.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

domingo, 17 de agosto de 2008

Sonhando uma Olimpíada

Hipocrisia e falatório, sem fronteiras, é o que vemos nos políticos e governantes hoje em dia.

Diante da enxurrada de medalhas de ouro que os países ricos e desenvolvidos financeira e socialmente vem obtendo nesta Olímpíada, nosso país fica cada vez mais equidistante de tudo isso. Até mesmo nosso único vencedor olímpico que nos deu um ouro nesta sexta-feira - César Cielo - fez todo seu
treinamento nos Estados Unidos e lá estudou Administração também. Em virtude de tão pouco investimento que o governo faz nos esportes e no crescimento dos jovens para a educação e lembrando que tivemos idéias tão maravilhosas que o Prof. Darcy Ribeiro nos deixou como os CIEPs, onde tinha como proposta fazer com que o estudante permanecesse quase integralmente na escola, recebendo estudo, alimentação e esporte. Mas, infelizmente foi usada como um baluarte político e caiu logo após a queda daquele governo no ostracismo e ninguém mais, município ou estado, usou este fantástico modelo, para não exatamente caracterizar o efeito do político passado. Estão todos por aí, como esqueletos sombrios por toda a cidade do Rio de Janeiro. É assim que nosso país vive. Todos querem inventar, mas não aproveitar a boa idéia e dar continuidade.

Quando meu filho fez intercâmbio no seu terceiro ano colegial nos Estados Unidos, numa pequena cidade de menos de 30 mil habitantes, contava-me como era grande o apoio que a escola recebia, tanto do estado que oferecia bons ginásios e alimentação para o treinamento e desenvolvimento de seus alunos, quanto dos pais que voluntariamente se revezavam para levar lanches extras, energéticos para os filhos e suas turmas quando estavam treinando natação ou qualquer outro esporte. Chegavam com cestos grandes de frutas e gatorades para incentivar seus filhos e colegas ao esporte e valorizar o ato da ajuda comunitária.
Então, dentro desse cenário, multiplicam-se talentos porque são milhares e milhares praticando esportes e naturalmente aparecem tantos vitoriosos.

Enquanto isso, viagens à China com comitivas de grande gasto para convencer ao Comitê Olímpico que o Brasil gostaria e teria condições de sediar uma Olímpiada num futuro é algo que soa meio falso, meio grandiloquente, meio escabroso, digo até meio sem-vergonha! Marketing político puro para agradar o povão.

Ora, se você quer receber alguém em sua casa, antes de mais nada a prepara para isso, limpa, organiza, deixa tudo bonito e bem feito para receber aquela visita!!! Não seria assim então que nossos
governantes deveriam fazer prá início de conversa?!

7 comentários:

Lucia Cintra Stevenson disse...

E' verdade. Aqui nos USA eles dao muito valor a esportes e suporte ao atleta. Tanto que voce pode ate conseguir uma bolsa de faculdade (inteirinha paga) ao participar do time de algum esporte do colegio - principalmente o futebol americano.

Brasil... amo esse pais, mas e' uma pena como parece que ninguem liga pra nada... bjos

Uma Brasileira nas Arábias disse...

Ah, Lilás... Você disse tudo. É incrível como os governantes brasileros maquiam a nossa realidade para convencer o povo e as autoridades internacionais.
O circo aí pegando fogo e eles querendo dizer que está tudo normal, que têm dinheiro para mandar todo mundo para olímpiada... De que adianta? esquecem dos atletas por 4 anos e na véspera da competição querem que façam milagres??? Não dá, né?
Nos jogos do Pan, minha mãe que mora perto do estádio do Engenhão, disse que nunca viveu em um lugar tão policiado, organizado, limpo e seguro. Vai lá ver como está agora... O estádio continua lindo, mas o bairro foi abandonado de novo. Uma pena. Bjs.

Kenia Mello disse...

É verdade, Beth, viajar para aparecer e incentivar os atletas brasileiros é fácil, difícil (e pouco interessante) é realmente investir no esporte. Não sei se você sabe, mas para judoca Katleeyn ir às Olimpíadas e ganhar sua medalhinha de bronze, a mãe precisou se endividar e os vizinhos fazerem uma cota para comprar os quimonos...

Mas, falando na Bahia no último post, hoje também tem mais uma notícia que reflete o abandono da população, dê uma passadinha lá e veja com com seus próprios olhos. :)

Beijos.

Sonia H. disse...

Beth querida,

Teu questionamento é perfeito.

O Brasil é surreal...


Beijos,

leila disse...

Mas eu acho que a grande esperança para melhorar o apoio ao esporte no Brasil é sediar a Olimpíada. Vamos ver se assim as autoridades e a iniciativa privada tomam vergonha e correm atrás do prejuízo.

Teresa disse...

Bom dia Lilas
Voltei das minhas mini férias, Adorei conhecer a vila onde fui, muito bonita mas o tempo não ajudou muito. Choveu bastante mas deu para visitar um pouco. Dei uma olhadela pelos seus postes, adorei a história do Vitinho, comoveu-me e fez uma lágrima ao canto do olho. Beijinhos e uma boa segunda feira

As aventuras de uma brasileira no Egito disse...

Ainda tenho esperancas que aconteca isso no Brasil...uma faxina e das grandes.....

Beijos e fiquem com Deus