.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Vou de Táxi - I



Eu já contei aos amigos que não tenho sentido mais vontade de dirigir meu carro, culpa talvez do enorme entrave que encontramos pelas ruas hoje em dia, com tantos carros e confusões de trânsito e acabo ficando totalmente estressada. E, com isso passei a utilizar cada vez mais o serviço de táxis aqui na cidade onde moro.  Se vou, por exemplo, ao dentista uma vez na semana, quase sempre pego um ônibus que faz ponto bem perto de minha casa, com ar condicionado e musiquinha ambiente e vou sentada, e na volta sempre entro num táxi e venho tranquila, olhando pela janelinha a paisagem e a confusão de sempre no tráfego e conversando com o taxista.

Taxistas são figuras algumas vezes insólitas, alguns grosseiros ou caladões e outras vezes muito humanas, principalmente aqueles que têm educação e lutam pelo seu sustento, fazendo a diferença no atendimento, e isso se aplica também aqueles que cuidam do seu instrumento de trabalho que é o próprio carro. E eu só faço sinal ou entro num desses, se tiver com a aparência em dia, pois já tive a coragem de dizer não algumas vezes a motoristas que trafegam com carros sujos, sem cinto de segurança e o carro velho, porque já que estou pagando, exijo entrar numa viatura que seja limpa e organizada para não correr risco de vida por aí.  Eu posso parecer chata, mas como entrar num carro que tem os vidros todos escuros e sem a gente possa visualizar quem o está conduzindo, ou com os pneus carecas, lataria amassada ou enferrujada e um monte de irregularidades, como anda cheio e vemos pelas ruas?  Não, entro não!  E quem entra não tem amor à vida.
Espero e sempre vem um logo atrás, pois táxis por aqui tem aos montes.

E nestas minhas idas e vindas em táxis, tenho colhido alguns papos interessantes para uma série que vou lançar hoje por aqui e que darei o nome de Vou de Táxi  parodiando a musiquinha antiga da Angélica.
Serão breves conversas que perfazem um trajeto quase sempre de 10 a 20 minutos aqui dentro da cidade em que moro. Então, senta que lá vem estória!

 

