.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Reflections - para uma Borboleta Quarentona e lindia.


Dias atrás fiquei olhando curiosa e refletindo sobre as incríveis imagens do fotógrafo americano Tom Hussey e vocês poderão também interpretar facilmente vendo algumas delas abaixo.

Quem de nós, passados dos 30, 40, 50 ou mais anos, não se olhou no espelho um dia e viu a imagem do que era, do que foi e não a da que é agora?
O talentoso Tom Hussey deu nome à série de "Reflections" e a inspiração veio num certo dia em que um amigo de seu pai, veterano de guerra, prestes a completar 80 anos, disse-lhe: "Não posso acreditar, eu ainda me sinto como se tivesse voltado da guerra, com meus 20 anos. Quando me olho no espelho, vejo essa cara e não me reconheço."

Como muitos de nós já teve essa mesma sensação na vida, seu trabalho teve um enorme impacto em quase todo o mundo, até mesmo nas diferentes culturas, quase todas unânimes no sentimento de que 
envelhecer por fora, muitas vezes, não acompanha o que vai lá dentro da gente.  O crachá do trabalho que meu marido usa até hoje, por exemplo, tem uma foto sua quando ainda tinha cabelos e isso já tem mais de 20 anos.
Todos nós temos lembranças de tempos maravilhosos de nossas vidas, do tempo da escola, do dia da formatura, do casamento, do nascimento de um filho, de uma viagem sensacional quando mais jovem e
olhar no espelho e ver a realidade do hoje pode despertar nostalgias, um certo olhar perdido no ontem,  saudades ou até mesmo um pouquinho de medo.  Da velhice, claro!
A série tão bem feita foi vista por uma agência de publicidade que contratou Tom para fazer a campanha de um medicamento para o Laboratório Novartis.
Vocês poderão ver mais aqui neste site ou aqui.

Quando eu li o que a querida borboletinha Somnia escreveu em seu último post, além de rir um bocado com ela, porque escreve de uma maneira deliciosa e bem humorada, mesmo quando está apavorada diante de certas constatações, lembrei-me então destas maravilhosas fotos que cabem exatamente na junção de suas palavras. Soninha está se achando velha aos 41, oh céus!  Ai, meus tempos dos 40! Saiba que quando me olho bem no espelho não me reconheço como esta senhora meio fofinha e com os ares espevitados dos meus 20 e poucos, tenho que me segurar numa loja de roupas para não sair pegando modelitos que não mais combinam com meus entas e tantos, mas confesso, adoro bolinhas, oncinhas, tigresas, lacinhos e coisa e tals. E pergunto ao espelho, cadê eu?
Não tem jeito, ou morremos jovens ou escolhemos envelhecer.  Certamente, eu já escolhi a segunda hipótese e não me arrependo, mesmo todos os dias tendo que consertar uma coisinha daqui outra dali, mas não saio do jogo.  Pois não paramos de jogar porque ficamos velhos, nós nos tornamos velhos quando paramos de jogar, assim como quando paramos de rir, quando paramos de sonhar, quando paramos de realizar coisas e deixamos de crescer e participar da vida.
Não tenhamos medo do espelho!


Apesar dos nossos apegos atuais,
nossas mágoas, dores,
choques, realizações, perdas, ganhos, alegrias,
o local que almejamos é aquela terra psíquica habitada pelos velhos,
aquele lugar onde os humanos ainda são tão perigosos quanto divinos,
onde os animais ainda dançam,
onde o que é derrubado cresce de novo,
e onde os ramos das árvores mais velhas florescem por mais tempo.

(Livro A Ciranda das Mulheres Sábias-Clarisa Pinkola Estés)









18 comentários:

Regina Rozenbaum disse...

Vim da Jussara e encontro mais essa delícia! Bacana demais o trabalho desse fotógrafo...e bem assim mesmo: olhamos e não enxergamos a imagem real. Dia desses andava na rua e estranhei a imagem refletida no espelho da vitrine...voltei para checar e era euzona!!!kkkkk Só rindo Bethita, só rindo mesmo...Vamos participar dessa VIDA que vale a pena de ser vivida!!!
Beijuuss, doces, n.a.

✿ chica disse...

Sensacional o trabalho do artista e tuas palavras. Tem dias que esquecemos dos nossos anos, noutros eles pesam e conseguimos ver realmente... Mas sem grilos, ir em frente e agradecer por estarmos firme na paçoca ainda.

Claro, tu é uma guria perto de mim. No fim do ano faço 64 anos já e tem dias, estou com 296 , outros, como uma cabritinha nascendo,srs

A vida é assim... Sabes que nunca mando link de textos meus, mas como o tema é pertinente hoje te convido pra ler minha participação por lá:

http://poetrixica.blogspot.com.br/2012/09/pensando-na-morte.html


Assim, depois me responde qual será o nome do teu blog, pois temos que nos achar,sr beijos,chica

Lúcia Soares disse...

Beth, assino lá embaixo. Texto feito por nós duas. Beijo!

Heloísa disse...

Beth,
Fantásticas as fotos que você nos trouxe.
Há algum tempo eu coloquei no meu blog uma poesia da Cecília Meirelles, que coloca muito bem o estranhamento com a velhice, diante de um espelho. E fiz uma referência a uma passagem vivida com minha mãe.
Se quiser, dê uma olhada:

http://blogdavovohelo.blogspot.com.br/2009/04/retrato.html

Beijo.

Maria Luiza disse...

Beth, quer saber, podem poetizar, mas ficar velha é triste. Eu estou despencando tanto que quase nem busco o espelho! E tento aceitar, mas é triste! E o fotógrafo tem razão ao olharmos para a nossa velhice, não a sentimos; é que nosso espírito é igual aquele de quando éramos jovens e fica difícil conciliar isso. Sua cabeça não envelhece, mas o corpo sim! Tem assunto longo e bom, né? Beijos! Lindo post!

