.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

sexta-feira, 25 de abril de 2008

O tom de nossa vida

Se houver um tempo de retorno,
eu volto.
Subirei, empurrando a alma
com meu sangue
por labirintos e paradoxos
_ até inundar novamente o coração.
(Terei, quem sabe, o mesmo ardor de antigamente.) - Lya Luft




Todos os meus amigos sabem que adoro um bom bate-papo e que se tiver uma oportunidade para soltar a língua e rir bastante é comigo mesma. Enquanto minha cabeça estiver plugada neste mundo e forças tiver para levar o corpo a algum lugar que reuna amigos ou pessoas do bem, lá irei com prazer e alegria. Sempre gostei de me relacionar ou ouvir pessoas que têem algo prá contar, mas não sou boa dançarina, por isso convites para bailes não me é muito atraente. Eu gosto de gente.


E, talvez, por ser mulher, tenho mais facilidade de formar laços e afetos e me reunir em grupos.


Mulher é mesmo diferente, pois canso de ver muitas viajando sozinhas ou em dupla ou em grupos, divertindo-se, conhecendo lugares,achando uma brechinha no tempo para tomar um cafezinho com uma amiga ou até mesmo estudando novamente. Mas não vejo os homens fazendo o mesmo.




Meu marido, que não é muito chegado à falações, mudou muito desde que estamos casados. Às vezes preciso empurrá-lo para alguma reunião com amigos, mas quando chega lá logo se integra ou ao final da festa, ele volta contente de ter saído e trocado idéias.




Não tem jeito, o ser humano é um ser que precisa, necessita viver socialmente, senão corre o risco de entristecer o coração e envelhecer prematuramente.




É sempre bom buscar novos interesses, às vezes até triviais, como o que fiz ainda hoje à tardinha, voltando da manicure. Na esquina da minha rua tem uma linda clínica de olhos (a mesma que estão filmando a novela das 19 horas na Globo) e na chegada, toda envidraçada vi um cantinho gostoso com dois músicos tocando instrumentos - um com violino e o outro no violão. Pensei com meus botões: um cafezinho a esta hora não era nada mau e, como não tenho o menor problema em entrar em restaurantes, lanchonetes, etc. sozinha, claro que entrei, pedi meu cafezinho, comi uma empadinha, ouvi duas músicas lindas que eles tocavam e pronto....minha alma já ficou feliz.


São coisas assim que a gente deve parar prá fazer, principalmente quando se tem a minha idade e que já não tô nem aí para o que os outros vão pensar. Foi bom e recomendo!




Mas, retornando ao tema de sair, bater papo com amigos, relacionar-se é para contar-lhes que hoje fizemos uma noitada diferente. O convite já vem de muitos e-mails que meu marido recebeu e sempre tinha um motivo prá dizer não. Ora porque estava muito cansado, ora porque estava viajando, ora porque era muito longe e até por mêdo (meu) de sair à noite no Rio e voltar tarde.






Dessa vez resolvemos encarar o convite e fomos a um jantar de re-encontro dos amigos dele da Escola Técnica Federal-RJ-1974 realizado na casa do Sérgio e família no Leblon.




É incrível ver os homens quando estão à vontade entre eles como ficam alegres e no fundo são iguais a nós mulheres, pois falavam todos juntos, relembravam momentos engraçados do grupo e os apelidos de cada um e historinhas da época, como por exemplo: quem colava de quem, quem era mais CDF na turma, quem já namorava e essas coisinhas que marcam nossas lembranças e que são gostosas de relembrar.Pareciam garotos que haviam se transportado para o ano de 74, como meninos travessos que eram, externando seus passados com alegria adolescente. Outra coisa interessante é que homens não têm pudor em falar o que acham do outro, assim "na lata" como se diz (mulher é mais solidária até nisso), pois a gozação entre eles do fato de um estar careca hoje em dia e usar aquele cabelão nos anos 70, assim como o outro que era magicela estar hoje com uma barriguinha protuberante, o outro estar cheio de cabelos brancos, etc.... mas sempre muito alegres e amigos.