A culpa é do Guanabara

Boa tarde, vamos para o centro na rua Olavo Bilac, no final dela, por favor!
\ Sim, senhora.
Nossa, mas como o trânsito está difícil hoje! Parece que a cada dia piora mais e mais isso aqui!
\ Ah, mas isso é culpa do Guanabara!  Estas duas últimas semanas tem sido assim, este inferno nas ruas.
Como assim, o senhor está falando do supermercado?
\ Sim, esse mesmo, que faz aniversário todo mês.
É mesmo, agora virou moda aniversário de loja e propaganda com promoção para a data!
Mas, poxa, isso é muito sério!  Uma cidade fica com o tráfego pesado ou interrompido por conta do aniversário e promoção de um supermercado!  Isso é caso para Ministério Público, o senhor não acha?
\ Ah, mas anteontem eles foram proibidos, mas ontem mesmo conseguiram uma liminar e voltaram a fazer
a tal chamada para as vendas de promoção.  O reflexo no trânsito vai longe, são quilômetros de engarrafamento, porque vem gente até de outras pequenas cidades para aproveitarem as tais promoções.
Ué, mas o povo ainda faz estoque de comida ou outras coisas como antigamente!  Eu vou umas duas vezes na semana, geralmente em supermercados pequenos, compro o que preciso e não estoco mais nada, não vejo necessidade disso.  E o senhor, foi lá?
\ Eu! Nem morto! Mas, a senhora não sabe como o povo adora essas coisas de promoção, né?!  Um colega passou-me um rádio ontem dizendo que estava trazendo uma mulher de Itaboraí para Niterói para visita a um médico, mas ficou tanto tempo parado no trânsito que desistiu e deram um jeito de retornar sem chegar à cidade.
E a senhora não vai acreditar, ontem recebi um chamado para pegar uma pessoa em Maricá. Quando cheguei lá, era uma senhora de 83 anos, entrou no táxi, com duas sacolas grandes nas mãos e disse pra mim  - toca pro Guanabara em Niterói!
Quase eu digo a ela que não, que não ia mesmo. Tentei convencê-la a não ir pra lá, disse-lhe que estava um caos para chegar até a porta do estacionamento do mesmo, mas não adiantou, ela não desistiu e disse assim: o senhor pode me deixar até um pouco antes, mas toca pra lá, não posso deixar de ir.
Ah, não acredito moço!  O que uma velhinha de 83 anos iria comprar num gigante daqueles? (morrendo de rir)
\ Bem, ela disse que tinha que levar dinheiro para a filha e algumas sacolas e que o preço do leite em caixinha estava maravilhoso e ela iria comprar para ela, para a filha, para o filho, para os netos, para toda a família.
Esse pessoal tem família grande, comem demais, estocam mesmo e com uma promoção dessas!
- Tem razão! E o senhor conseguiu chegar até lá?
\ Deixei a dona na porta do estacionamento detrás do supermercado, um lugar até perigoso onde tem uma penitenciária.  A velhinha saltou e eu ainda disse a ela para ter cuidado por ali e olhasse se vinha algum carro saindo do estacionamento. E lá foi ela, com as bolsas grandes para dentro daquela enorme confusão.
Nossa, que absurdo!  Pois é, mas pode ser que a pessoa tenha também um mini-mercado ou algum negócio numa cidadezinha qualquer e sempre é bom comprar em grande quantidade, né?
\ Ah, isso é verdade!  Mas, fazendo as contas, aquela senhora gastou muito em táxis para ir e voltar pra casa, será que valeu a pena tudo isto? Sei não!
Ai moço, como está confuso, acho que chegarei atrasada no dentista!
\ Não, daqui a pouco desafoga um pouco e a gente chega a tempo, pode deixar. (e corta daqui e dali, chegando na hora certa)
Ufa! Que bom, o senhor é ótimo motorista!
\ Obrigado!  Mas, teria sido mais rápido se a culpa não fosse do bendito Guanabara. E ano que vem tem mais aniversário, heim!
- Ano que vem nada! Daqui alguns meses eles inventam outro aniversário, pode apostar. Tchauzinho!


 


Para comprovar o nosso diálogo, vejam a reportagem ao lado - CLIQUE AQUI.







20 comentários:

Georgia Aegerter disse...

Hiláaaaaaaaaaaario amiga este teu post.

Amei!

A culpa é do Guanabara, ahahahahah


Bjos

Teresinha Ferreira disse...

Bom dia Beth,
Já que estou pagandooooooo...rsrs.
Concordo plenamente contigo em relação a aparência e as condições do táxi. Também fico sempre atenta para esses detalhes.
Adorei a saga vou de táxi. Essas promoções dos supermercados estão cada vez maiores. Culpa do Guanabara.kkkkk.
Beijos mil

✿ chica disse...

Papo cabeça e os motoristas sabem e podem nos orientar. Estão sempre no caótico trânsito que também detesto, como tu!


E o povo parece adorar um muvucão desses né? Procura sarna!!

beijos,tudo de bom,chica

Beatriz disse...

Hilário Beth!!!
Não só o Guanabara, mas até loja de colchão vi outro dia fazendo aniversário, é mole!
Ainda bem que o brasileiro ainda tem senso de humor! É por isso que por aqui eu vou de bicicleta!!!!
Beijinhos

Bia
www.biaviagemambiental.blogspot.com

pensandoemfamilia disse...

Loucuras nossas de cada dia.

Que bom que o texto do Ponto de Encontro inspirou uma série para vc.
Adorei, e vamos seguindo....
bjs

Pitanga Doce disse...

