.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

sábado, 6 de outubro de 2012

Para suavizar este final de semana

Chico Buarque - 1968

Junto à minha rua havia um bosque 
Que um muro alto proibia 
Lá todo balão caia, toda maçã nascia 
E o dono do bosque nem via 
Do lado de lá tanta aventura 
E eu a espreitar na noite escura 
A dedilhar essa modinha 
A felicidade morava tão vizinha 
Que, de tolo, até pensei que fosse minha 
Junto a mim morava a minha amada 
Com olhos claros como o dia 
Lá o meu olhar vivia 
De sonho e fantasia 
E a dona dos olhos nem via 
Do lado de lá tanta ventura 
E eu a esperar pela ternura 
Que a enganar nunca me vinha 
Eu andava pobre, tão pobre de carinho 
Que, de tolo, até pensei que fosses minha 
Toda a dor da vida me ensinou essa modinha 


Chico se mantém informado, acompanha o que está acontecendo.  Não tentem pegá-lo, como fez um repórter ao lhe perguntar por sampler.  
O sambista transita por outros ritmos, mas não se sente obrigado a embarcar numa canoa só por se tratar de novidade.  Adora a juventude, mas nem por isso a corteja - para adaptar outro achado de João Cabral, 
Chico nunca pintou os cabelos musicalmente.
Nem musicalmente, nem em sentido literal, benza Deus.  Ele ganhou cabelos brancos de "senhor", mas ainda leva jeito de "você".  Não está gostando nada de envelhecer, mas aos vinte anos já desconfiava de que isso ia acabar acontecendo.  Em 2004, quando fez sessenta, prudentemente sumiu do mapa, adivinhando o vagalhão de comemorações que se ergueria sobre ele.  Mas nada de Greta Garbo nesse sumiço; só não acha a menor graça em fazer aniversário, nunca achou, na juventude não comemorava e não haveria de ser agora, quando lhe tocou um número que, além de redondo, é pesado.
O primeiro tranco etário foi lá pelos quarenta e cinco, cinquenta anos, naquela altura da vida em que um homem é pela primeira vez chamado de senhor.  É um choque, e, como se sabe, não tem volta. "No começo eu reagia", diz Chico, "não me chama de senhor não", ou dava o troco, chamava de "senhor" também."
Conformou-se, e eventualmente até acha graça.  "As pessoas, conta, "chegam e falam coisas terríveis: "Eu não posso morrer sem tirar uma foto com você."  Na verdade elas querem dizer: "Eu não posso você morrer sem eu tirar uma foto ..."
Durante a turnê de As Cidades, em 1999, Chico acordou num hotel em Goiânia, pediu o café-da-manhã, ligou a televisão - e ficou sabendo que o show corria o risco de ser cancelado, pois havia um problema sério com a venda dos ingressos.  A certa altura, um entrevistado ponderou: "Chico Buarque está com cinquenta e seis anos, está aqui em Goiânia, acho difícil que ele volte, melhor liberar esse show...".
- Isso é maneira de acordar, começar o dia ouvindo uma coisa dessas?

-Excerto do Livro Chico Buarque Tantas Palavras - página 128 - que estou lendo e adorando.


-Imagem - Pinterest-







12 comentários:

✿ chica disse...

Que legal saber mais sobre a vida dele, de quem gosto muito!

Ele sabe das coisas e muito bem!! E ainda está muito bem também!!! beijos,lindo fds!chica

manuel marques Arroz disse...

Linda esta sua postagem.Obrigada por partilhar.

Beijo meu.

Calu disse...

Chéri du mon coeur,
este livro é imantado, difícil desligar-se dele, ainda mais com tua sensibilidade, que formou este painel maravilhoso de imagem+letra+música=a Chico.
Ficou super!
Bjkas,
Calu

Maria Célia disse...

OI Beth
Adorei a postagem, Chico é bárbaro, desconhecia esta música e amei.
A imagem é um verdadeiro encanto.
Beijo

Cristina Pavani disse...

Beth!
Estou me lembrando de 1975, quando estudei "A Banda" na escola.
Me lembro vividamente... culpa sua!
Um grande abraço a você e leitores,
Cri.

Toninhobira disse...

Chico é uma peça rara nossa MPB e literatura.Tenho tudo da obra dele.Recebi recente o livro Leite Derramado.Sua postagem é perfeita ao Grande Chico.
Bom fim de semana amiga.
Entendi da postagem para 12/10.
Carinhoso abraço.
Bjo de paz e luz.

Leila Brasil disse...

Está em boa companhia! do livro, das canções das reflexões que produz , da simplicidade com que seduz os maiores encantamentos

vou com a modinha, com o tempo do Chico que de "modo impreciso coloca rugas ao redor de sua boca como contrapesos de um sorriso "

Beijos

pensandoemfamilia disse...

Boa dica.Gosto muito desta modinha, agrada aos ouvidos e alma.
bom domingo de votação.
bjs

Pitanga Doce disse...

Beth, sabes o que penso quando ouço uma melodia destas (a qual sei a letra dos tempos de adolescente)? Como pode um ser mortal ter tanta poesia em si? Há um lirismo em suas letras, sem ser piegas, meloso ou cansativo. Outra pérola e que ouvi ontem, antes de começar o ballet no Carlos Gomes, é Retrato em Branco e Preto. Nooossa senhora! E Atrás da Porta? É um tiro. Isto dá para suavizar a semana inteira e nos livrar de Faustão num domingo à tarde.

Beijos do lado de cá.

ML disse...

Músicas, as antiga, tudo bem. As novas são... vc gosta? Quem gosta? Eu, mereço, não. ("Tapioca, quentinha, saborosa...")
Quanto ao sujeito, me parece mais um "intelectualóide" que divulga que Cuba é o caminho (elegeria H. Chaves e a mulher do Kirchner, além do lixo made in Br.), enquanto passa as férias (de 06 meses) em Paris - em ap próprio.
Esse aí, já deu, Beth.

Mas viva a democracia!

bjnhs

Bia Jubiart disse...

O livro deve ser bem interessante, gosto do Chico introspectivo escritor, compositor, já o cantor...

Bom dia Beth!

Recebi seu recado, achei sua forma de homenagear super original, infelizmente, acredite! Não tenho uma foto quando criança, meus pais tinham, porém nas andanças da vida foram se extraviando, falei com minha mãe, fomos no albúm (que sobrou da família), tem uma imagem minha preta e branco, quase toda apagada... Acho que nem vale o registro, de qualquer forma grata pelo carinho!
Tenha uma semana luz!

Bjãoooooooo

Lúcia Soares disse...

Chico é Chico. Com suas qualidades e defeitos, como todos nós. Um artista, antes de mais nada, com suas (muitas) esquisitices.
Mas letrista como poucos.
Poucas pessoas no mundo entendem da alma feminina tanto quanto ele. (para compor, pq na vida real...Há controvérsias...rsrs).
Aqueles olhos verdes...
beijo!