Nós, mulheres, conversamos muito,teve até cantoria no karaokê depois do gostoso jantar servido, alguns arriscaram uns passos de dança de salão, mas a nossa alegria em vê-los ali juntos, sorridentes e descontraídos, como garotos de 17 anos relembrando seu passado glorioso é que nos deixou satisfeitas e admiradas.





Ver que as qualidades interiores de cada um vão sobressaindo, afirmando-se sobre as físicas nos dias de hoje é o que importa. Tinha então ali, pessoas trocando boas energias, todas belas, dignas, elegantes e acima de tudo vitais. Não mais amadores da vida e sim seres produtivos e competentes, brindando a vida e o muito que ela tem a nos oferecer ainda.




Na despedida já faziam planos de quando será o próximo encontro. Saúde a todos!







*Inspiração - Lya Luft-Perdas e Ganhos

5 comentários:

Heloisa disse...

Beth querida!
Adoro ler tudo o que voce escreve!
Voce tem facilidade em encontrar as palavras adequadas para cada momento.
Tudo parace fluir com muita naturalidade e, talvez por isso sinto prazer em ler todos os tópicos do seu blog.
Não preciso acrescentar mais nada, pois voce já disse tudo e muito mais!
beijinhos querida amiga!

Lilás disse...

Helosinha, você também escreve bem prá caramba! Tenho alguns cartões de natal seus guardados e todos muito bem escritos.
Você, como muitos, tem preguiça de escrever.
Beijinhos e obrigada pela visita.

Lilás disse...

PARABÉNS!! EIS AÍ A MAIOR PROVA DE QUE A VIDA PRA SER BELA TEM QUE SER BEM CONSTRUÍDA.
NOSSO GRUPO MERECE, NOSSAS ESPOSAS MAIS AINDA.
O DEPOIMENTO DA BETH, ESPOSA DO GAÚCHO ME EMOCIONOU, LENDO SUAS PALAVRAS LÁ NO BLOG E ESCREVENDO ESSA MENSAGEM CONFESSO CONTINUO CHORANDO DE EMOÇÃO E FELICIDADE.
E AÍ FAÇO A PERGUNTA A VOCES : POR QUÊ SEMPRE QUE NOS ENCONTRAMOS ROLA ESSA EMOÇÃO?
COM CERTEZA JÁ RESPONDEMOS EM ALGUNS MOMENTOS, TALVEZ ESTEJA EM ALGUM LUGAR NO PASSADO.
FOI UMA PENA EU NÃO PODER TER ESTADO COM VOCES NESSA VEZ.
UM ABRAÇÃO EM TODOS, MUITOS BEIJOS E PRINCIPALMENTE QUE NOSSO EXEMPLO CHEGUE ATÉ AOS NOSSOS FILHOS,ESPOSAS E OUTROS AMIGOS QUE TEMOS POR AÍ.

E NINGUÉM CALA O MEU XÔRÔRÔ.

JBemvindo

Lilás disse...

Muito obrigado pelo carinho das suas palavras no blog e pelo seu entendimento de como são
esses eternos Meninos que Amavam os Beatles e os Rollin Stones.

Um abraço.

Enio

Lilás disse...

Olá Galera,

Como calouro dos encontros da 3CEL, não posso me furtar de dar meu testemunho de satisfação e alegria em rever todos os velhos amigos......mas jovens em espírito.....que lá compareceram. Foi ótimo ver aqueles garotos moleques, companheiros, alegres, quase que irresponsáveis chegar a profissionais competentes......talvez nem nossos professores acreditavam nisso. Parabéns a todos.

Como incentivo àqueles que ainda não puderam participar, quero dizer que foi tudo muito bom, uma oportunidade única, um flashback, um revival, uma viagem no tunel do tempo....parecia que tinha me transportado para aquele tempo das carteiras da ETF, laboratórios meio sujos, vestindo aquele jaleco azul com logo bordado, lanchando aquele pão com mate no refeitório........Aliás, nessa reunião descobri (depois de 35 anos) que naquela época havia o "esquema do ticket", praticado por muitos que lá estavam..........fiquei chocado, quase um escândalo nacional (hehehe!)........para maiores detalhes, procure ir ao próximo encontro.

Abraço a todos.

Wo