Sem tirar, nem por. Tem lojas que fazem aniversário duas vezes no ano. A Casa e Vídeo é uma. Eu não entro nessa muvuca nem amarrada. hhehe Aliááás, supermercado é um castigo para mim!

Boa tarde Beth! Sol e calor quanto baste! Afff!

Bia Jubiart disse...

Rsrsrsrs muito bom Beth!

O post, e a narrativa original. Aqui a cidade é pequena, eu mesmo dirijo, como é interior as pessoas esquecem de dar sinal p/ virar e estacionar, como sou prevenida fico sempre atenta.

Quando viajo uso muito o táxi, são pessoas com muitas histórias p/ contar e ensinar. Tenho sorte nunca encontrei taxista chato...

Em tempo: Não quero ir em sua city em dia de promoção do Guanabara rs.

Valéria disse...

Oi Beth!
Aí até que se encontra uns taxistas bom de papo, aqui são bem grossos. Toda semana uso o serviço de taxi e vejo a falta de educação deles principalmente no trânsito. Menina, minha corrida é pequena, você acredita que um um dia desses quando eu falei para onde era ele foi com 30 Km, eu quase surtei.rsss
É, de promoção estou correndo, mas para longe. Aqui só vai para promoção o que está prestes a vencer ou o que está fora de moda.rss
Beijinhos!

Cristina Pavani disse...

Beth, estou claustrofóbica!
Aqui, gasto 4 minutos de moto ao serviço, e 1 minuto a pé no outro (do Esposo).
Minha mãe usa taxi e liga antes, aqui há poucos, e conhecidos.
Dirigir? Gosto dos carros automáticos.
Um beijo descongestionado!

Lúcia Soares disse...

Beth, Bh está quase chegando nisso, do caos do trânsito, em algumas horas é inviável sair de casa.
Também gosto muito de papear com os taxistas, dificilmente entro em táxi sem entabular uma conversa. E eles sabem de tudo o que acontece, acompanham noticiário, ficam por dentro de tudo.
Como aqui temos inúmeros supermercados, nunca vi algum que congestionasse assim o trânsito.
Nunca vou atrás de pechinchas anunciadas, quase sempre uma fraude. Prefiro as liquidações gerais, quando temos mais opção de escolha.
Beijo!

Mery disse...

Beth, já to de saco cheio por causa do Guanabara "que faz aniversário todo mês" he he he...
Ontem mesmo comentei isso c uma amiga, juro.Agora eu tive que rir "esse motorista é bom de papo; também gosto de táxis mas ñ tenho "grana ..Então uso um carro véinho q tenho ou vou de kombi "transporte alternativo" ...
Não entro no Guanabara, nem tenho muito tempo pra isso "sou como você vou ao mercado mais próximo e tá bom...
Gostei demais do post ...
&
# Quanto à novela Salve Jorge* vou postar algo mais pra frente; eu já postei e excluí. Penso q querem camuflar a violência no Alemão "ficção"; não será um "Cidade de Deus, não!... No primeiro capítulo senti a ênfase q deram para "a pacificação" querem passar a imagem q tudo deu certo hahaha
melhoria na qualidade d vida, etc rs " Um miserê por aqui, só vendo! Tudo mentira! não estamos vivendo melhor, nem temos segurança para andar à vontade "somos revistados a qualquer momento entram em nossas casas para ver se há drogas e ... armas; " a Polícia parece q erra sempre o alvo e só acerta nos inocentes " morrem muitos "crianças, adolescentes enfim "tudo como era antes...]A história da Glória Perez é mais de FÉ ao santo, pois pelo q conta "o protagonista foi salvo por um milagre e Fé é tudo...Eu respeito! Tem outra trama q é a exploração das mulheres, ou seja "tráfico de mulheres para fora do País que 'acabam na prostituição", por inocência caem num golpe (?
Estão gravando bastante aqui, tá até mais sossegado por conta da segurança reforçada "Globo, né!!
Vou postar sobre o q ando vendo "muitos artistas e tal,,
Quero saber mais e, com certeza vou comentar.
Beijinhos e q tenhas um ótimo dia, longe do Guanabara¨¨¨rs
Tchauzinho.

