.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Eu ouço os seus sotaques


Uma das coisas que admiro no Brasil é a capacidade, desde a época do Império, inclusive mérito de D.Pedro II, de mantermos uma só língua falada neste imenso território continental. É a nossa Língua Portuguesa.
Sabemos que tem países aí fora pequeninos e com uma variedade de línguas ou dialetos impressionantes, como é o caso da Espanha, onde fala-se pelo menos 4 línguas: o castelhano, gallego, euskara e catalão.
A Índia, então nem se fala, ou melhor, falam mais de 400 idiomas e dialetos. Uma loucura!

No Brasil, apesar de todo este tamanho, a gente consegue falar a mesma língua e isso é maravilhoso, mostra o quanto somos irmanados e um povo não-bélico.

Mas, os sotaques às vezes soam como dialetos de tão distintos que são.

Aqui pelo blog passam diversos sotaques, só que não são ouvidos, apenas lidos nos comentários deixados todos os dias. Mas, fico imaginando como seria ouvir aquilo que por exemplo, a Renata Lopes Costa, linda gauchinha, escreve nos seus posts carregados de um palavreado a que ela chama de 'bagual', próprio lá debaixo, do sul do país. Confiram neste post super criativo e simpático que ela escreveu. Vejam a diferença da linguagem e tentem imaginá-la com seu sotaque gaúcho pomposo e bonito.
Incluo também a Ana em Lavras, Flávia em São Gabriel e o amigo James em Santa Catarina.
Bahh, mas lá é tri legaaal neehmm!

Posso imaginar também as outras amigas, como a Luciana que mora na Noruega, mas é do Rio Grande do Norte e tem o sotaque aberto e alegre dos nordestinos. A Renatinha em Boston, mas que é de Goiás e fala nos diminutivos como os 'mineirins'. Lembrando também da Lúcia Soares que é mineira de 'Belrizonte' e a Denise Arcoverde que está lá na Coréia, mas deve guardar ainda seu sotaque pernambucano, numa cantoria de frevo e do maracatu. E a minha amiga Kenia, recifense arretada e que nos textos inteligentes, deixa escapar de leve seu sotaque de vogais abertas bem pér-nambucano. Adoooro!

Sem esquecer da Laura na França, resmungando do 'frio danado sô que tá fazeno', mineirinha não gosta disso não, uai!

Tem também a Barbrinha que é paulistinha e arrasta nos rrrrrs e é muito linda falando ao telefone. E a Ciça que saiu de Belém para a Alemanha e deve arrastar um alemão com sotaque de açaí. A Somnia lá na Suécia com os rrrs paulistanos de interiorrrrr deve dar um toque bem russo ao sueco que está aprendendo.

Até mesmo uma carioca como eu, que fala meio cantando e carrega nos chiados, mas que mora há anos nos Estados Unidos e insiste em dizer que não tem português com sotaque, como é o caso da Lucinha. Duvido! Quero só ver quando ela chegar aqui em março depois de tanto tempo fora do Brasil. Deve 'enrolar' a língua de vez em quando! haha
A Geórgia, carioquíssima, mesmo morando na Alemanha há anos guarda seu sotaque intacto, pude provar isso ao telefone noutro dia.

Bem, o fato é que a Renata, gauchinha, motivou-me a escrever esse post e dizer a todos vocês que quando eu os leio em seus blogs ou nos comentários que aqui deixam, tento ler com o sotaque de vocês, assim me sinto como se estivesse ouvindo-os pessoalmente, num bate papo com os mais variados sotaques deste nosso querido país.

Então, para todos vocês, deixo aqui uma mensagem com sotaque bem carioca: "Gentiiii, eu amo vocêiiiissss!




16 comentários:

Renata Lopes Costa disse...

Báh Beth, adorei o teu triii legall!! Agora fiquei eu imaginado tu, uma carioca, falando isso...KKKkkk amei teu post. Tive que rir!!

Acontece o seguinte: no texto eu puxei muito aquelas palavras, algumas delas, as mais "baguais" são usadas por pessoas que vivem na campanha ou então quando queremos debochar de nós mesmos. O que fica de tudo é o sotaque cantado e um pouco puxado das palavras.

É isto "vivente", o papo tá tri legal, mas vou lá pegar meu guri na escola.

Bjos!

Georgia disse...

Hahahahhahah!!! Adorei o post, e de saber que mantenho ainda o meu sotaque carioquês. Heheheheheeh, imagina o português que o maridao aqui fala? O português dele é carioquês legítimo, hahahahhaha!!!

Bom saber Beth, pois acho que manter a minha língua é manter a pessoa que eu sou. Eu nao preciso virar alema só porque vivo aqui. É por ai a diferenca que rola aqui em casa.

Um beijo grande

Flávia Fayet disse...

Que bom q vc acha "bueno" nosso sotaque, gírias e td mais! Agora só falta vir nos conhecer, hein? Então "chinoca" um abraço quebra costela em ti!

RoCosta disse...

Beth quando trabalhava falava com o pessoal do sul e achava aquele sotaque lindo demais.
Beijão, Lilás.

Renata disse...