Das coisas que vejo e gosto. disse...

Oi flor!

Que postagem linda!

É dessas que faz a gente parar, pensar, vasculhar sonhos esquecidos num lugar qualquer e pedir muita saúde.

Uma mensagem delicada e que emociona.

Beijos
Selma

Priscila Ferreira disse...

Adorei as fotografias! Mas pode ter certeza que não é só com 30,40, 50 anos que sente saudades não!
Eu tenho 21, e sinto muita saudade, de uns 9 anos atrás! beijos

Maria Célia disse...

Olá Bety
As fotos são de um encanto imenso.
Suas palavras cheias de sabedoria, refletem tudo que penso sobre envelhecimento, não se sentir com a idade real, mas com gostos e desejos de jovenzinhas.
Muito bacana sua postagem.
Beijo

Toninhobira disse...

Belissimo trabalho do artista para a arte de envelhecer-se.Como bem disse Beth é preciso estar decidido a estar nesta luta.
Carinhoso abraço minha amiga.

Calu disse...

Beth,
as fotos , teu texto, tudo traduz perfeitamente os sentimentos que nos tomam nesta fase da envelhescência, pois é, já até a batizaram e eu tô nela, serelepe de quando em vez, circunspecta alhures, espevitada seguidamente,perseverante sempre.
As vezes que me olho no espelho uso lentes bifocais, assim, vejo "ela/aos vinte, e me vejo com cinquenta e mais.Juntas eu e ela somos imbatíveis!
Como vc, minha sempre doce-amiga-menina, rosada e levada da breca.
Adorei parar por aqui e focar estes olhares tão profundos.
Obrigada Betinha.
Bjkas animadas,
Calu

pensandoemfamilia disse...

Que belo trabalho deste artista e como fugir deste espelho nosso de cada dia?
O tempo é implacável, sei que não posso reclamar demais, mas 64 anos que se aproximam e fazem diferenças.

bjs

Luciana disse...

Beth, sou bem assim como você, tanto na escolha e aceitacão como na confusão com os modelitos, digo na vontade de sair pegando umas roupinhas adolescentes, mas o simancol e os kilos a mais me barram. Menina, vou ler o post de Somnia, não vi, agora abro o meu blog e leio geralmente os posts que estao no inicio da lista, se ja desceu eu acabo não vendo, então perdi o dela.
Belissimo seu post. Amei as fotos duas faces da vida.

Beijo e um excelente fim de semana!

Dulce disse...

Não são as marcas do tempo gravadas no meu rosto, no meu corpo, nos meus cabelos, que me assuntam, Beth... Tenho vivido dádivas muito generosas que a vida me proporciona e que só o passar do tempo propicia... O que me deixa triste são as ausências que me cercam... Por vezes essas ausências são tão presentes que até as sinto benfazejas... Loucura, não?...
Mas com tudo isso, a vida continua sendo um doce privilégio.

beijo e bom final de semana.

Anne Lieri disse...

Fiquei boba com as fotos desse artista!E quanta verdade nessas imagens!Sempre nos vmos mais jovem do que realmente somos!...rss...bjs e meu carinho,

Palavras Vagabundas disse...

Beth,
certamente não tenho medo do espelho, rs
O importante é não parar de jogar, ficar no banco não está com nada.
bjs e bom im de semana
Jussara

Georgia Aegerter disse...

Bethinha querida que texto lindo este teu parabéns.

Eu sei que nao é facil aceitar a velhice. Nao sei o que é pior de se aceitar: se as rugas, se as doencas que chegam, se a incapacidade de nao sermos mais tao rápidas e enérgicas, se é porque comecamos a esquecer mais do queríamos, sao muitas coisas que chegam com a velhice. As diferencas sao muitas e isso assusta cada uma de nós.
Sei que a gente tenta remendar a colcha de retalho dizendo que cada ano tem a sua beleza, mas a verdade minha amiga é que se uma carne fresca, uma jovem com o sorriso brilhante, aquele que já tivemos, essa mesma jovem com os peitos torneados e belos, se uma dessa se coloca do nosso lado, nao há, mas nao há mesmo homem em qualquer idade, mesmo que seja um homem mais velho que eu e você, ele vai olhar para o bibelô do lado e nós vamos estar passando à deriva sem sequer sermos notadas, mesmo a gente com toda a nossa experiencia e charme de mulher madura, eles continuam olhando a com menos experiência, rs. Essa é a realidade e é ai que eu acho injusto envelhecer. O que é interesante é que o mesmo nao nos acontecem. Na nossa idade, olhamos os homens na nossa idade e procuramos nele a beleza de um homem maduro, dos cabelos grisalhos, essas coisas.

Nao sei se vc já conhece uma outra fotógrafa que fez tb maravilhas com a máquina.

http://www.huffingtonpost.com/2012/08/10/wilma-hurskainen-revisits_n_1764354.html#slide=1360142

Ela é sensacional tb.

Bom fim de semana

Bjao

ML disse...

Conheci uma mulher - uns 7 anos mais nova do que eu - que sempre dizia: "detesto fazer aniversario, estou ficando velha!".
Um belo ano, eu disse: "vc pode escolher: ou envelhece ou se mata".

Pelo menos, eu nunca mais ouvi a grande frase - e ela ainda me cumprimenta ; > )

bjnhs

Márcia Cobar disse...

Fantástica a sacada do fotógrafo que você mencionou, Betinha!
Belas as imagens!
Ei, continue com sua beleza, seu alto astral e auto estima que te fazem escutar música alta no carro e cantar (só não vá se empolgar com os tribalistas amiga)!
Beijos!
Márcia