.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Idealismo ou sem opção?


“Hoje, dia 19 de março de 2009, vou mais um dia para a escola, desanimada e certa de que as aulas que preparei para os alunos do 3º ciclo, 1º turno, não serão dadas. Mas busco entusiasmo não sei onde, entro para a sala de aula (sala 10, 6ª série) e inicio repetindo o que tenho falado com os alunos desde o primeiro dia de aula: coloquem o caderno, a agenda, o lápis, caneta, borracha, régua, tesoura sobre a mesa e guardem a mochila debaixo da carteira ou dependurada no encosto da cadeira (muitos se deitam, durante a aula, na mochila para dormir ou se escondem atrás dela para dar gritos ensurdecedores sem motivo algum ou para atirar bolinhas de papel enfiadas no corpo das canetas esferográficas).”

(Reportagem aqui da Isto É)


Estas são as palavras que a Professora Áurea Damasceno, do ensino fundamental, endereçou à Secretaria de Educação de Belo Horizonte.

Tal estado de exaustão é citado na Wikipédia como a Síndrome de Burnout, gerada por conta do esgotamento nervoso e psicológico que muitos professores no Brasil enfrentam e acabam se afastando para tratamento.

Não tenho palavras sobre o assunto, porquê me choca e entristece o estado da educação atualmente no país, por isso a pergunta "Idealismo ou falta de opção?"

O jornalista e professor Ronaldo Nezo citou em seu blog a reportagem da Revista Isto É desta semana, onde mostra as agruras dessa profissão no Brasil. Ronaldo faz ao final de seu post a seguinte reflexão:

"A violência que acontece nas escolas é reflexo de uma sociedade que vê na escola um local para se aprender a ler e escrever – ou para aprender uma profissão. Tem ainda uma parcela significativa da população que olha para as instituições de ensino como depósitos de crianças – um ambiente em que se deixa o filho enquanto o pai e a mãe trabalham.

Há saída para situação tão apocalíptica? Talvez sim. Passa, primeiro, pela educação dentro de casa. Filhos disciplinados são alunos respeitosos, que reconhecem a autoridade do professor. Mas para avançarmos é preciso mais. Nós, adultos, devemos nos envolver com a escola. Buscar identificar os problemas, dialogar com professores, coordenadores de ensino e diretores. Identificadas as principais deficiências, devemos cobrar das autoridades as mudanças necessárias."



21 comentários:

Georgia disse...

Beth, o caso é que os professores hoje em dia tem até que educar os filhos das pessoas. Mae nao educa mais os filhos em casa. deixa por conta do acaso e ai o professor se estressa em sala de aula com os alunos que sao a maioria que nao querem nada. infelizmente é isso.
Uma pena.

Querida, vi que vc tem passado lá no Movimento, eu estou super sem tempo com a terapia da Vivi. Adorei, viu. deixei recadinho lá. Muuuuuuuuuuuuuuuuuuuito obrigada pelo apoio total.

Você é mesmo especial.

Um grande beijo

Meire disse...

Beth!

Tenho dò dos professores de hoje.
Nao é facil enfrentar uma sala de aulas com os jovens de hoje em dia.
Nao sei onde estao os valores, os principios. tudo mudou, tudo se perdeu.
E pensar que o futuro do mundo esta' na mao destes jovens.

Bjs

Meire

Somnia Carvalho disse...

o ciclo vicioso da falta de educação, formação para a cultura acho que é o pior né?

os pais que não tiveram acesso ou incentivo ou vontade de aprender mais do que foram obrigados... a escola que só quer fazer papel burocratico e nao se importa com professores e alunos, o Estado que ta preocupado em mandar planilhas pro FBI e mascarar verdades...

tudo é tão complicado e difícil que a gente fica mesmo parecendo idealista quando quer algo que deveria ser o minimo exigido...

beijocas

BarbieGirl disse...

Bom Dia Beth!!

Ótimo post! A novela das 21:00hs tb tem abordado esse tema, a falta de respeito dos alunos com os professores...
e sabe o que acho??
A culpa é dos pais, quem tem que dar educação são os pais.
Na escola ele tem que estudar, te conhecimentos, mas valores, princípio, ética e moral vem de casa!
Enquanto os pais culparem os professores e acharem normal, isso só vai piorar!!



Ah!Hoje fiz uma entrevista num blog bem legal, o link está no meu cantinho! E, obrigada pelo seu voto!

bjks

Lu Souza disse...

Beth,ainda quando eu estudava, ficava envergonhada com a falta de respeito dos alunos para com os professores, outras vezes, indignada com a falta de autoridade, porque há professores que não se impõe.
Tá ai uma coisa que não gostaria de fazer NUNCA na minha vida! Desgastante demais. Mas se os pais ensinassem o minimo aos seus filhos, parte disso seria solucionado!
Eu parabenizo os educadores (tenho amigas e parentes nesta profissão), porque realmente não deve ser moleza.