Ahhhh
Web Momminhaaaaaaaa....
Que mimoso esse post....
eh verdade, eu falo tudo no diminutivo... tudo pra mim eh "piquininin"... kkkkkk
sou goiana, mas sempre me perguntam se seu mineira... quando resolvo falar direito, me perguntam se sou paulista... ah neimmm.....
meu primo de Paris veio me visitar, me disse que estou com o sotaque carregado... que jah falo portugues arrastando o sotaque americano... tem quase 10 anos que moro aqui... imagine a Lucinha que jah tem 11!!! deve carregar no sotaque simmmm....
kkkkkkkk
beijins bostonians...
=o)

ML disse...

Beth: isso é um post ou uma poesia, minha amiga?
O meu sotaque é uma bagunça: petropolitana-carioca que manda uns "meu" muitas vezes e se me demorasse na Bahia aposto que ia começar a dizer "mãinha" ;>)

bjnhs

Luciana Håland disse...

Adorei o post, muito engracado.
Uma coisa que percebi foi que depois que vim morar aqui o meu sotaque se acentuou, quando falo português sai bem mais nordestinês do que antes.
Outra coisa que eu observo com relacão a isso de sotaque é a negacão do sotaque por algumas pessoas, não sei se isso vem da "imposicão" feita pela mídia televisiva ou sei lá, mas dá pena ver alguém ter vergonha da sua cultura, do lugar de origem, ...
Beijos

Somnia Carvalho disse...

Hey Lilás! eu andava pensando exatamente nisso esses dias! pensei em como leio voce, a denise e outra tantada de gente e na escrita a gente nao percebe o sotaque que e algo tao marcante em cada um...

muito legal esse post! e o texto da renata que vc indicou tambem! quando pensar em mim, pense nuns érres puxados de caipirrr do interiorrr de sao paulo.

beijocas

Lúcia Soares disse...

Adorei seu texto, Beth. Você é uma pessoa muito observadora e está se aperfeiçoando, cada dia com um post mais cativante. Engraçado que o sotaque mineiro é facilmente identificável mas a gente gosta de dizer que não é tão exagerado como aparece na TV, por exemplo. Igual aos sotaques nordestinos, sempre meio exagerados nas telinha, principalmente em humorísticos. Mas que é um trem bão dimais ser minerim, num tem dúvida, uai!!!

Kenia Mello disse...

Beth, sou pernambucana, mas, na verdade, de Caruaru, apesar de morar em Recife. :)

Para as pessoas daqui, não tenho mais sotaque local. Morei 11 anos fora de PE e com certeza muita coisa nesse tempo foi adquirida pelo que morei em Belém, Rio de Janeiro e São Paulo.

Mas, menina, quando estou brava, a pernambucana, legítima e sem sotaque de fora, volta que é uma beleza. Hehehe

Beijos.

Laura disse...

hahahaha
esse foi otimo, valeu pela lembrança!!!
A felicidade do meu marido é me ver falando frances com o R ultra-maxi-plus arrastado!!
BonjouRR... Au RevoiRR!!
Sem contar o uai!!!
BeijoXXX

Chantal disse...

Afe, já pensou essa mulherada toda numa sala falando? Que cantoria?! rsrs

Eu arrasto lindamente, pernambucaníssima.

bjos

Lucia Cintra disse...

Xiii, agora vc me deixou paranoica. Que sotaque eh esse que eu tenho? Talvez nao puxe tanto os 'r' e 's' como antigamente, mas alem disso nao sei.

Tenho sim dificuldade de lembrar certas palavras, pois nao falo Portugues frequentemente por aqui - falo ingles 99% do tempo - isso a mais de uma decada.

Se me enrolar toda qdo te ver em Marco vai ser sua culpa, mae-furinga!! Rsrs

Meu pai eh paulista e mesmo morando no Rio durante minha vida toda, nunca perdeu o dele. Me lembro da gente gozando ele quando chamava a galinha (comida) de 'frango' ou entao nenem de 'nene'...palavras paulistanas, rsrs.

Minha mae era gaucha, mas nao tinha mt sotaque, pois cresceu em Santos e depois foi pro Rio. Agora eu e minhas irmas, crescendo em Niteroi, temos todas o mesmo sotaque.

Bjos

Beth/Lilás disse...

Lucinhaaaa,
kkkNão esquenta, não!
Mas, que vc deve ter um leve sotaque quando fala o português, ah isso deve ter!
É bonitinho, charmoso até!
Será que vc falará Niterói ou Nitaraí?! kkkkkk
beijão
.........................................................

Cristiane A. Fetter disse...

Fala sério, rs.
Seu sotaque carioca está grafado errado, é bixxxxxxxxxxxxcoito, não tem s.
Foi por isso que você escreveu sobre o meu sotaque carioca no vídeo que eu coloquei no meu blog, agora entendi.
Adorei o post.
beijocaxxxxxxxxxxxxxxxxxxx.

Sonia H. disse...

Oi, querida,
Amei o post sobre os diferentes sotaques.
Esta unidade do Brasil através da língua é algo realmente impressionante. Depois vou dar uma passadinha nos sotaques de quem não conheço ainda.
Eu amo os diferentes sotaques do nosso país e na minha família há vários sotaques misturados.
Beijos e um ótimo domingo,