.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

sexta-feira, 16 de maio de 2008

Alma florida

"Se cada flor tem o seu tempo,
Eu aceito florescer
No apropriado momento".
-Florbela Espanca-

A expressão "casa de pedreiro-espeto de pau" nunca se aplicou na casa de meus

pais, pois dede pequena habituei-me a ver flores em jarros nos finais de semana, ou algum vasinho plantado por minha mãe enfeitando a casa. A família paterna foi toda ligada à floricultura.Meus avós tinham no início do século passado, um sítio em Friburgo com extensas plantações de rosas. Meu avô e seus filhos, logicamente meu pai, inclusive, plantavam e forneciam flores ao comércio do Rio de Janeiro nas décadas de 20/30.
Consequentemente, a família quase toda teve um comércio voltado para este tipo de negócio.

Nos aniversários lá de casa era comum meu pai enviar bouquets de flores ou corbeilles para mim, minha irmã ou minha mãe.
Cresci envolvida por estas gentilezas e sabedora de que para se fazer uma mulher ficar contente era só receber um dess
es ramalhetes com um cartãozinho com dizeres carinhosos.

Acho bonito dar flores, recebê-las e até mesmo presentear homens com elas.
Noutro dia dei uma linda orquídea para meu amigo japonês lá de Petrópolis que adorou.

Quer me ver feliz, dê-me um vasinho com alguma florzinha. Não precisa ser tão bela como este de ciclamens brancos que minha irmã me deu no dia das mães e está linda até agora na minha sala.




4 comentários:

Anônimo disse...

Oie!

BEM VINDA AO MUNDO DOS BLOGS

Adorei tudo , está bem bonito e caprichado (como sempre você faz tudo), né?
Além das fotos e das figuras, os seus textos são maravilhosos. Adoro a maneira como você escreve...
Está de parabéns, vou ser sua leitora assídua! Estou com saudades de você...

Beijão!!!

Marinéa

Lilás disse...

Ahh, Marinéa!
Que prazer vê-la por aqui.
Não esqueço que quem me ensinou todas essas coisinhas bonitas foi você, minha querida.
Um grande beijo e obrigada.

Sylvia Regina Marin disse...

Oi, Beth
Espero, um dia, ter tempo para aprender essas coisinhas bonitas. Quem sabe você me apresenta à Marinéa.
Adoro flores também. Seu jarro está lindo demais.
Beijos.
Sylvia

Lilás disse...

Pois é, Sylvia!
Esta moça aí em cima foi minha professora pessoal lá em Petrópolis, pois cidade pequena tem dessas coisas, é mais fácil pra gente conseguir viver. Ela ia todas as quartas na minha casa e me ensinou desde o básico até o fotoshop que era o que eu queria mesmo. Não queria saber de cursinhos chatos que ensinam coisas que a gente não está interessado.
Pena que ela more lá e está se preparando para concursos, senão tenho certeza que iria dar-lhe umas aulinhas. Depois de junho ela virá até aqui, aí te aviso, ok.
Bjks