Beth/Lilás disse...

Georgia,
Então, eu acho que desde que a mulher passou a trabalhar fora e se ausentar quase que o dia todo de sua casa e família, aumentou o número de crianças sem controle e sem a tal educação de berço. Concordo contigo amiga.
bjs
---------------------------------------------

Meire,
É assustador tudo isso e não sei se o mesmo acontece aí na Europa, de repente até sim, mas com um grau menor de violência. Aqui a coisa tá preta!
beijos
-----------------------------------------------

Somnia,
Querida, meus pais tiveram o mínimo de instrução, mas queriam o melhor para nós três e trabalharam, deram duro e nos criaram com ensino e honra.
Hoje, este não parece ser o objetivo de alguns pais e sim que os filhos venham a ser 'celebridades' num BBB qualquer da vida.
bjs

------------------------------------------

Barbiegirl,
Tá certa! Você que tem filho pequeno em idade primária sabe bem o que é isso de perto.
Cuide bem do seu filhote e colherá bons frutos no futuro.
beijos

----------------------------------------------------

LuSouza,
Pois é, a sensação que a gente consciente tem é de vergonha diante de situações desse tipo.
Desde quando a figura do professor primário virou "tia" a coisa vem degringolando desse jeito.
abraço
------------------------------------------------

Lúcia Soares disse...

Beth, eu me formei e dei aulas por apenas 2 anos. Como iniciei a carreira em escola estadual, vivi o pior. Pelo menos aquei em BH as escolas estaduais ainda deixam muito a desejar. As municipais são mais bem olhadas, pagam melhor. As particulares é o que se sabe, também perderam muito. Preços abusivos (há escolas que cobram mais do que uma Faculdade), alunos que vêm sem estrutura de família e tudo o mais que o texto diz.
Mas o pior de tudo é a condição a que o professor foi relegado.É um círculo vicioso.

Beth/Lilás disse...

LuciaSoares,
Eu também, amiga, me formei em Letras, mas logo senti o problema pela frente e preferi trabalhar em uma multinacional a não ter que enfrentar uma sala de aula com todas essas dificuldades, não fui idealista e tive outra opção.
Mas, dói ver a coisa assim!
bjs

-----------------------------------------------------

ML disse...

A educação no Brasil não é prioridade - quem não estuda, não lê nem pensa na hora de votar.

Mudando de assunto, que turminha mais linda essa que você escolheu!

Amei!

bjnhs

Heloísa disse...

Beth,
Acho que os pais não estão conseguindo educar seus filhos. Respeito, é algo que ficou no passado, pelo menos para grande parte da garotada.
Beijos

Luciana Håland disse...

Muito triste isso, além da remuneracão não ser lá essas coisas.
Na novela das 21 horas esse tema é abordado, e inclusive mostra uma escola particular, classe média alta, não sei se a novela mostra de forma exagerada ou se a coisa chega a isso, mas parece desesperador pra professora a postura e o tratamento dos alunos. Na vida real a coisa tá ruim assim também?

Beijo

Isabella disse...

Oi Beth, a novela das 8 aborda bem esse tema com aquele Zeca insuportável, com pais hiper mau-caráter que esperam que a escola eduque aquele marmanjo! E isso na escola particular, imagine na pública.

Aqui, semana passada mataram um garoto a pancadas. Ele já havia mudado de escola pra eviyar gangues mas não adiantou... E os professores aqui tb tem que aguentar cada coisa!

Mas, ao mesmo tempo, a participação dos pais com a escola aqui é enorme.


bjs

Dani dutch disse...

OI Beth, tudo bem ?
Quando entrei pela primeira vez em uma escola aqui na Holanda, fiquei encantada como as coisas funcionam. E incentivam a criatividade, a criança desde já é testada e preparada para uma profissão.
Mas tudo isso funciona, por causa do governo, que também está preocupado em realmente formar cidadões, ao contrário do Brasil, que o importante é o voto do cidadão e quanto menor for a instrução, melhor ..
E quem paga por isso tudo são os professores, que além de não ter condições dignas de trabalho e salário, tem que lidar com situações que só por Deus.
Bjusss

Kálita disse...

é uma vergonha, um absurdo a forma como os professores são tratados, tanto pelos alunos quanto pelo governo, enfim a sociedade em geral.
Essa figura que nos acompanha uma vida toda merece todo carinho, respeito e reconhecimento $$.Vamos fazendo nossa parte, ensinando as crianças a ama-los e botando a boca no trombone por melhorias.


Beth, vc recebeu email do convite pra ser leitora do meu blog? acho que nao achei seu email...
o meu é kalita_cardoso@hotmail.com

beijo

Lucia Cintra disse...

A Izabel era professora no Brasil por muitos anos. E ja ouvi tanta coisa!