Beth/Lilás disse...

Obrigada Mery pela resposta, pois você é o meu elemento vivo para saber da realidade que está hoje no meu Rio de Janeiro. De fora, quem vê a beleza das imagens trabalhadas, não imagina um terço do que é tudo isso.
Vou esperá-la, porque sei que você é uma pessoa verdadeira e não floreia nada.
um abração querida
=====================================



Dolce Vita disse...

Muito bom!

Lulú disse...


Olá Beth
Passei para deixar um abraço.
Gostei de sua postagem. Ja tenho dito aos meus filhos que deixem o carro para passeios. Usem taxi que vai sair mais barato e vocês com mais saúde.
Beijos
Maria Luiza (Lulú)

Calu disse...

Kkkkkkk,agora, já sei porque enfrentei engarrafamento ontem.Pode??
Betinha, vou sugerir às montadoras para fabricarem carros aéreos iguaizinhos aos dos Jetsons, pelo menos temos mais céu que chão.
Muito legal esta série, vai dar panos pras mangas.Amei!
Bjkas,
Calu

Palavras Vagabundas disse...

Beth,
hoje, também, diijo muito pouco, cansei. Gosto de ônibus, principalmente os frescões, por aqui muito comum para chegar ao centro e a zona sul. Gosto de conversar com taxistas, ansiosa pela série.
Você conhece um blog chamado Taxitramas?
bjs
Jussara

Luma Rosa disse...

Ah, que estresse!! Pego esse engarrafamento do Guanabara direto. Na terça-feira peguei... eles fazem promoção sempre ou estão me perseguindo? Eu ando com muita preguiça de ir ao Rio por causa dos engarrafamentos que pego e infelizmente tenho que ir de carro.
Eu mudei do Rio por causa da violência e também por causa do trânsito. Aqui em Cabufa, trânsito só quando os turistas estão na cidade. Do contrário dá para ir à pé, de bicicleta ou de carro apreciando a orla. Acho que não moro mais em cidade grande. Para onde eu tiver que ser transferida, vou procurar uma cidadezinha pequenina ao lado. Beijus,

Toninhobira disse...

Minha amiga, o que mais gosto de ler são estas cronicas do cotidiano e aprovo e incentivo esta sua ideia.Basta um olhar mais apurado para extrair perolas.As cidades crescendo desorganizadamente, as fabricas no afã louco de vender cada vez mais,criam todo este estado de stress a que estamos submetidos gradativamente e para fugir não é tarefa facil.Vai de taxi e vai bem,desde que tenha um criterio rigoroso de seleção como tem feito. Parabens pela condução do dialogo e sei que teremos otimos relatos. Boa sua reflexão do consumismo desenfreado e estimulado das empresas de marketing e confessamos que torna tentadora a corrida ainda que bem sabemos que atrás delas, as pessoas acabam pagando caro por outras merdacadorias.
Gostei minha amiga carioca.
Tenha um lindo fim de semana de paz e alegria com a familia.
Um terno abraço mineiros de paz e luz.
Beijo.

ML disse...

Adorei isso, "a culpa e do Guanabara", muito engraçado, Beth.
Mas o trânsito está caótico por toda parte: outro dia, levei 2 hs da Barra à Z.Sul - e não tinha Guanabara no caminho ; > 0

bjnhssssss

Priscila Ferreira disse...

kkkkkkk, adorei a senhorinha!
Todos amam uma promoção, podem nem estar precisando mas acabam contando!
Gostei e espero o proximo post de táxi!
E os cabelos, decidiu? eu que estou na dúvida, até coloquei no blog como vc!
beijos