

Beijos neste domingo gostosinho de sol!

gabriela disse...

Que lindo isto sim é amizade.
Eu acho tão giro estes encontros, eu também costumo ir a esses encontros da escola primária onde tinha-mos 10 11 anos, hoje quase todos já somos avós,recordamos com alguma nostalgia os velhos tempos,eu adoro esses convivios.
Amiga beijinhos olha aqui hoje fêz tanto calor mas tanto tive um piquenique familiar eu amei sabes eu adoro a minha familia tenho 8 irmãos e quando nos juntamos todos nem queiras saber, divertimo-nos tanto e claro junto com a minha querida mãe sabes quantos sobrinhos tenho?
16 ihih a minha familia é tudo para mim .
Xau amiga você é linda deixa sempre comentários tão lindos no meu cantinho, bem haja

Dani dutch disse...

OI Beth, tudo bem ?
Nossa que momento bom este hein ... e sabe que senti isso depois que vim pra cá, muitos dos meus amigos eu escrevo e eles não respondem, falam que é falta de tempo, eu até entendo. Mas temos a internet para ir nos ajudando a contornar as agendas...
Tenho meu grupinho de amigos também do tempo de escola do ginásio, colegial, faculdade e etc.. Bjusss

ML disse...

Não é mesmo incrível como "meninos" não crescem?
Como riem das mesmas velhas - e boas, claro - piadas de ... anos atrás.

bjnhs

Mônica (do Enio) disse...

Bethinha
É a primeira vez que abro seu blog e ADOREI!!!
Achei perfeita sua descrição do encontro dos nossos meninos da ETF!!!
Fico com um pouquinho de inveja saudável dessa amizade tão eterna que eles estão cuidando com tanto carinho...
Que bom termos você para registrar e comentar esses encontros...
Beijoca grandona,

Allan Robert P. J. disse...

Ter amigos é o melhor tesouro que se pode encontrar. Quanto ao tripé, bom, posso imaginar o porquê do apelido. :)

Ricardo Melo disse...

Valeu Beth por suas carinhosas palavras e pelo registro desse mais recente encontro dos "meninos...", comprovando que as boas amizades não se perdem com o tempo. A cada encontro temos conseguido trazer ao grupo sempre um novo "menino" e dessa vez então foram tres debutantes, o reizinho, o Farah e o P...aulo Moraes. Interessante tb notar a formação de outro novo grupo, não menos importante, que poderiamos batizar de "as meninas dos meninos que amavam os beatles e os r. stones", que tal?
Melo.

Lucia Cintra disse...

Voce sabe que eu acho essas amizades antigas o maximo, ne? E fiquei super contente de voce ter experienciado meu reencontro com meus amigos quando fui prai e tb conhecido alguns deles. Sao pessoas extremamente importantes na minha vida.

O Rodrigo, aquele que voou pro Rio somente por um dia so pra me ver, falou que do jeito que a gente se encontra, estariamos com uns 40 e pouco da proxima vez, hahaha, bobao! Mas nao vou deixar pra visitar o Brasil de decada em decada, vou tentar ir a cada 2 anos, se possivel.

Muito gostoso esse encontro!!! bjos

Cristiane A. Fetter disse...

Beth, eu sempre falo, a familia nós escolhemos antes de vir para o mundo, já os amigos os escolhemos aqui.
São seres especiais, inclusive aqueles de quem não temos mais contato, pois nos ajudaram a fazer de nós o que somos hoje.
Viva os amigos.
bjks

Anônimo disse...

Oi, Beth! De novo aqui no seu blog. Como da outra vez, adorei seu texto. Você consegue captar e expressar muito bem todo o sentimento do reencontro de amigos e a importância das lembranças da adolescência...
Lindas fotos!
Bjs
Lenita (do Ourinho)

Heloísa disse...

Beth,
É muito bom esse encontro com antigos colegas. Eu também tenho uma turma antiga, e todo ano nos encontramos. Nessa data voltamos a ser estudantes e rimos muito lembrando da nossa vida de colegial.
As amizades são muito importantes, pode-se dizer que são vitais. E´por isso que eu gostei muito de tê-la conhecido e de ter me tornado sua amiga.
Beijos.

Ana disse...

Benditos sejam os amigos!!