E sabia que Al foi professor aqui durante uns 4 anos? Ele nao amava a profissao, mas ate que gostava. Saiu pra fazer outra coisa justamente pois nao queria criar os filhos dos outros. E alguns pais ainda achavam ruim deles serem disciplinados na escola. Al era um daqueles professores que demandam respeito e ai de voce se nao o obedecer. Era algo mutuo entre ele e os alunos, depois que descobriam que Al nao dava liberdade pra falta de respeito ou falta de educacao.

Ele me contava cada coisa absurda tb! Uma burocracia imensa (eles sao muito cheio de M aqui com escola e educacao) - uma das razoes que fortaleceu minha decisao de nunca ter filhos. Eu nao suporto e nao aguento crianca mal educada e nao tenho um pingo de paciencia.

bjos

Cristiane A. Fetter disse...

Concordo em genero, numero e grau.
bjks

ML disse...

Não consegui resistir a comentar mais 1 vez sobre essa turminha.

Estoy apaixonada ;>)

bjnhs

Mila Viegas disse...

Eu pulei fora dessa enquanto foi tempo, pois amava ser professora e me indignava com a impossibilidade de ter autonomia para trabalhar decentemente com os meus alunos.
Este foi o meu primeiro e último emprego. Não tinha motivação para voltar a dar aulas, pois escola particular não é muito diferente das públicas não.
Foi difícil concatenar essa frustração logo no meu primeiro emprego, mas ali aprendi muitas coisas... aprendi tanto quanto ensinei e ainda é gostoso demais reencontrar meus ex-alunos já praticamente formados na faculdade e ouvi-los me chamar: "Eaê, fessora?"... rs.

beijos

Beth/Lilás disse...

ML
Achei uma gracinha essa imagem também e, garanto que os animais devem ser bem mais educados do que os seres humanos.
bjs

---------------------------------------------

Heloísa,
Carinho e atenção dos pais em casa irão refletir no ambiente escolar ou em qualquer outro lugar.
Gosto do jeito que vc ajuda a educar sua netinha.
bjks

-----------------------------------------------

Luciana,
Já vi na novela esse lance de mostrar o errado para poder mandar algum recado prá esse povo sem noção. Tomara que eles captem a mensagem!
bjks

--------------------------------------

Isabella,
Nossa, surpreendente isso que você relata! Já ouvi mesmo falar nessas tais gangues que crescem aí pelos States e como são perigosas.
bjks

------------------------------------------------

Dani,
Sabemos que o Brasil é essa enormidade perto de qualquer país da Europa, mas sabemos também que estamos cotados entre os países que estão bem financeiramente e por isso a pergunta: porquê não investir mais nessa área primeiro que tudo?
Ah, já sei! Não dá visibilidade ou o governo quer mesmo manter um povo burro, sem noção de nada e votar mal.
Só pode ser isso!
bjs

-------------------------------------------------

Kalita,
A gente fica mesmo muito indignado!
Ah, não recebi este email, não!
Manda aí, por favor!
bjs

-------------------------------------------

Lucinha,

Oh, que surprise! Não sabia que o Al também lecionava! Cresceu mais no meu conceito, diga pra´ele.
Tem que ser linha dura, senão tanto aí, quanto aqui eles botam fogo na sala de aula.
bjs

----------------------------------------------------

Cristiane,
Mas, não é!
Espero que vc esteja melhor hoje.
mil beijinhos

-----------------------------------------------

ML
Pode "chupinhar" prá você a imagem. É da Net, portanto de todos.
beijão

--------------------------------------------------------

Beth/Lilás disse...

Mila,
Infelizmente muita gente coo você e eu está fora desse "balaio de gato", afinal correr certos riscos só mesmo o McGiver, lembra?
bjks
---------------------------------------------------

Somnia Carvalho disse...

Lilasona, to pensando ainda mas eu sempre penso que os seus pais sao excecao... vendo meus alunos em tantos anos eu vejo que os pais as vezes nao sabiam como fazer, as vezes nao queriam, as vezes nao sabiam que tinham que fazer...

a maior parte nao tinha tinha instrucao no sentido de ter adquirido gosto pela cultura. Eu entendo muito bem seu exemplo e acho incrivel... tomando o meu, por exemplo, eu ja concluo diferente. Meus pais nao sabiam ler escrever, mas me puseram na escola e tal... quando chegou epoca de faculdade eles so me diziam: pra que? voce nao precisa... e muito esforco pra nada... Isso porque eles tinham uma vida honesta, com trabalho e tal naquela sem precisar ter estudado... o fato de eu ter um unico livro minha vida toda na casa dos meus pais me faz ver que eles sempre me amaram e queriam pra mim o melhor, mas eles nao sabiam que me dar acesso a cultura era tao importante...

bom, nao quero fugir do post porque o post trata de criancas sem vontade de aprender e tal, mas eu ainda acho que e uma bola de neve... e felizmente ha excecoes porque a gente sempre pode fugir a essa roda social por uma forca propria... mas nao e facil.

beijos!!!!